4 dicas para você não cair em golpes financeiros no WhatsApp

Neste post, você vai aprender as melhores dicas de como evitar golpes financeiros por WhatsApp.

Categoria: Segurança

Categoria: Segurança

Uma oferta irrecusável, uma ligação de um número estranho ou até uma pessoa próxima pedindo para que você pague uma conta ou faça um depósito bancário para salvá-la de uma situação difícil. Essas são as ocorrências mais comuns que levam aos golpes financeiros por WhatsApp.

O número de vítimas feitas nesse popular aplicativo chegou a cerca de 500 mil usuários no Brasil, somente em 2020. A análise vem do laboratório de segurança digital da PSafe (dfndr lab), que fez um levantamento sobre a situação da cibersegurança no país.

Pensando nesse cenário, reunimos tudo que você precisa saber sobre fraudes financeiras no WhatsApp e como evitá-las da melhor forma. Confira!

Como se prevenir de golpes financeiros por WhatsApp?

Felizmente, existe uma série de dicas para evitar esse tipo de situação. Listamos as 4 principais.

1. Analise o link e o domínio

Ligue seu “desconfiômetro” sempre que receber links por WhatsApp sem ter solicitado ou iniciado uma conversa. Isso porque eles podem ter sido alterados de forma sutil para que você pense serem verdadeiros.

Confira com atenção as palavras utilizadas no link para saber se é autêntico ou não. Uma forma de detectar fraude é avaliar o domínio, ou seja, a essência (marca) do endereço. Os domínios do banco BV, por exemplo, são bancobv.com.br e bv.com.br, se um esses caracteres estiverem presentes no início do link, independentemente do seu tamanho, certamente o endereço é verdadeiro.

Além disso, observe se há golpe holográfico no endereço, que consiste em alterar letras ou números de marcas conhecidas, como amaz0n, banc0Bv, etc. Por fim, vale conferir como o endereço é terminado: “br”, “.org”, “.edu” e “.gov” são mais confiáveis do que “.biz”, “.info” e “.net”.

2. Não compartilhe seu código de autenticação do WhatsApp

Se alguma pessoa estiver disposta a roubar sua conta, ela precisará do serial de autenticação do WhatsApp enviado por SMS para seu número de celular. Essa numeração é útil para concluir a confirmação de uso do aplicativo, principalmente quando você troca de aparelho. Dessa forma, você tem controle da sua conta.

Portanto, jamais compartilhe seu código com ninguém para que não usem sua conta e falem com seus contatos como se fossem você. Ele é único e exclusivo do usuário.

3. Ative a confirmação em duas etapas na sua conta

Esse procedimento atua como uma senha extra para acessar o seu WhatsApp. Ele inclui uma etapa de segurança à conta, pois o indivíduo que quiser acessá-la por meio de outro celular precisará de um código de seis dígitos, dificultando o roubo da conta.

Para isso, basta:

Abrir o aplicativo do Whatsapp;

Clicar em “Ajustes”;

Clicar em “Conta”;

Clicar em “Confirmação em duas etapas”;

Definir sua senha.

Agora, toda vez que você acessar esse aplicativo deverá informar essa numeração. Jamais repasse para outras pessoas.

4. Não instale nada que recebeu de mensagem

Nunca acesse, baixe ou instale nada que recebeu por mensagem de texto no WhatsApp, pois pode conter vírus, mesmo que seja de uma empresa conhecida. Nesse caso, confirme no site oficial se a marca realmente tem tais aplicativos ou programas no seu catálogo.

O que fazer se identificar golpes financeiros por WhatsApp?

Caso você seja vítima de um hacker, não se desespere. Devido à criptografia de ponta, o invasor não poderá ler os diálogos anteriores, já que ficam salvos no seu celular. Veja como proceder em casos desse tipo.

Recupere sua conta no seu celular

Abra o WhatsApp, coloque seu número de celular, espere o recebimento do código de confirmação via SMS e siga as instruções na tela. Quando você digitar essa numeração, a pessoa que estiver utilizando sua conta será banida automaticamente.

