Por que e como evitar compras por impulso na internet?

Com mudanças simples na rotina, você consegue evitar compras por impulso, repensar os seus hábitos de consumo e fazer um melhor uso do seu orçamento.

Categoria: Orientação Financeira

A internet mudou o jeito que as pessoas consomem novos produtos e serviços, não é mesmo? Afinal, comprar com alguns cliques no celular ou no computador, do conforto de casa, é, sem dúvidas, a definição de praticidade. Não é à toa que, segundo levantamento realizado pelo instituto PWC Brasil, 39% dos brasileiros deixaram de lado as lojas físicas por aquelas que são virtuais. Contudo, já dizia o ditado: nem tudo são flores! Com tanta facilidade e comodidade, há quem enfrente dificuldade para evitar compras por impulso.

Se você também lida com esse problema e se preocupa em comprometer o seu orçamento, não se preocupe. Neste post, você vai encontrar dicas valiosas para fugir das tentações online e controlar os próprios gastos. Acompanhe e se inspire nelas!

Os riscos das compras por impulso

Quando se fala sobre os riscos das compras por impulso, automaticamente você pensa em perder a mão e gastar mais do que ganha ao longo do mês, não é verdade? Isso é compreensível, já que todo mundo quer fechar o orçamento em dia e não ter dor de cabeça com as contas. A questão é que esse é só um dos problemas que podem surgir pela falta de controle — e é justamente sobre isso que vamos falar neste tópico. Fique atento!

Comprar coisas desnecessárias

Se você cede na primeira tentação que encontra na internet ou se deixa levar pela influência dos outros, não há para onde correr: cedo ou tarde você vai comprar coisas no calor do momento e só depois vai parar para analisar o que fez, percebendo que aquilo não é necessário e talvez nem chegue a ser usado.

Infelizmente, muitas pessoas passam por isso, mas só quando o produto já chegou na casa delas e o prazo para devolução e ressarcimento já passou. Ou seja, no final das contas, jogaram dinheiro fora.

Comprar produtos com preço elevado

Fora comprar coisas sem serventia no seu dia a dia, há grandes chances de você se deixar levar por produtos que até precisa e vão ser úteis, mas que, por se tratarem de lançamentos ou novidades, têm um preço mais elevado. Em alguns casos, são, inclusive, vendidos em pré-venda por um valor diferenciado (e, geralmente, bem acima da média).

Daí já viu: por não aguentar esperar, você coloca eles no carrinho de compras e gasta muito mais do que precisaria se tivesse se controlado e esperado passar algumas semanas ou meses. O grande "x" da questão é que isso se torna um hábito tão enraizado na sua vida que você desenvolve uma verdadeira obsessão em estar sempre entre as primeiras pessoas a ter aquele item que está na moda.

Dar presentes a si mesmo por estar se sentindo para baixo

Outro risco frequente das compras por impulso é tornar isso uma forma de se compensar por estar para baixo e com as coisas não dando certo. Isto é, todo o processo de pesquisar por algo que você gostaria de ter e pagar pelo objeto serve como um "remédio" para acabar com o estresse, a ansiedade, o mau humor e a angústia.

E de fato, funciona. Porém, você deve entender que isso é algo temporário e não resolve os problemas que você tem, apenas reduz os sintomas naquele momento. Inclusive, esse hábito acaba é criando outros — do tipo financeiro dessa vez!

Comprometer o limite do cartão de crédito

Além do que já foi dito, as compras por impulso podem levá-lo a desperdiçar o limite do seu cartão de crédito. O motivo disso é bem simples: ao encontrar algum produto que chama a atenção e não ter dinheiro disponível para pagar por ele à vista no boleto ou no débito, muita gente recorre ao cartão de crédito como o grande salvador nessas horas.

Daí é fácil imaginar o que acontece: por mais que o custo da compra seja baixo, quando ela se repete várias vezes ao longo do mês, os valores podem se acumular como uma bola de neve que não para de crescer. Ou seja, quando a fatura chega, o limite está estourado e o orçamento não fecha para arcar com ela.

Isso quando não ocorre o bom e velho parcelamento das compras. Afinal, há quem faça isso para reduzir a conta no fim do mês — o que pode ser, sim, uma boa solução. O problema é que se você consome demais e perde o controle de quantas parcelas deve pagar, elas vão ficar uma em cima da outra e podem comprometer a sua renda a longo prazo.

