Por que começar a investir hoje?

Está aqui para descobrir como começar a investir? Que bom! Então, confira as instruções a seguir.

Categoria: Orientação Financeira

Se você deseja começar a investir, é preciso fazer isso o quanto antes, pois o tempo a longo prazo é o melhor amigo dos investimentos. Independentemente da sua condição financeira, é perfeitamente possível começar a guardar para aos poucos alcançar os seus objetivos.

Está com contas ou dívidas para pagar? Basta ter foco para sair desses compromissos com rapidez, fazendo seu planejamento financeiro e começando a guardar dinheiro. Em contrapartida, se você já conseguiu guardar uma grana, mas a deixa na poupança, saiba que há opções melhores, com um rendimento muito maior e com uma linha conservadora, parecida com a poupança.

Neste conteúdo, você vai saber muito mais do que os motivos para investir agora mesmo. Acompanhe o conteúdo para conhecer nossas dicas e informações.

Por que começar a investir hoje?

Bastante gente não investe por pensar que é algo muito complexo e que necessita de uma grande quantia para começar. Abaixo, selecionamos dois grandes motivos que evidenciam a importância de investir hoje.

Fazer seu dinheiro trabalhar para você

Para aumentar seu patrimônio financeiro, existem duas formas: ou você trabalha pelo seu dinheiro, ou ele trabalha para você. Em vez de desvalorizar suas economias, ou mantê-las em uma conta com juros mínimos, você pode vê-las crescer, desde que invista com sabedoria.

Os investimentos iniciais podem trazer retornos mínimos, mas se você persistir, colherá recompensas a longo prazo. Essa abordagem econômica é mais prudente e segura, pois pode suprir imprevistos de carreira que podem impactar sua vida.

Vencer a inflação

A inflação faz parte da nossa realidade econômica, logo, a quantia acumulada hoje valerá menos amanhã. Por isso, é muito importante que você invista, a fim de garantir seu poder aquisitivo e impedir que seu capital seja consumido pela alta da inflação.

Como começar a investir?

Existem diversos modos para começar. Abaixo, reunimos as melhores recomendações para você.

Estabeleça os seus objetivos

Não adianta investir sem um propósito definido. Nesse sentido, vale considerar os seguintes fatores.

Curto prazo — reserva emergencial

É indispensável contar com uma reserva para lidar com imprevistos, pois ela atua como uma margem de garantia. Quem se prepara para o pior consegue sair das dificuldades com facilidade. Dessa forma, você não precisa interromper os estudos ou cancelar o convênio médico, por exemplo.

O objetivo é ter uma quantia com cerca de três a seis vezes superior ao orçamento mensal. Quanto mais comprometimentos financeiros você tiver, maior deve ser a sua reserva emergencial.

Longo prazo — aposentadoria

A aposentadoria configura uma meta de longo prazo. O total pago pela Previdência Social pode ser insuficiente para ter uma vida financeira tranquila. Logo, se você quer parar de trabalhar aos 65 anos, é preciso ter dinheiro para se manter por mais 20 ou 30 anos. Montar um patrimônio que garanta renda prolongada demanda muita disciplina, portanto, quanto antes começar, melhor.

Médio prazo — objetivos de vida

Por fim, as metas de médio prazo. Elas variam de investidor para investidor. Pode ser pagar uma pós-graduação, comprar um carro, fazer uma viagem para o exterior etc. São objetivos ou investimentos que podem complementar sua caminhada financeira e dar mais conforto.

Determine a quantia ideal

Tenha foco e comprometimento. Você deve guardar um valor específico do seu orçamento para investir. Esse percentual vai depender dos seus objetivos financeiros. O segredo é se envolver com a causa. Por exemplo, quando receber seu dinheiro, separe uma parcela e invista em seguida. Não importa a quantia, com R$50,00, R$70,00 ou R$100,00 é possível começar.

Conheça o seu perfil de investidor

Cada pessoa apresenta características, comportamentos e necessidades próprias. Quando relacionamos esse contexto com o universo dos investimentos, estamos falando da maneira como cada um lida com os riscos.

Sendo assim, os perfis são classificados em três categorias:

  • conservador: não abre mão da segurança, mesmo que isso leve a uma rentabilidade reduzida;
  • moderado: costuma colocar parte do dinheiro em aplicações arriscadas, a fim de obter um rendimento maior. Porém, ainda prioriza a segurança para a maior parte da sua carteira;
  • agressivo (ousado): valoriza a rentabilidade no longo prazo e compreende que as variações do processo fazem parte do fluxo normal do mercado.

Importante! Um mesmo investidor pode trocar de perfil com o tempo. Ele pode adquirir mais conhecimento sobre investimentos e ficar mais confiante diante dos riscos, ou o contrário.

Avalie os tipos de investimentos

Para obter sucesso nessa empreitada, não coloque todos os ovos na mesma cesta. Isso porque os eventos diários impactam o mercado financeiro de diferentes maneiras. Logo, diversificar é uma forma prudente de diminuir os riscos e elevar a probabilidade de ganhos.

Existem dois tipos de investimentos viáveis, renda fixa e variável. O primeiro representa títulos públicos ou privados, que funcionam como um empréstimo do seu dinheiro para uma determinada instituição. Veja alguns exemplos:

  • Certificado de Depósito Bancário (CDB);
  • Debêntures;
  • Fundos de Investimentos;
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • Tesouro Direto.

Já a renda variável consiste em investimentos na bolsa de valores. Com ela, não existe rendimento fixo, ou seja, é uma manobra arriscada que não garante rentabilidade futura, sendo indicada para investidores agressivos e experientes. As opções são:

  • Ações;
  • Câmbio;
  • Commodities;
  • Derivativos;
  • ETF;
  • Fundo de Investimento Imobiliário (FII);
  • Operação Day Trade.

Procure uma instituição financeira

Para começar a investir, é preciso abrir uma conta em uma instituição financeira. Priorize uma marca confiável para fazer suas movimentações. Algumas oferecem taxas de rentabilidade atrativas. É importante pesquisar várias alternativas antes de tomar sua decisão.

Como juntar dinheiro para investir?

Conheça bem a sua condição financeira. Registre todos os seus ganhos e gastos. Não deixe de fora os pequenos consumos que somados fazem uma diferença enorme. Se você gasta R$8,00 com cafezinho todos os dias, o total disso é cerca de R$208,00 por mês. Na ponta do lápis não é tão pouco assim.

Portanto, seja persistente ao investir. Aprenda a economizar nas contas de modo que o orçamento fique favorável para fazer investimentos. Renegocie planos, reduza o consumo de energia elétrica e compre somente o necessário.

Avalie o que pode ser eliminado por um período ou definitivamente. Não tenha receio de cortar as coisas que não trazem benefícios concretos para sua vida. Por fim, pedir aumento de salário e fazer renda extra por meio da prestação de serviços ou venda de produtos também são boas alternativas, desde que a atividade não sobrecarregue sua rotina pessoal e profissional.

Esperamos que as dicas citadas no conteúdo tenham lhe incentivado a começar a investir hoje. Para isso, basta colocá-las em prática e firmar um pacto pessoal para atingir os objetivos que almeja para o seu futuro.

Para aplicar o dinheiro de maneira mais assertiva, saiba onde investir de acordo com os seus objetivos pessoais.

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.