Entenda o que é comprometimento de renda

Você sabe o que é comprometimento de renda? Entende como esse conceito pode interferir na sua vida financeira? Então, vai gostar de ler este artigo!

Categoria: Orientação Financeira

Se você é do tipo de pessoa que preza pela sua tranquilidade, deseja ter uma vida financeiramente estável e que contribua para a realização dos seus sonhos no curto, médio e longo prazo, certamente vai gostar de entender melhor o conceito de comprometimento de renda.

O comprometimento de renda é, talvez, o mais importante dos termos quando se fala em finanças pessoais. Isso porque, para a concretização de qualquer objetivo, seja ele de grande ou pequeno valor, você precisa dispor de uma quantia suficiente para arcar com os custos, concorda? Do contrário, certamente entrará para a ampla lista dos inadimplentes.

Como não queremos que você passe por esse tipo de situação, preparamos este artigo para informar e ajudar você a ter uma vida financeira mais organizada. Continue a leitura e entenda melhor o que é e qual é a importância de avaliar o comprometimento de renda!

O que é o comprometimento de renda?

De forma bastante simples, o comprometimento de renda pode ser entendido como a parcela do seu orçamento mensal que já está direcionada, ou seja, que está comprometida com obrigações feitas anteriormente.

Vamos usar como exemplo uma pessoa com renda mensal de R$3.000,00 que paga todos os meses um aluguel de R$700,00, tem parcelas de um financiamento no valor de R$500,00, além de gastar R$300,00 com alimentação. Essa pessoa tem 50% da sua renda comprometida. Ou seja, dos R$3.000,00 recebidos mensalmente, R$1.500,00 já têm destinação certa.

Dessa forma, essa pessoa só terá liberdade para utilizar metade do seu salário, já que a outra metade está comprometida com obrigações assumidas anteriormente.

Qual é a importância de conhecê-lo?

O principal motivo para avaliar o seu nível de comprometimento de renda é entender melhor a sua saúde financeira. Por exemplo, se você planeja fazer uma compra e assumir uma dívida por um prazo maior, é importante saber quanto do seu orçamento ainda está livre para arcar com mais essa responsabilidade.

O comprometimento de renda é uma espécie de indicador de riscos. Assim, quanto maior for o nível de comprometimento, mais perigoso se torna assumir novas dívidas. A verdade é que você não deve gastar tudo que ganha, pois imprevistos podem ocorrer e você precisa ter uma margem para atender a necessidades urgentes.

O que significa o limite do comprometimento de renda?

Uma das lições básicas do controle financeiro é que não se pode gastar mais do que se ganha. O limite de comprometimento de renda tem justamente a função de evitar que uma pessoa faça isso, prejudicando sua vida financeira e se endividando de forma descontrolada.

Na prática, o limite de comprometimento de renda nada mais é do que um percentual máximo recomendado que uma pessoa pode comprometer dos seus rendimentos. Hoje, por exemplo, economistas e profissionais do mundo das finanças orientam que não se deve comprometer mais do que 30% da renda.

Quais são as consequências de ignorar o comprometimento de renda?

O comprometimento de renda é muito importante para quem deseja manter o equilíbrio financeiro e as contas em ordem. No entanto, existem aquelas pessoas que não se importam com esse indicador, assumindo novos compromissos de forma impensada e, em muitos casos, comprometendo uma renda que sequer existe.

Esse tipo de comportamento, como veremos adiante, não é recomendado, pois traz uma série de consequências negativas — e você precisa estar atento a elas. Confira!

Endividamento

A principal consequência de ignorar o nível de comprometimento de renda é, sem dúvida, o endividamento. Se você assume compromissos financeiros sem avaliar detalhadamente seu orçamento, isto é, sem compreender se será capaz de arcar com mais uma obrigação, a probabilidade de se endividar cresce bastante.

Consequentemente, o orçamento fica mais apertado, os imprevistos acontecem e, então, você se vê sem dinheiro para honrar todas as suas contas. Nesse momento, as coisas começam a sair do controle, as contas se acumulam e a inadimplência bate à porta.