Cair em golpes na internet

Por fim, é impossível não citar o risco de cair em golpes na internet. Isso porque indivíduos mal-intencionados aprimoram dia após dia as técnicas e artimanhas para roubar dados pessoais e bancários dos usuários da rede.

Para se ter ideia, entre agosto de 2018 e agosto de 2019, cerca de 12 milhões de pessoas foram vítimas de algum tipo de fraude online, como aponta a pesquisa do SPC Brasil. Bastante gente, não é? Isso acontece não só pela falta de prática em comprar na internet como alguns podem apontar, mas principalmente por esse hábito ser algo tão comum na rotina dessas pessoas que elas se descuidam da própria segurança e não analisam se:

  • as lojas virtuais têm certificado de segurança e criptografia;
  • os sites que acessam são, de fato, os oficiais das marcas ou páginas falsas;
  • os sites mostram o CNPJ e outros dados da loja (como endereço e telefones);
  • o próprio computador está com proteção antivírus ativada;
  • ao emitirem boletos, os dados deles batem com as informações da empresa;
  • os e-mails que recebem são de canais oficiais das marcas e não têm links suspeitos.

A internet como facilitadora de compras por impulso

A internet se tornou facilitadora das compras por impulso por conta de uma série de fatores — que vão desde problemas enfrentados pelos clientes em estabelecimentos físicos até os diferenciais do serviço virtual.

Por isso, você vai descobrir detalhadamente quais são eles, e assim poder ficar atento àquilo que estimula a gastar quando está online. Veja!

Comprar de qualquer lugar e em qualquer horário

Poder comprar aquilo que você quer de qualquer lugar e independentemente do dia e da hora é, sem dúvidas, um dos grandes diferenciais da internet. Ela lhe dá essa liberdade e permite que você não tenha mais que organizar a sua agenda para ir até determinado estabelecimento comprar o que deseja (ou precisa) durante o horário comercial.

Na rede, acontece o oposto: são as lojas que ficam disponíveis para você e fazem de tudo para chamar a sua atenção com as melhores ofertas, vantagens na compra, diversidade de pagamento etc.

Pagar pelo produto sem pegar filas

Como você não precisa mais ir até as lojas físicas, não enfrenta um problema que irrita muita gente que frequenta o comércio presencial: as filas — especialmente aquelas longas e que parecem demorar uma eternidade.

Na internet, você leva o tempo que precisa para escolher o que quer e, assim que termina, pode concluir a compra, pagar e dar continuidade às suas outras atividades em casa ou no lugar que estiver. Bom demais, né?

Achar preços mais em conta

Outro diferencial da internet é que você encontra vários produtos por um preço mais atrativo do que nas lojas físicas. Isso acontece justamente porque as empresas não têm os gastos que teriam se atuassem apenas com estabelecimentos físicos. Logo, elas podem baixar o valor dos itens e você, como consumidor, sai ganhando.

Encontrar de tudo na internet

Se você já bateu perna de loja em loja e percorreu shopping centers atrás de um produto e não encontrou ele à venda ou disponível no tamanho/formato que gostaria, nem sempre é fácil encontrar uma boa variedade de itens.

Acontece que na internet isso é difícil acontecer esse problema. Afinal de contas, você pode procurar por algo não só nas lojas da sua cidade, mas também em outros municípios, estados e até em diferentes países. Basta apenas alguns cliques.

Ter novidades em primeira mão

Fora os problemas já citados, quem mora em cidades pequenas e do interior costuma ter outra dificuldade nas lojas físicas: o atraso na chegada de produtos que são novidades. Como eles precisam ser reservados, contabilizados e enviados por todo o país, é comum que eles cheguem em datas diferentes de uma região para a outra.

Já na internet, por outro lado, não há nada disso. Todo mundo tem acesso ao item assim que ele é lançado e pode comprá-lo ou reservá-lo nesse exato momento, não importa se você está no Ceará, no Rio Grande do sul ou no Amazonas.

Acesso às avaliações do produto por outros compradores

Um terceiro diferencial da internet é que ao mesmo tempo que você avalia o produto e as informações dele no site da empresa também pode abrir uma segunda aba no navegador e pesquisar pelas avaliações de outros compradores. Isso porque não faltam pessoas que expõem o que acharam da experiência de compra e da qualidade do item.

Você pode encontrar essas avaliações na página da marca, nas redes sociais dela, em sites de reclamação e em canais do YouTube que se especializam em fazer resenha de produtos.

