Como avaliar se a taxa de juros do financiamento é boa?

Saber como avaliar a taxa de juros do financiamento é vital para usar um empréstimo do jeito certo. Aprenda isso a seguir.

Categoria: Financiamento de Veículos

Comprar uma casa ou um carro novo ou usado são os dois sonhos de consumo mais comuns dos brasileiros. No entanto, são também muito difíceis de serem realizados. Afinal, são objetos que custam milhares de reais. Portanto, a maneira mais rápida de alcançar esses objetivos é com um empréstimo, e é justamente aí que entra em cena a taxa de juros do financiamento automotivo ou imobiliário.

O valor da taxa de juros é uma das principais preocupações de quem pega um financiamento para realizar seu sonho. É assim com você? É provável que sim. Afinal, contratar um empréstimo com uma taxa de juros alta pode oferecer um risco para a sua independência financeira.

Se você planeja realizar o seu sonho de comprar um carro ou uma casa em 2021 (ou nos próximos anos também, claro!), precisa aprender a avaliar o que é uma boa taxa de juros. Assim, poderá fazer o financiamento que realmente cabe no seu bolso e que não trará problemas financeiros.

Quer aprender como avaliar uma taxa de juros? Então siga a leitura abaixo.

O que é a taxa de juros do financiamento?

Para poder avaliar uma taxa de juros, devemos entender do que ela se trata. Basicamente, a taxa de juros é uma forma de remunerar o banco ou financeira que empresta dinheiro para as pessoas.

Para o consumidor (no caso, você), a única coisa que é necessário saber é que a taxa de juros do financiamento funciona como um dispositivo que vai aumentando o saldo devedor para pagar o crédito. Ou seja: todo mês, aquele saldo devedor aumenta um pouquinho. Por isso, todas as parcelas do financiamento contam com uma parte do dinheiro sendo usada para diminuir a dívida e outra para pagar os juros.

O que influencia o valor da taxa de juros?

Cada banco tem uma taxa de juros para o financiamento de veículos, de casas e outros tipos de empréstimos, como o pessoal. Isso acontece porque existem vários fatores que influenciam a composição de uma taxa de juros. Assim, como tais fatores são únicos para cada banco ou financeira, as taxas variam bastante.

O primeiro fator que você precisa conhecer é o cenário macroeconômico. O termo é complicado, mas o significado é simples: trata-se da situação da economia do país. No entanto, isso não tem muito a ver com se a economia vai bem ou se vai mal, mas sim se ela estimula o crédito ou não. O principal ponto para incentivar a oferta de crédito é a taxa básica de juros da economia, a Taxa Selic. Nós vamos falar mais sobre ela no próximo item do artigo, mas basicamente o que você deve saber agora é que, no geral, uma Selic baixa faz com que as outras taxas de juros também caiam.

Além disso, a política interna de financiamento de cada banco, por exemplo, interfere. Ou seja: se aquela empresa está mais ou menos disposta a emprestar dinheiro aos seus clientes. Se ela estiver mais a fim disso, então reduzirá a taxa de juros do financiamento para trazer mais clientes. Senão, aumentará os juros.

Para completar, o seu próprio histórico de crédito e capacidade de pagamento ainda influenciam a taxa de juros do financiamento. O seu Score de Crédito, que mede seu histórico como bom pagador, é um elemento muito importante para conseguir empréstimos mais baratos. Além disso, o tempo de relação que você tem com o banco também influencia. Quanto mais o banco conhece você, melhor ele pode avaliar os riscos de emprestar dinheiro para você realizar seus sonhos. Quanto menos ele conhecê-lo, maior será o risco e, portanto, maiores os juros. Por isso, ter uma relação saudável com o banco ajuda a reduzir a taxa de juros do financiamento.

Qual é a taxa de juros ideal para financiamento?

Agora que a gente já viu os fatores que influenciam uma taxa de juros, é hora de aprender qual é o valor ideal na hora de assinar um financiamento. A resposta é simples: aquele que você puder pagar.

Pode parecer um pouco óbvio, mas é verdade. Cada pessoa apresenta uma capacidade de pagamento e, portanto, conta com um leque de opções próprias no mercado. Além disso, cada cliente tem um limite na sua renda mensal para pagar parcelas. Pela Lei do Comprometimento de Renda, a parcela de um empréstimo ou financiamento só pode ocupar 30% da sua renda bruta (é possível considerar a renda familiar, incluindo do seu cônjuge, por exemplo). 

Assim, a melhor taxa de juros para financiamento é aquela que cabe no seu bolso. Talvez ela seja um pouco maior ou um pouco menor do que a média, dependendo de cada caso. No entanto, se você quer saber um valor específico, é importante conhecer a taxa de juros Selic. Ela é a taxa básica de juros da economia e sempre será a menor taxa de juros do país. No entanto, o mais importante é acompanhar a sua evolução. Se ela cair, então a taxa de juros que era interessante ontem, já não é hoje, e por aí vai.

Outra dica é observar os relatórios de juros do Banco Central. O órgão acompanha as taxas de juros de todos os bancos. Com isso, você poderá saber a média de cada mês e ver se a taxa de juros oferecida é maior ou menor do que o padrão do mercado.

Pronto! Agora você já sabe como avaliar e escolher a taxa de juros do financiamento que quer pegar, o próximo passo é começar a planejar essa aventura para realizar suas conquistas, e para isso, você precisa entender como evitar imprevistos financeiros.

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.