Uso do cheque especial

Quando você se vê com as contas desorganizadas, boletos atrasados e novas obrigações surgindo, uma das primeiras saídas que se costuma enxergar é a utilização do cheque especial. Mas é aí que o perigo mora!

O cheque especial é uma das linhas de crédito com as maiores taxas de juros do mercado. Por isso, pode ser bastante perigoso utilizá-lo, especialmente quando o seu orçamento já está no limite e, pior, bem desorganizado.

A probabilidade de você entrar em uma bola de neve de juros é grande, complicando ainda mais a sua vida financeira — e sabemos que não é isso que você deseja, não é mesmo?

Necessidade de empréstimos

Outra consequência possível de não avaliar o comprometimento de renda é a necessidade de empréstimos. Quando você não respeita os limites impostos pelos seus ganhos, pode acabar gastando mais do que deveria, entrando em uma situação complicada. Para sair desse quadro, pode acabar indo em busca de empréstimos, arcando com juros e riscos ainda maiores de agravar as dívidas.

Vale lembrar que embora os empréstimos sejam uma alternativa interessante em muitas situações, a sua contratação precisa ser feita de forma pensada, levando-se em conta os prós e contras da contratação. Agir por impulso para corrigir falhas cometidas anteriormente pode dificultar ainda mais a sua vida financeira. Pense nisso!

Como calcular o comprometimento de renda?

O cálculo do nível de comprometimento de renda é bastante simples e não requer grandes esforços. Na realidade, ele depende apenas de uma certa organização e alguns hábitos positivos, como veremos a seguir. Confira!

Anote as despesas fixas

O primeiro passo para entender o percentual comprometido da sua renda é anotar as despesas fixas, isto é, despesas recorrentes que estão ligadas à sua manutenção e a compromissos de longo prazo.

Para facilitar as coisas, citamos algumas das despesas que você precisará listar. São elas:

  • aluguel;
  • transporte;
  • alimentação;
  • parcelas de financiamento;
  • compras parceladas no cartão, entre outras.

Em resumo, é preciso que você tenha um bom controle de despesas, o que só é possível quando se tem uma noção do quanto é gasto todos os meses com despesas fixas.

Conheça todos os seus ganhos

Outro passo fundamental é avaliar os seus ganhos. Só é possível saber o nível de comprometimento da sua renda se você sabe exatamente quanto ganha, concorda? Então, a dica aqui é listar todos os seus ganhos. De preferência, considere os seus rendimentos fixos, já que ganhos extras podem enganar, fazendo com que você conte com eles todos os meses — o que é um erro.

Por exemplo, podem ser incluídos ganhos como o seu salário mensal e rendimentos de aplicações financeiras, caso você tenha algum.

Estime os seus gastos extras

Além dos pontos citados, é preciso que você estime os seus gastos extras, ou seja, aquelas despesas que não são recorrentes mas que acabam pesando no orçamento vez ou outra. Esse é um ponto importante, pois os pequenos gastos, quando somados, podem consumir uma boa fatia do seu orçamento.

Entre essas despesas extras, podem ser listadas:

  • lazer;
  • compras no cartão;
  • despesas com saúde, como consultas e remédios;
  • vestuário e outras relacionadas.

Cumpridos esses passos, você tem uma visão mais ampla da sua vida financeira mensal. Dessa forma, já consegue calcular quanto do seu orçamento é dedicado ao pagamento de despesas recorrentes e quanto está livre para ser utilizado de outras formas. Ou seja, você já pode entender o seu nível de comprometimento de renda e agir para que ele esteja sempre ajustado ao seu perfil financeiro e, principalmente, aos seus objetivos e metas.

Então, gostou deste conteúdo? Quer realizar seus sonhos e conquistar seu patrimônio de forma segura e planejada? O BV tem as melhores soluções de crédito para você. Entre em contato conosco hoje mesmo e conheça!

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.