Como evitar as compras online por impulso

Nos tópicos anteriores, falamos sobre o porquê de a internet facilitar tanto as compras por impulso e quais são os riscos de ceder à tentação e sair comprando tudo o que vê pela frente. Agora, é o momento de mostrar como você pode dar um basta nisso com medidas simples e eficientes que o ajudam a corrigir e a melhorar os seus hábitos de consumo e, de quebra, economizar dinheiro. Confira!

Não salve o cartão em sites ou aplicativos

A primeira dica é simples e direta: não deixe salvo os dados do seu cartão de crédito nos sites ou aplicativos de celular que você usa diariamente, visita ou tem algum tipo de cadastro. Tenha em mente duas coisas. A primeira é que essas informações podem ser rastreadas ou clonadas por pessoas mal-intencionadas que invadem páginas na rede com o objetivo de dar golpes. Portanto, é uma questão de segurança.

A segunda, por sua vez, é que, ao fazer isso, você pode ficar psicologicamente mais favorável a ignorar a razão e a lógica e comprar algo por puro impulso. Afinal, não vai ser preciso preencher os dados para pagamento. Já está tudo lá, basta clicar em "efetuar pagamento" e pronto. Você consegue perceber como isso facilita e estimula essas atitudes de forma inconsciente?

Deixe de receber e-mails de promoção

Se você já identificou que uma boa promoção é o seu ponto fraco e faz você gastar mais do que deveria, comece hoje mesmo a cortar o seu acesso a elas. Uma boa forma de fazer isso é entrar no seu e-mail particular e cancelar a inscrição nos e-mails promocionais que as marcas enviam para os clientes para falar sobre descontos, ofertas, liquidações, semanas do consumidor, entre outras propagandas.

Ao fazer isso, você não corre mais o risco de se deparar com aquela promoção capaz de deixar seus olhos brilhando e o coração acelerado e, de quebra, fica livre de notificações para lá de incômodas no celular — caso você tenha o aplicativo do e-mail no seu aparelho.

Fique atento com os desejos despertados por influenciadores

Atualmente, é difícil encontrar alguém que está nas redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter etc.) e não segue, pelo menos, um influenciador digital. Pode ser um blogueiro, um youtuber, um atleta, um ator, um cantor, um decorador, um humorista e por aí vai. Se você também faz isso, bem-vindo ao time!

No entanto, é preciso tomar cuidado ao acompanhá-los. Isso porque muitas das publicações que eles fazem são patrocinadas por empresas e têm o intuito de vender produtos ou serviços para os seguidores deles.

É por isso que eles recebem o nome de influenciadores, pois vão lhe influenciar em muitas coisas — incluindo nos hábitos de consumo. Portanto, ao perceber uma foto, um vídeo ou uma mensagem na qual o influenciador fala sobre alguma marca, procure não tomar aquilo como verdade absoluta.

Os produtos e serviços podem, sim, ser boas indicações e descobertas — o que certamente vai tornar a experiência de usá-los ainda mais legal. Porém, antes de já colocá-los no carrinho de compras, é interessante pesquisar sobre a empresa, se algum conhecido seu já comprou da loja online e o que os outros consumidores têm a dizer na internet, especialmente em sites de reclamação.

Não se deixe levar na onda das promoções

Uma quarta dica é não se deixar levar na onda das promoções, por mais tentadoras que elas sejam. A gente sabe que muitas marcas lançam ofertas diárias e liquidações de tempos em tempos, dão descontos em datas comemorativas (como seu aniversário ou a época de Natal) e ainda investem pesado em grandes queimas de estoque na black friday.

A questão é que o objetivo delas é incentivar o consumo e manter você comprando regularmente os produtos que elas vendem. É por essa razão que as promoções são tão recorrentes. Portanto, evite ter contato com anúncios e comerciais que as divulgam, especialmente se você já sabe o dia em que elas vão ocorrer.

Crie o hábito de pesquisar por itens mais em conta

Precisa fazer compras para sua casa ou para uso pessoal? Então seja esperto e foque em economizar dinheiro. Para isso, é muito simples: não compre na primeira loja virtual que você encontrar, certo? Ao contrário, faça uma lista das empresas que vendem o produto que você quer, entre no site delas e pesquise por esses itens.

A partir daí, você pode comparar não só os preços cobrados, mas também as condições de pagamento, o valor do frete (se houver) e a possibilidade de usar cupons ou conseguir descontos. Assim, é possível encontrar os produtos com o melhor custo-benefício e, se duvidar, até com o menor tempo de entrega. Tá bom ou quer mais?!

