Finanças para casais: como lidar com o dinheiro na vida a dois?

Quando o assunto é finanças para casais, é preciso saber como administrar o dinheiro para conservar a relação e atingir objetivos. Entenda neste post!

Categoria: Orientação Financeira

Quando duas pessoas decidem morar juntas, elas não estão somente unindo seu amor e afeição: também conectam seus ganhos, contas, dívidas e objetivos futuros. Em razão disso, é importante saber como administrar as finanças para casais.

Para lidar com o dinheiro na vida a dois, é preciso que ambos tenham foco e disciplina para realizar objetivos, como comprar um carro juntos ou adquirir uma casa própria. Por isso, a educação financeira é indispensável para que o casal saiba como economizar e gastar, bem como evitar dívidas — que podem vir em dobro.

Neste artigo, você vai conhecer as melhores dicas de finanças para casais. Continue com a leitura e aprenda a concretizar esse controle de forma eficiente com o seu parceiro ou parceira.

Como a saúde financeira afeta um relacionamento?

A saúde financeira serve de termômetro para a boa convivência do casal. Conheça os principais conflitos causados por dinheiro em um relacionamento e como evitá-los.

Esconder compras ou dívidas

A confiança é a base de um relacionamento e não é diferente com a parte financeira. Omitir ou mentir sobre gastos é uma questão muito delicada que pode se manifestar de diversas maneiras:

- compras impulsivas e inocentes (roupas, calçados ou videogame escondido, por exemplo);

- estourar o limite do cartão;

- emprestar dinheiro para alguém em segredo.

Essas situações geram desconfiança e precisam ser evitadas a todo custo para que a vida do casal permaneça plena.

Discordar sobre a divisão das despesas da relação

Muitas pessoas discordam sobre a divisão de compromissos quanto às despesas da casa. Existem aquelas que acham que uma deve assumir as responsabilidades recorrentes (alimentação, aluguel e demais contas de consumo), enquanto a outra cuida de objetivos de longo prazo (aposentadoria e investimentos).

É indispensável que os dois concordem com isso. Nenhum plano financeiro vai funcionar se o casal não fechar um acordo mútuo. Logo, é importante que ambos atuem juntos e definam a melhor estratégia para as suas finanças.

Não falar sobre finanças e planos

Em geral, casais não acham necessário falar sobre finanças e planos, mas é importante que esses assuntos estejam presentes na conversa a dois. A recomendação é que ambos criem e definam uma estratégia conjunta. Também é válido considerar a construção de patrimônios (como um carro do ano e/ou um imóvel próprio) e outros objetivos (como viagens internacionais).

Como lidar com o dinheiro a dois?

Cuidar das finanças a dois é um desafio e tanto. Conheça as melhores dicas para fazer isso com eficiência, bem como conservar sua relação conjugal por meio da estabilidade financeira.

Não abram mão de planos individuais

Pode causar estranheza a primeira recomendação sobre finanças para casais abordar um assunto mais individualista, mas isso fará sentido em breve. Administrar as contas e o dinheiro de forma conjunta não significa abandonar seus propósitos e conquistas, nem mesmo o seu parceiro(a) deve abrir mão disso.

Cada pessoa é única e tem ambições próprias. Logo, é natural que existam coisas que você queira obter e não sejam interessantes para o seu cônjuge, e o contrário também é uma realidade. Portanto, jamais desista desses objetivos, mas deixe claro que você os tem e quer conquistá-los a todo custo.

Façam o planejamento financeiro do casal

O segundo passo para organizar as finanças do casal é montar um planejamento. Uma sugestão é abrir uma conta conjunta, desde que estejam de acordo. Isso ajuda muito, pois todas as movimentações ficarão registradas em um único lugar, facilitando o controle financeiro.

Só que muita gente para por aí e esquece que isso é parte de um processo mais abrangente. É necessário levantar todos os gastos fixos (aluguel, plano telefônico, escola das crianças, internet etc.) e variáveis (água, luz, combustível, supermercado, lazer etc.).

Assim, é possível identificar as despesas que podem ser diminuídas ou eliminadas de forma definitiva ou temporária, bem como a parte do orçamento que precisa ser destinada ao pagamento de cada uma, inclusive das dívidas — estas devem ser pagas o quanto antes para desafogar as finanças da casa.

Com o plano e as contas em mãos, aumentam as chances de favorecer o gerenciamento do dinheiro do casal, considerando ganhos e gastos. Para melhorar essa análise e evitar erros, utilize aplicativos de controle financeiro. Por fim, atualize o planejamento periodicamente — afinal, planos e prioridades da família podem mudar com o tempo.

Estudem possibilidades de economia

A vida a dois garante uma série de modificações para evitar gastos desnecessários, o que melhora o nível de poupança do casal. É possível economizar até no banco: quem tem cartão de crédito (com a opção de um adicional) e contas conjuntas (prioritariamente digitais) pode economizar com tarifas e anuidades. Mas, para que isso funcione, é necessário ter bastante confiança e transparência entre as duas pessoas.

Tenham objetivos em comum

Quais são os objetivos do casal? Metas e desejos em conjunto ganham muito mais força e precisam ser levados a sério. Coloque expectativas viáveis e realistas no papel para evitar frustrações. É importante que ambos tenham um pensamento realista na hora de definir objetivos em comum.

Reformar a casa, comprar uma chácara, investir em um projeto de energia solar, fazer uma viagem inesquecível: o que mais pretendem fazer juntos? Levantem suas prioridades e poupem dinheiro para usufruir desses bens e momentos. Será muito gratificante quando alcançá-los, além de fortalecer a relação conjugal.

Criem um fundo de emergência

Por fim, é essencial criar um fundo emergencial, pois a vida é cheia de imprevistos e, se a cada urgência que surgir o dinheiro poupado e investido for gasto, os objetivos do casal nunca serão atingidos. Para evitar esse problema, crie uma reserva financeira a fim de ser usada somente em situações específicas, como em caso de desemprego, doença grave, necessidade de cirurgia, compra de medicamentos caros, dívidas elevadas etc.

Qual a importância do diálogo para a saúde financeira da família?

A parte financeira não deve ficar de fora da relação. É importante ter diálogos honestos e claros sobre isso para planejar os meses e evitar apertos. Parceria e confiança devem reinar para que o relacionamento seja saudável e duradouro. Logo, a manutenção de um casamento requer muita comunicação.

Aproveite o gancho do tema e conheça 9 dicas para controlar gastos por impulso.

Com o apoio das dicas de finanças para casais, é possível equilibrar as contas dentro de casa. Quanto mais esse assunto for tratado dentro de casa, mais entendemos sobre ele, o que elimina dúvidas e incertezas, deixando a vida mais leve. Com companheirismo e propósito, o conforto e a segurança a dois vira consequência.

Que tal aprimorar seus conhecimentos sobre vida financeira? Aproveite o gancho do tema e conheça 9 dicas para controlar gastos por impulso.

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.