Faça um BO

Caso tenha sido vítima de alguma fraude financeira, faça um boletim de ocorrência com o número que falou com você, para que a polícia possa agir contra os fraudadores. Isso é essencial para combater esse problema e evitar que outras pessoas também sofram esse transtorno.

Com essas recomendações para evitar golpes financeiros por WhatsApp, é possível fugir de muitos problemas. Para isso, basta ter atenção quanto às mensagens e links recebidos, além de reforçar as medidas de segurança do app e do celular.

Bônus: Quais são os golpes mais comuns?

Existe uma infinidade de abordagens que podem colocar suas finanças em risco e forçar uma reeducação financeira. Veja alguns tipos.

Phishing

Atualmente, o phishing é o mais comum. O termo vem do inglês “pescar”, o que já diz muito. O golpe espera que os usuários sejam “fisgados”. Nesse caso, ele é utilizado para roubar dados pessoais, como:

- nome completo,

- contas bancárias;

- RG e CPF;

- códigos de segurança;

- dados de cartão de crédito;

- senhas.

Essa abordagem induz as vítimas ao erro para que façam algo ou forneçam informações, a fim de movimentar dinheiro. Em geral, a tática é a mesma: hackers disparam mensagens parecidas com as originais e assim conseguem obter registros das pessoas que são ludibriadas.

Veja as abordagens mais recorrentes de phishing.

SMS

Esse golpe ocorre quando uma pessoa compartilha um código de SMS com o estelionatário. Essa é a numeração que o WhatsApp envia para autenticar o seu smartphone quando o app é instalado. Com esse código em mãos, o criminoso instala a sua conta em outro aparelho e fala com sua lista de contatos para pedir dinheiro.

Existem diversas formas de enganar os usuários do aplicativo. Por exemplo, o golpista pode se passar por seu amigo, falar que mandou um código por engano e mandar você repassá-lo.

Em outra situação, ele se passa por um atendente de uma marca conhecida e pede que você envie o código de autenticação do WhastApp para confirmar seu interesse em ganhar um produto ou serviço. Cuidado com esse tipo de mensagem.

Links falsos e falsas promoções

Após receber um link falso via mensagem, a vítima é direcionada a uma página para preencher um formulário de cadastro pessoal e resgatar prêmios por meio de promoções com nomes de empresas populares, como:

- 20 GB de dados móveis grátis da Vivo;

- cadastro de chave do Pix;

- abono emergencial da Caixa;

- ceia grátis da Sadia;

- cestas básicas da Havan;

- kit de máscaras da Turma da Mônica;

- kit colônia O Boticário Dia das Mães;

- panetones da Bauducco grátis.

Depois, o site pede para compartilhar a “promoção” com seus contatos via WhatsApp. As informações fornecidas no site falso são vendidas ou usadas para assinar serviços pagos que prejudicarão as finanças da vítima.

Recarga ilimitada

Bastante comum em grupos públicos, essa fraude é concretizada quando a pessoa também quer levar algum tipo de vantagem. Ela acontece quando surge uma mensagem de serviço de recarga ilimitada a um preço bem abaixo do praticado no mercado.

No entanto, ao instalar o aplicativo solicitado, a pessoa informa registros pessoais e permite que o celular seja rastreado. Dessa forma, o golpista tem acesso a contatos pessoais, número de cartão de crédito, fotos e vídeos. Com a posse desses materiais, ele faz compras e ainda pode extorquir as vítimas, por exemplo, exigindo dinheiro para não postar imagens íntimas na internet.

Pegasus

É uma ferramenta de espionagem que invade celulares e outros aparelhos móveis sem autorização de seu dono. Produzido em Israel, o Pegasus obtém acesso remoto aos documentos, câmera e microfone dos dispositivos. Ainda que não esteja diretamente ligado às fraudes financeiras, ele aponta as vulnerabilidades do aplicativo, o que pode atingir usuários comuns.

Se você achou este artigo válido, compartilhe-o com seus amigos no WhatsApp e ajude-os a não caírem nesses tipos de golpe.

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.