Como parcelar a fatura do cartão de crédito? Saiba quais são as condições

Precisa entender como parcelar a fatura do cartão de crédito? Neste post, explicamos todo o processo para você!

Categoria: Cartões

Categoria: Cartões

Você costuma controlar seus gastos? Mesmo que sua resposta seja sim, pode ser que seja preciso parcelar a fatura do cartão. Essa é uma alternativa quando se torna inviável pagar o valor total. Assim, o problema é resolvido sem entrar no crédito rotativo.

Isso acontece quando você paga apenas o valor mínimo. Nesse caso, a taxa de juros média é muito elevada. Para se ter uma ideia, os dados de julho mostram que o total chegou a 331,5% ao ano. No entanto, no parcelamento, a média já cai para 163,6% ao ano.

É claro que essas taxas dependem da instituição financeira. Por isso, é importante entender como funciona essa solução para encontrar a melhor saída.

Para ajudar nessa empreitada, explicamos como você pode parcelar a fatura do cartão de crédito. Que tal saber mais?

É possível parcelar a fatura do cartão?

Como você deve ter entendido pela introdução deste artigo, sim, é possível parcelar a fatura do cartão. Ou seja, você pode solicitá-la assim que identificar sua impossibilidade de pagar o valor total.

Lembre-se! Pagar o valor total da fatura é sempre a melhor opção, mas se precisar, outra opção é quitar somente o mínimo da fatura e tentar pagar todo o montante no mês seguinte. No entanto, essa alternativa exige cuidado. Além dos juros mais elevados, você terá que pagar o valor total da fatura ou parcelá-la.

Por isso, a regra é disciplina e equilíbrio. O ideal é nunca deixar o valor da fatura acumular. Essa é uma armadilha para sua vida financeira, porque a taxa de juros do rotativo é mais alta. Portanto, o valor em aberto cresce rapidamente.

O que fazer para evitar essa situação? A resposta passa pelo planejamento financeiro. Aqui, vale a pena anotar e acompanhar todos os seus gastos para evitar problemas. Assim, você paga o valor total e mantém sua fatura sob controle.

Como funciona o parcelamento da fatura do cartão?

O parcelamento da fatura está disponível a todos os usuários de cartão de crédito. Ele deve ser solicitado diretamente à instituição financeira. Cada uma delas terá as suas regras e condições. Por isso, a taxa de juros e o Custo Efetivo Total (CET) variam.

Nesse processo, é importante observar as regras do Banco Central. Elas determinam que o parcelamento seja feito em prestações fixas, com data de vencimento predeterminada. Assim, todos os meses é acrescentado o valor da parcela.

Por exemplo, se a negociação fechou em 10 vezes de R$ 150, você precisará dessa quantia extra por todo o período. Imagine que, em determinado mês, sua fatura já esteja em R$ 500. Com o acréscimo da parcela, ela fechará em R$ 650. Caso não existam outros gastos, serão cobrados somente R$ 150. Isso acontece até o décimo mês, nesse exemplo.

Além dos juros, a negociação também sofrerá incidência de Imposto sobre Operação Financeira (IOF) e outros possíveis encargos. Por isso, é importante verificar com o banco qual é o CET. Afinal, ele inclui todas as cobranças.

Além disso, a instituição financeira pode realizar o parcelamento automático depois de 30 dias no crédito rotativo. Essa informação deve estar descrita em contrato.

Limite

A renegociação da dívida do cartão de crédito também impacta o limite disponível. Por isso, pode ser que você tenha algum impedimento por certo período. Conforme as parcelas forem pagas, é feita a liberação.

Nesse período, o cartão de crédito continua ativo. Portanto, você poderá ter parte do limite liberada e fazer novas compras. Isso porque o comprometimento é proporcional.

