6 erros frequentes na hora de pedir o empréstimo e como evitá-los

Veja dicas para evitar alguns dos erros mais comuns na hora de pedir um empréstimo neste artigo!

Categoria: Crédito

Categoria: Crédito

Está precisando de um dinheiro para resolver alguma situação urgente e quer pedir empréstimo pessoal em um banco? Antes disso, saiba que existem alguns erros na hora de pedir o empréstimo que precisam ser evitados para que você não fique inadimplente ou atrase o pagamento de parcelas.

Quer saber quais são eles? É só continuar lendo!

1. Não pesquisar as condições e os tipos de empréstimo

Por mais que uma oferta de crédito pareça ótima à primeira vista, é importante dar aquela pesquisada nas suas taxas de juros e no prazo de pagamento. A facilidade na concessão pode esconder juros elevados, que poderão comprometer o seu orçamento em médio e em longo prazo, podendo até mesmo forçar você a pedir outro empréstimo. E você não quer passar por apuros financeiros, não é?

Veja também se a opção desejada permite antecipar parcelas. Dessa forma, caso consiga juntar uma boa quantia antes do término das parcelas, você poderá adiantar o pagamento total do crédito.

Caso não seja possível adiantar muitas parcelas ou haja pouco desconto nos juros, mesmo que tenha conseguido o valor para pagar tudo o que falta, você acabará “preso” às parcelas e terá que pagar os seus encargos a mais.

Também é importante pesquisar bem os diferentes tipos de crédito que existem no mercado, como o empréstimo consignado, o empréstimo com garantia, o empréstimo pessoal etc. Eles têm características específicas que os tornam mais ou menos vantajosos para diferentes necessidades. Uma pesquisa a mais e você poderá encontrar uma opção muito melhor para o que deseja ou precisa!

2. Pegar um valor acima do que pode pagar

Muitas vezes, você se vê em uma situação em que precisa solicitar um empréstimo sem desejá-lo. Isso pode fazer com que você escolha parcelas maiores, tanto para quitá-lo o mais rápido possível quanto para evitar pagar muitos juros.

O problema disso é arcar com parcelas maiores do que sua condição financeira atual permite lidar. Isso pode levar à inadimplência, ao pagamento atrasado das parcelas (gerando multas) ou até mesmo à solicitação de outros empréstimos. Para evitar esse tipo de situação, é importante avaliar bem a sua situação financeira e contratar parcelas que cabem dentro do seu orçamento mensal, sem comprometer as outras conquistas que você quer alcançar!

3. Não ler o contrato detalhadamente

Leia o contrato de empréstimo detalhadamente. Não adianta fugir das letrinhas miúdas e muito menos ter preguiça na hora de analisar o contrato, pois isso pode livrar você de muitos problemas. Sendo assim, avalie pontos como:

  • taxas de juros, multas por atraso e outros encargos;
  • prazo para pagamento;
  • possibilidade de antecipar parcelas e como isso pode ser feito, bem como o percentual de desconto envolvido nas antecipações;
  • o que acontece se ficar inadimplente;
  • possibilidade de renegociação (vale perguntar ao banco se não estiver em contrato);
  • como poderá controlar o pagamento das parcelas (em que sistema poderá consultá-los);
  • como os boletos serão enviados para você;
  • quais são os canais de atendimento da instituição financeira etc.

Quanto mais informado sobre o empréstimo você estiver, menor tende a ser a probabilidade de você ser pego de surpresa e acabar se endividando. Afinal, ser alguém prevenido é importante!

4. Não entender o que compõe a dívida

Outro descuido é observar apenas os juros cobrados e se esquecer de outras despesas, “taxinhas”, impostos e demais encargos presentes no empréstimo. O mesmo vale para seguros. Aliás, a somatória deles forma o chamado Custo Efetivo Total (CET), cuja planilha/tabela de cálculo deve ser fornecida ao tomador de crédito pelo banco.

Por isso, ao buscar crédito, lembre-se de solicitar o cálculo do CET para saber realmente qual será o custo do empréstimo desejado. Às vezes, um crédito com juros menores pode ter um CET maior do que outra modalidade com juros maiores. E isso pode pegar muitas pessoas de surpresa. Você não quer ser uma delas, não é?

5. Não se planejar para utilizar o dinheiro da melhor forma

Pegou um empréstimo, passou um tempinho, e parece que o dinheiro evaporou? Pior, ainda há dezenas de parcelas para quitar? Isso pode ter sido falta de planejamento sobre como gastar o dinheiro emprestado.

É fundamental listar todos os objetivos para os quais o dinheiro será usado e evitar gastar com coisas não relacionadas, especialmente se forem desnecessárias ou supérfluas. Ter uma boa grana na mão pode despertar um desejo grande de gastá-la com uma série de coisas, como jantar fora, comprar itens para a casa, fazer vários passeios etc.

Mas isso pode fazer com que não só o dinheiro acabe, como ele não seja usado para a finalidade para o qual foi pego. Por isso, planeje bem o que fazer com ele e busque se disciplinar na hora de gastá-lo.

6. Não planejar o pagamento

Além de organizar a forma como utilizar o dinheiro obtido no empréstimo, também é importante montar um bom planejamento financeiro para pagar as parcelas em dia. Caso contrário, você poderá conseguir o crédito e depois não saberá como pagá-lo. Para evitar isso, responda questões como:

  • De onde virá o valor das parcelas?
  • Qual é a porcentagem da sua renda pessoal ou familiar que será usada para quitar as parcelas?
  • Se algum imprevisto impedir você de usar essa porcentagem de renda, existe outra fonte de recurso que pode ser empregada para pagar as parcelas?

Vale reforçar a importância de checar as condições de pagamento do empréstimo e a possibilidade de renegociação caso não consiga quitá-lo, bem como os juros dessa renegociação. Certos bancos colocam à disposição a mudança de um crédito mais “caro” para outra modalidade, com menos juros e condições relativamente melhores, quando nota parcelas em atraso.

Esse último erro pode ser pior se tiver colocado como garantia algo importante para você, pois esse bem poderá ser tomado para garantir o pagamento do valor em aberto. Se pegou um empréstimo com garantia, planeje com antecedência a forma de pagá-lo para evitar esse tipo de problema.

Normalmente, pedir empréstimo é uma alternativa para quem quer pagar contas e resolver pendências urgentes. Mas, se não houver cuidado com esse processo, é possível ter surpresas desagradáveis que poderão ofuscar os objetivos alcançados com o crédito. Por outro lado, quando há um bom planejamento e muita atenção com as regras do empréstimo desejado, dá para ter benefícios que vão alavancar os seus sonhos!

Agora que já sabe como evitar esses erros na hora de pedir o empréstimo, está mais confiante para solicitar um crédito? Se sim, aproveite agora e descubra como funciona o crédito pessoal BV!

Atendimento BV