7 tipos de fraudes financeiras para ficar ligado

Existe uma infinidade de fraudes financeiras que podem nos pegar em momentos de descuido. Conheça as que você precisa ficar ligado.

Categoria: Segurança

Categoria: Segurança

“Atualize seus dados cadastrais”, “clique aqui e baixe o app”, “você possui uma dívida pendente”. É provável que você já recebeu mensagens esse tipo por SMS ou e-mail. Mas o que parece um aviso, pode se tratar de um dos diversos tipos de fraudes financeiras.

Golpes que envolvem dinheiro e roubo de informações pessoais estão cada vez mais frequentes. Segundo um estudo feito pela Agência Brasil, 1,9 milhão de ações fraudulentas foram realizadas contra brasileiros no primeiro semestre de 2021, representando um crescimento de 15,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Essa realidade comprova a necessidade de estar sempre alerta para evitar prejuízos e dores de cabeça. Para se proteger disso, alguns cuidados são essenciais. A seguir, conheça os principais tipos de fraudes financeiras e saiba como fugir delas.

1. Boleto falso

As dívidas comprometem o orçamento de qualquer pessoa, mas redobre a atenção quando boletos chegarem por e-mail ou mensagens instantâneas. Esse é um tipo de golpe que, apesar de ser antigo, ainda faz muitas vítimas.

O fraudador inventa dívidas que não existem, alegando que você pode ficar negativado ou sofrer um processo caso não as pague a tempo. Muita gente paga sem pensar duas vezes, não conferindo a identidade de quem emitiu o documento. Aí já é tarde demais. Para se prevenir, siga as recomendações a seguir:

- desconfie de boletos de contas de consumo e planos telefônicos enviados ao seu endereço fora da data convencional;

- instale antivírus no celular e no computador para detectar spams de forma imediata;

- prefira boletos emitidos diretamente no site da loja ou do banco;

- tenha cuidado em relação às contas pagas mensalmente, observando se já foram quitadas, para evitar de pagar um título falso semelhante ao original;

- verifique todos os dados do boleto antes de realizar o pagamento, como informações da empresa beneficiária (CNPJ, endereço e contatos).

2. Depósito antecipado para liberação de empréstimos e financiamentos

A fraude do depósito antecipado para empréstimos e financiamentos acontece em empresas de fachada que oferecem “crédito fácil e imediato sem burocracia”. Negócios de esquina, agiotas e sites piratas praticam esse delito. Além disso, alguns criminosos se passam por representantes de marcas conhecidas para gerar confiança na vítima e aplicar o golpe.

Basicamente, os alvos são pessoas com CPF negativado que não têm comprovante de renda e estão precisando de dinheiro urgente. Fraudadores solicitam pagamento de uma taxa camuflada (pagamento da primeira parcela, tarifa de cartório etc.) para aprovar o crédito. Só que, após pagar o valor, o empréstimo não é aprovado e o dinheiro não é ressarcido.

Para não ser mais uma vítima desse golpe, escolha bem a empresa de empréstimo ou financiamento para fechar negócio. Algumas dicas são:

- recusar ofertas de empréstimos e financiamentos por telefone ou mensagens;

- verificar o site oficial da instituição e confirmar se tem certificados de segurança;

- investigar se a marca está regularizada no Banco Central;

- consultar opiniões de outros clientes.

3. Cartão de crédito

Os golpes financeiros com cartão de crédito ocorrem em estabelecimentos ou na internet. Essa é uma fraude em que os criminosos abusam da criatividade. Conheça os exemplos mais recorrentes:

- confirmação de dados: quando a vítima recebe contato de fraudadores em nome de bancos ou administradoras de cartão pedindo para que confirme dados e senhas;

- compra duplicada: quando funcionários de caixas de estabelecimentos simulam erro na maquininha e fazem o comprador repetir a transação, pagando duas vezes o mesmo valor;

- compra em sites falsos: quando hackers criam páginas de login espelhadas de bancos ou lojas virtuais, fazendo a vítima informar seus dados de acesso.

Algumas recomendações simples ajudam a evitar esses problemas:

- crie combinações complexas para suas senhas e as deixe sempre ocultas;

- confira sua fatura diariamente;

- não entregue seu cartão para ninguém;

- configure confirmação de compras via SMS ou push;

- não deixe os dados do seu cartão em sites desconhecidos;

- invista no seguro cartão protegido;

- em caso de perda, furto, roubo ou desconfiança de fraude, bloqueie o cartão e solicite um novo.

