Saiba mais sobre o complexo de energia solar em Coremas

Conheça o uso de energia limpa no Brasil e como o complexo de energia solar Coremas tem contribuído com isso.

Categoria: Parceiro Solar

Categoria: Parceiro Solar

O futuro parece apontar, cada vez mais, para o uso constante de fontes de energias limpas e renováveis. O Brasil segue nessa linha com a recente inauguração da nova unidade do complexo de energia solar Coremas, na Paraíba.

Com isso, o país continua investindo na produção de energia solar, e muitas novidades devem chegar em breve. Por exemplo, em 2021, deverá começar a venda para o consumidor padrão das primeiras telhas fotovoltaicas no Brasil. Elas permitirão que as pessoas possam obter energia solar em casa de maneira mais fácil e esteticamente positiva.

Enquanto isso, muito da produção solar no Brasil fica sob responsabilidade do complexo de energia solar Coremas. Quer saber mais sobre ele e as perspectivas de futuro na área? Então confira a leitura abaixo!

Como é o atual consumo de energia solar no Brasil?

Um recente levantamento da ABSOLAR, a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, fez um mapeamento completo do uso da energia solar no Brasil. O documento mostrou que o país chegou à capacidade produtiva instalada de 2 Gigawatts (GW), que ainda é um valor abaixo de outras fontes naturais e renováveis, como a energia eólica. A energia eólica tem 15 GW instalados atualmente, mas começou a ser implantada em 2005, pelo menos 7 anos antes do início da implementação da energia solar (em 2012).

De toda essa capacidade produtiva (são 171 mil sistemas empregados), 99,8% são de fontes de energia solar fotovoltaica, aquelas placas tradicionais que você provavelmente já conhece. Esse é o resultado de mais de R$10 bilhões de investimentos acumulados no setor desde 2012.

De acordo com o mapeamento da ABSOLAR, os consumidores residenciais são aqueles que lideram a produção de energia solar no Brasil, seguidos das empresas e dos consumidores rurais. Veja a divisão a seguir:

  • consumidores residenciais: 72,60% da capacidade produtiva;
  • empresas: 17,99% da produção de energia solar;
  • consumidores rurais: 6,25% da capacidade;
  • indústrias: 2,68% da produção;
  • poder público: 0,43% da capacidade produtiva;
  • serviços públicos e iluminação pública: 0,05% da produção.

Como deu para ver, ainda há muito espaço para o desenvolvimento da energia solar no país. Isso acontece porque, no momento, quem puxa o investimento na área ainda são os consumidores residenciais. Na prática, isso significa que usinas como o Complexo de energia solar Coremas podem crescer muito mais para que os benefícios da energia solar sejam sentidos por mais pessoas.

Qual é a perspectiva de crescimento do consumo de energia solar nos próximos anos?

O mapeamento da ABSOLAR indica que há um espaço bem grande para o aumento de produção e consumo de energia solar no Brasil. Afinal, como vimos, a maior parte da capacidade produtiva atualmente foi criada pelo investimento particular dos consumidores residenciais.

Os dois principais caminhos para o crescimento do consumo de energia solar nos próximos anos passam pelos grandes investimentos em complexos solares e também pelos novos produtos destinados aos consumidores residenciais e rurais.

Da parte dos investimentos, o Complexo de energia solar Coremas é uma das principais fontes de produção de energia solar no país. Localizado na Paraíba, o complexo recebeu a inauguração da sua Usina Fotovoltaica Coremas III em setembro de 2020.

Nós falaremos com mais destaque sobre Coremas a seguir, mas vale mencionar que se estima que o complexo cresça ainda mais no ano de 2021. De acordo com o relatório sobre a produção de energia no planeta, divulgado todos os anos pela Bloomberg New Energy Finance, a perspectiva é que a produção de energia solar e eólica no Brasil supere a de energia hidrelétrica até 2040, com a energia solar puxando essa mudança de cenário.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse na inauguração da Usina Fotovoltaica Coremas III que o governo federal prevê um investimento de R$26 bilhões na expansão da capacidade de geração de energia elétrica (via fonte solar e eólica) até 2026, com 56% dessa expansão de potência ficando no Nordeste.

Além do investimento pessoal dos consumidores residenciais, o crescimento deverá se dar com base nas condições para a adoção da energia solar, bem como a conscientização dos seus benefícios.

Em relação às condições para a adesão da energia solar, o mercado brasileiro passará a ter novos produtos nos anos futuros, bem como linhas de crédito exclusivas para o financiamento dessa produção de energia.

Um dos principais novos produtos é a telha fotovoltaica, que é 20% mais barata do que os painéis solares e pode ser muito facilmente instalada nas casas, além de gerar um resultado estético bastante agradável.

Já em relação às linhas de crédito, o financiamento da energia solar cresce no Brasil com muitos bancos de grande porte destinando recursos consideráveis para fazer com que a adoção de tais tecnologias fique mais fácil.

Qual é o impacto do complexo de Coremas construído no sertão da Paraíba nesse mercado?

O complexo de energia solar Coremas é o maior conjunto de usinas de energia solar do Brasil. Pertencente ao grupo privado Rio Alto Energias Renováveis (que ganhou os primeiros leilões públicos da energia solar), o empreendimento está atualmente em sua terceira fase. São 280 mil painéis solares instalados, ocupando um espaço equivalente a 1.100 campos de futebol. Só o complexo é capaz de produzir energia o suficiente para atender aproximadamente 90 mil casas. 

No entanto, esse é apenas o início da produção do espaço. A perspectiva é que quando o complexo de energia solar Coremas estiver finalizado, em junho de 2021, ele terá cerca de 700 mil painéis solares para atender em torno de 300 mil casas.

Com tais resultados, Coremas é um dos principais contribuidores da geração de energia limpa no Brasil. Isso porque o Nordeste já proporciona 84% de toda a produção de energia renovável no país, sendo que o complexo é um dos seus principais geradores.

Assim, o complexo de energia solar Coremas deverá ter papel central no futuro da geração de energia renovável no Brasil. Isso porque, hoje, as fontes de energia solar e eólica representam 11% de toda a matriz energética do país, com perspectiva de crescimento para 30% até 2030.

Agora que você já conhece o complexo de energia solar Coremas, está mais informado sobre a produção de energia solar no país. Deu para ver que o futuro será brilhante (e alimentado por energia limpa), não é mesmo?

Se você gostou do assunto e quer acompanhar mais pautas como esta, curta a nossa página no Facebook!

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.