Reserva de emergência: o que é e qual é a importância de ter uma?

A reserva de emergência existe para salvar pessoas diante de problemas que exigem uma boa quantia em dinheiro, a fim de suprir necessidades por um tempo determinado. Entenda!

Categoria: Orientação Financeira

Saber investir é a chave para uma boa educação com relação ao dinheiro. Quem deseja construir uma vida financeira de sucesso faz o possível para conhecer as melhores alternativas de investimento do mercado. No entanto, o que muita gente ignora nesse processo é a necessidade de aprender sobre como criar uma reserva de emergência.

Deixar isso de lado pode ser muito arriscado, pois qualquer pessoa pode passar por imprevistos. Logo, precaver-se contra qualquer eventualidade é a melhor saída para não comprometer as finanças pessoais.

Se deseja aprender mais sobre como economizar dinheiro para enfrentar momentos de dificuldade ou urgência, este conteúdo é para você. Nele, reunimos tudo que é importante saber para superar problemas financeiros. Confira!

O que é a reserva de emergência?

Resumidamente, é a reserva de uma parte do orçamento para lidar com situações que podem mudar sua vida de uma hora para outra, como perder o emprego, fazer uma manutenção de emergência na casa, ser diagnosticado com alguma doença séria e ter de pagar um tratamento, entre outras eventualidades inesperadas. Estar pronto para o futuro é fundamental, mas infelizmente muita gente não pensa dessa forma.

Ainda existem outras situações. Imagine que seu carro sofra uma pane mecânica e, para consertá-la, você terá de levá-lo até uma oficina. O dinheiro para resolver esse problema é o da reserva de emergência. Ou você pretende mudar de carreira profissional, podendo ficar um período desempregado. Essa quantia servirá para suprir suas necessidades durante o tempo de transição.

Como definir o valor necessário?

Não existe um valor específico para ser guardado, pois cada pessoa tem padrões e necessidades diferentes. O primeiro passo é anotar seus gastos mensais com alimentação, educação, saúde e serviços para definir sua reserva. Ao levantar esse valor, você terá de avaliar por quanto tempo deverá estar coberto para quitar essas contas em momentos de dificuldade.

Outra medida é em relação ao emprego. Para quem não corre o risco de perdê-lo ou de ter a remuneração reduzida, os meses de cobertura poderão ser menores. Por exemplo, para um servidor público, que tem estabilidade, definir uma reserva de emergência de três ou quatro meses pode ser suficiente.

Agora, vamos imaginar que você trabalha em uma empresa privada e corra alguns riscos. Nesses casos, é recomendável montar uma reserva para seis meses. Considerando que o seu custo de vida seja de R$3.000,00, o ideal é que sua reserva seja de, pelo menos, R$18.000,00 para que, caso seja dispensado, consiga se manter por um tempo até encontrar um novo emprego.

Como montar a sua?

Agora que você já sabe o que é uma reserva de emergência e quanto precisa guardar, veremos os principais procedimentos para montar uma com eficiência. Confira!

Faça um planejamento financeiro

Como falado no tópico anterior sobre como definir o valor necessário, considere todos os seus gastos: água, energia elétrica, gás, internet, aluguel, condomínio, cartão de crédito e assim por diante. Em seguida, compare-os com seu salário e seus benefícios.

Dessa forma, você terá uma boa visão sobre suas contas, podendo estudar sobre como desenvolver formas de cortar, substituir e/ou eliminar gastos. Isso vai ajudar a separar a quantia mensal para criar sua reserva.

Transforme a economia em rotina

Como alguns gastos são recorrentes, pode ser que você não consiga juntar o valor necessário rapidamente. Nesse sentido, uma prática inteligente é converter essa economia em um hábito. Faça com que a reserva desse dinheiro não seja penosa, mas sim um cuidado realizado com naturalidade.

O início é bastante desafiador, pois estamos acostumados a fazer compras por impulso. Tendo isso mente, esforce-se para mudar suas atitudes em relação às suas finanças. Aproveite esse momento para aumentar a renda, prestando serviços ou vendendo produtos. Quanto mais você armazenar, mais rápido terá o valor necessário para cobrir o seu padrão de vida em momentos inesperados.

Portanto, coloque mais uma causa nessa missão: o investimento. Ainda que você inicie com pouco, como R$50,00 ou R$100,00 por mês, com o tempo, terá uma reserva convincente. Se aguardar o dia em que vai sobrar dinheiro para fazer isso, pode ser que esse momento nunca chegue.

Escolha o tipo mais adequado de aplicação

Dinheiro parado não é a melhor escolha. Por isso, administrar a quantia que fará parte da sua reserva de emergência é essencial. Investimentos de baixo risco são ideais, pois facilitam o resgate. Nesse sentido, o Certificado de Depósito Bancário (CDB), as Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) e as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) são ótimas fontes de liquidez diária, assim como os títulos públicos.

No entanto, caso tenha dívidas, quite todas elas antes de iniciar sua reserva. Uma sugestão é fazer empréstimo com instituições financeiras renomadas e experientes, pois geralmente elas apresentam custos efetivos bem abaixo do que os praticados em alguns bancos.

Sendo assim, só comece a guardar quando estiver livre de todos os débitos. Quando estiver preparado, escolha os investimentos mais rentáveis para sua realidade. Uma boa ideia é utilizar simuladores em plataformas de corretoras de investimentos.

Não gaste a reserva de emergência

Outra medida é não usar o dinheiro guardado de forma alguma! As tentações virão de todos os lados, mas é indispensável que essa reserva seja exclusiva para lidar com situações emergenciais.

Pense que essa quantia não está disponível para uso imediato. É um recurso de longo prazo que só poderá ser usado para garantir tranquilidade em momentos de dificuldade. Assuma esse compromisso e evite problemas.

Leia sobre finanças

Separe um tempo do seu dia para estudar sobre finanças, entenda como funcionam os juros (especialmente os compostos), quais são as diversas formas de aplicação que o mercado oferece e quais são os mais compatíveis com os seus objetivos.

E lembre-se: criar metas para cuidar da nossa vida financeira é tão importante quanto cuidar do corpo e da mente. A propósito, esses três elementos estão envolvidos. Quem já passou por dificuldades financeiras sabe o quanto isso prejudica os outros dois.

A economia do nosso país costuma ser bastante variável e nunca se sabe o que pode acontecer em médio e longo prazo, não é mesmo? Por isso, criar uma reserva de emergência ajuda a controlar as finanças e traz segurança para as pessoas mais precavidas. Portanto, faça parte desse grupo para enfrentar qualquer imprevisto e necessidade.

Gostou deste conteúdo e quer ficar por dentro de novidades sobre finanças? Então, siga nossas redes sociais. Estamos presentes no Facebook, no Instagram, no LinkedIn e no YouTube!

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.