4. Phishing (roubo de dados)

Phishing é um termo inglês que significa pescaria, pois o golpe corresponde a "pescar" vítimas que fornecem dados pessoais aos criminosos ao serem atraídas por mensagens persuasivas.

As pessoas recebem e-mails, links falsos, mensagens de texto e SMS de indivíduos mal intencionados com o objetivo de fisgá-las e colher dados sensíveis. Assim, por meio do roubo de dados no celular, é possível descobrir registros bancários, senhas, dados do cartão de crédito, endereço e renda das vítimas.

Em geral, esse tipo de golpe vem acompanhado de um texto alarmista “evite a negativação do seu nome” ou por ofertas exorbitantes “você ganhou x reais, resgate agora mesmo”. Para evitar dores de cabeça, desconfie de mensagens exageradas, assim como bloqueie e denuncie spams de cobranças e de prêmios duvidosos.

5. Investimento fake (pirâmide financeira)

Uma das fraudes mais comuns é o investimento fake, ou pirâmide financeira. Tudo começa com um negócio com promessa de alta lucratividade e retorno rápido. A vítima injeta um valor inicial e, depois, precisa trazer novas pessoas para aumentar sua comissão.

O problema é que o lucro nunca chega. Em algum momento, a liderança do negócio some do mapa e todo o sistema é derrubado. Na internet, o método se atualiza constantemente. Agora existem anúncios e páginas anunciando “investimentos com rentabilidade superior a 20%”, um retorno muito acima em relação aos produtos financeiros tradicionais.

Se quiser investir para montar sua reserva de emergência, pesquise sobre a idoneidade do negócio e consulte a opinião de clientes. Escolha uma empresa ou consultor financeiro que tenha renome e reconhecimento no mercado de ações.

6. Golpes no WhatsApp

Fraudadores clonam o celular e se passam pelo dono do WhatsApp pedindo dinheiro urgente para contatos próximos (familiares e amigos). Nesse caso, todos ficam no prejuízo por acreditarem que estão ajudando. Em outra situação, o dono do smartphone é o único prejudicado. O golpista o convence a informar código de acesso do aplicativo de mensagem para obter total acesso.

Além de bloquear contatos de pessoas desconhecidas que se passam por representantes comerciais ou especialistas no WhatsApp, boas práticas também são:

- acionar a verificação em duas etapas do app;

- desconfiar de pedidos de dinheiro pelo WhatsApp, mesmo que de pessoas conhecidas;

- não clicar em links suspeitos;

- não usar a mesma senha para diferentes aplicativos.

7. Transações com criptomoedas

Quando surgiram no mercado financeiro, muita gente acreditou que as criptomoedas ameaçariam o futuro dos bancos centrais mundiais e as estruturas financeiras. Mas, com a popularização das criptos e a evolução tecnológica, surgiram diversos especuladores. Conheça os golpes de transação com criptomoedas mais praticados:

- criptoativos inovadores: ofertas de supostas novas moedas virtuais que fazem pessoas desavisadas comprarem ativos que não existem, e os golpistas somem com todo o dinheiro;

- corretoras falsas: hackers lançam plataformas falsas e, quando a pessoa “comprar ativos”, o dinheiro cai na conta dos fraudadores

Para fugir dessas situações, tome os seguintes cuidados:

- conheça o mercado financeiro;

- desconfie de promessas de ganhos exageradas;

- proteja seus dados pessoais;

- invista em criptomoedas conhecidas, como Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH), Binance Coin (BNB) etc.

Como visto, existem diversos tipos de fraudes financeiras que podem ser evitadas. Basta ter conhecimento sobre o assunto e duvidar de mensagens exageradas e ofertas muito fáceis, afinal não existe almoço grátis.

Aproveite o gancho da leitura para conhecer mais algumas dicas de como evitar golpes financeiros.

 

Através do nosso blog você tem acesso às informações atualizadas e relevantes do mercado financeiro. No entanto, as informações aqui apresentadas têm como única intenção o caráter informativo, estando baseadas em dados de conhecimento público, não significando, portanto, quaisquer compromissos por parte do Banco BV e não constituem uma obrigação ou um dever para o leitor. O conteúdo disponibilizado é elaborado por terceiros e publicado pelo Banco BV. O Banco BV e suas empresas coligadas se eximem de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material e de seu conteúdo. Dúvidas, sugestões e reclamações, entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente pelo telefone 0800 728 0083 ou pelo e-mail sac@bv.com.br. Deficientes Auditivos e de Fala: 0800 701 8661. Se desejar entrar em contato com a Ouvidoria, ligue para 0800 707 0083 (Deficientes Auditivos e de Fala: 0800 701 8661)

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.