Concentre-se nos produtos de sua necessidade

Antes de fazer uma nova compra, pare e faça algumas perguntas a si mesmo sobre o porquê de pagar por determinado produto. Isso pode tomar alguns minutos, é verdade, mais será bastante útil para identificar se o que lhe move é necessidade ou impulsividade, viu? Abaixo, há alguns exemplos de questionamentos. Veja.

  • Quantas vezes por dia ou por semana vou usar esse item?
  • Vai valer a pena pagar frete nesse material (e até taxa de envio internacional), mesmo que eu só o use uma vez ou outra?
  • Preciso urgentemente desse produto ou posso esperar um tempo até que o preço dele fique mais em conta?
  • Estou procurando pelo produto ou por uma marca específica que o fabrica/vende? Se é a primeira opção, posso pesquisar por modelos mais baratos?

Evite acessar lojas virtuais se o seu dia estiver ruim

Do mesmo jeito que é importante estar com um bom equilíbrio emocional para trabalhar e ganhar dinheiro, também é preciso estar com a cabeça boa na hora de fazer compras. Isso porque, como já comentamos, quando você está em um dia ruim pode acabar atrás de:

  • presentar a si mesmo para se sentir melhor;
  • gastar com comida sem pensar no amanhã;
  • apostar dinheiro em jogos virtuais e presenciais para ver se a sua sorte muda;
  • pagar por passeios, eventos ou programas muito caros só para se distrair.

Por isso, caso você não esteja bem e sinta que a sua mente está sobrecarregada, tente manter a calma e relaxar. Tome um banho, pratique exercícios físicos, desabafe com um amigo ou familiar, escute músicas que o lembram de coisas boas, veja aquele filme/série que você adora ou então vá dormir mais cedo para ter mais horas de descanso.

A importância do planejamento financeiro para evitar comprar por impulso

Para concluir, não dá para deixar de fora por que é importante ter educação financeira para planejar o próprio orçamento e como isso contribui diretamente para evitar compras por impulso. Por isso, aqui seguem três dicas essenciais para você!

Tome nota das suas despesas mensais

Se você não tinha o costume de tomar nota das suas despesas mensais, reveja isso! Controlar quais são os seus gastos, por que eles são gerados e quando eles são pagos é essencial para se ter uma ideia mais clara do que você tem feito com seu o dinheiro e se tem usado ele de forma inteligente (ou talvez nem tanto).

Tomar essa medida é tão útil que, além de ajudá-lo a identificar o quanto suas compras por impulso têm custado ao seu bolso, permite cortar despesas que não são necessárias, parar de atrasar contas — e com isso pagar multa — e ajustar o seu padrão de vida ao seu orçamento.

Monte o seu pé de meia

Ao adotar um controle financeiro pessoal e colocar o orçamento, como diz o ditado, na rédea curta, dá para você iniciar o seu próprio pé de meia. Basta definir um valor mensal e reservá-lo a cada 30 dias. Esse dinheiro pode servir futuramente para cobrir suas necessidades, os imprevistos domésticos, aquela aguardada reforma no lar, a tão sonhada viagem de férias, um tratamento estético e por aí vai.

Guarde uma parte do salário para gastos da rotina

Além do dinheiro para o seu pé de meia, não se esqueça de guardar uma parte do seu salário na sua conta-corrente para os gastos do dia a dia. Esse valor servirá como um teto de gastos e vai ajudá-lo a ter mais autocontrole e a resistir aos seus impulsos. Afinal, você treinará o seu psicológico para encarar essa quantia como a única existente, esquecendo que existem cartões de crédito, carnê, crediário e poupança.

Sim, no início vai ser mais difícil e as tentações vão parecer maiores do que são. Porém, ao se acostumar com essa medida, você se surpreenderá em como a sua vida financeira pode ser outra a partir de uma mudança de comportamento.

Como mostrado, evitar compras por impulso não é algo impossível. Porém, é preciso que você se empenhe e adote algumas mudanças necessárias na sua rotina, como reavaliar os seus hábitos de consumo e adotar um planejamento financeiro. O melhor de tudo é que essas sugestões são úteis não só para quem compra online, mas também para quem adora bater perna em lojas físicas, viu?

Curtiu nossas dicas e vai colocá-las em prática? Pois aproveite e compartilhe-as, por meio das redes sociais, com os seus amigos que também precisam de ajuda para controlar os gastos na internet!

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.