Por exemplo, o total parcelado com encargos é de R$ 2.000, pagos em 10 parcelas de R$ 200. O limite que você tem é igual, isto é, de R$ 2.000. Portanto, você ficará sem limite. No primeiro mês, você paga a primeira parcela, de R$ 200. Assim, terá um limite de R$ 200 disponível. Enquanto isso, a parte bloqueada será de R$ 1.800 e assim por diante.

Observe, ainda, que o limite disponível pode ser menor do que o valor negociado. Nesse caso, a liberação tende a demorar mais. Por exemplo, seu limite é de R$ 2.000 e você já tem parcelamentos anteriores equivalentes a R$ 1.500.

Ou seja, ao longo do tempo, você fez parcelamentos que somam R$ 1.500 por mês. Ao renegociar a fatura, você terá que pagar esse total de prestações mais o acréscimo relativo à dívida. Por isso, há um comprometimento ainda maior do limite disponível.

Digamos que a negociação tenha resultado em um montante de R$ 2.500 (encargos + gastos na fatura). O pagamento ocorrerá em 4 vezes de R$ 625. Assim, todo o seu limite ficará comprometido, porque o total mensal será de R$ 2.125 (R$ 625 + R$ 1.500).

Assim que pagar a primeira parcela, a liberação será proporcional. Portanto, será de apenas R$ 500, já que R$ 125 ultrapassaram o limite total. De toda forma, o mais importante é saber que seu limite pode não ficar disponível na hora e até demorar um pouco mais.

Quais são as regras e as condições do BV?

O controle com o cartão de crédito é sempre necessário. No entanto, o parcelamento da fatura está aí para ajudar. Contudo, as condições podem variar de acordo com a análise do seu perfil.

Portanto, quanto melhor for a sua relação com o BV e o seu score de crédito, menos você pagará no parcelamento da fatura do cartão. O parcelamento da fatura pode ser feito em até 24 meses. Assim, você pode organizar o seu orçamento.

Para saber quanto você pagará e como ficarão as parcelas, acesse o app BV. Direto do seu celular, é possível simular a contratação. Se gostar das condições, é só contratar e pagar na data de vencimento.

Como evitar que isso aconteça?

O parcelamento da fatura do cartão é uma possibilidade, mas vale a pena evitá-lo. Por quê? Primeiro, porque garante finanças saudáveis. Além disso, você evita pagar juros e o comprometimento da sua renda.

Então o que fazer para evitar essa situação? Confira algumas dicas.

Tenha controle dos parcelamentos longos

As parcelas contratadas comprometem a sua renda. Conforme vão se acumulando, você pode perder o controle da situação. Por isso, ainda que o parcelamento longo (em 10 ou 12 vezes, por exemplo) a juros baixos ou zero, possa ser um grande aliado, é preciso estar atento. Anote o gasto e lembre-se de que ele já compromete o orçamento para as próximas faturas.

Nunca ultrapasse o valor que ganha

O ideal é cortar os gastos e garantir que a fatura fique dentro daquilo que você pode pagar. Por isso, além de controlar os parcelamentos no cartão de crédito, anote todos os outros gastos. Dessa forma, você pode identificar o que é supérfluo e fazer compras mais conscientes.

Tenha uma reserva de emergência

A principal atitude para quem não quer ser impactado pelos imprevistos é ter uma reserva de emergência. Guarde uma quantia razoável, que equivalha à aproximadamente seis meses de remuneração.

Por exemplo, se o seu salário é R$ 1.500, tenha R$ 9.000. Parece muito, mas essa é a melhor maneira de garantir o pagamento de todas as suas contas em casos de emergência.

Agora, você já tem todas as informações de que precisa para parcelar a fatura do cartão sempre que tiver um impresto, mas se lembre que o pagamento total da fatura será sempre a melhor opção! Assim, você continua comprando de forma consciente e sem ter problemas no seu orçamento.

Gostou dessas informações? Aproveite e veja as opções de cartão de crédito do BV para conferir qual é o mais adequado para o seu momento de vida.

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.