Como confirmar se o canal é oficial e não cair em golpes?

Você já recebeu aquelas ligações ou mensagens de texto com condições imperdíveis para quitar suas dívidas? Depois de ler este post, vai ficar super fácil saber se elas são verdadeiras ou não. Confira!

Categoria: Dicas Financeiras

Categoria: Dicas Financeiras

Você sabia que, em um período de 12 meses, 12,1 milhões de brasileiros sofreram algum tipo de golpe pela internet? É o que mostra uma pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) junto ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Esse número representa quase a metade dos internautas que compraram online e não conta aquelas fraudes feitas por telefone ou a abordagem feita nas saídas de agências bancárias, por exemplo — as famosas "saidinhas".

É preciso ficar de olho. A gente aqui sabe que, muitas vezes, não cair em golpes pode parecer difícil. Mas um dos grandes segredos para não ser vítima de estelionatários é verificar se o canal é oficial. Como fazer isso? Continue a leitura e descubra!

Dicas para não cair em golpes

Antes de saber como pesquisar informações sobre o canal, é importante entender o que é o canal. Ele significa o método com que as instituições se comunicam com os seus clientes. Por exemplo: site, e-mail, telefone, mensagem, redes sociais, entre outros.

Canais oficiais são todos os meios que a empresa usa para se comunicar com os consumidores, seja para enviar boletos para pagamento, compartilhar novidades, negociar ou apresentar de novas propostas de financiamento.

Sendo assim, é essencial prestar atenção aos detalhes de cada um desses canais. Selecionamos dicas simples que podem fazer com que você não caia em golpes e, consequentemente, evite prejuízos. Afinal, ninguém toma o nosso rico dinheirinho, né?

Confira a URL

A URL é o endereço que leva a um site da internet. Em muitos casos, em situações fraudulentas, os estelionatários criam endereços que, ao primeiro olhar, parecem ser confiáveis e verdadeiros, mas que, na verdade, não são. A URL, também conhecida como domínio, na maioria dos casos, leva o nome da empresa que presta o serviço que está sendo oferecido.

Para facilitar, vamos a um exemplo prático. No caso da BV, o domínio é sempre bv.com.br. Depois disso, pode até ter alguma outra referência, como bv.com.br/seguranca. Agora, caso haja algo entre bv e .com.br, como creditobv.com.br ou bv.querodinheiro.com.br, ele não levará para um canal oficial da BV.

Além disso, hoje já existe uma certificação digital de sites. Elas são usadas principalmente por empresas que trabalham com comércio eletrônico ou instituições em que é preciso se identificar a partir de dados pessoais. Assim, os domínios desses sites devem começar com "https" e não "http". Essa certificação garante a proteção e segurança das informações fornecidas pelos clientes como CPF e até dados de cartão de crédito para o caso de compras.

Atenção aos erros gramaticais

Textos escritos de maneira amadora são uma evidência de que as mensagens, o site ou o e-mail não são verdadeiros. Ou seja, palavras escritas de forma errada, bem como frases confusas e com erros gramaticais de português são um indício de que o remetente pode não ser quem fala que é e estar querendo passar um golpe.

Verifique as informações da empresa

Empresas confiáveis deixam informações de contato à mostra, para que os seus clientes as localizem de forma fácil e rápida. Afinal, elas têm interesse em ajudar o seu público e garantir que os consumidores consigam entrar em contato no caso de dúvidas ou problemas. Então, nos canais oficiais, principalmente na página principal do site, é possível encontrar telefone, endereço, e-mail e, até mesmo, o CNPJ da empresa.

Sobre esse último, é possível ainda fazer uma pesquisa sobre a empresa por meio do CNPJ no site da Receita Federal, verificando se a instituição realmente existe e trabalha de forma regular. Canais oficiais que realizam transações online de compra de produtos ou serviços são obrigados a disponibilizar as seguintes informações em sua página principal: CNPJ, endereço, telefone e razão social. Logo, desconfie caso não encontre essas informações.

E-mails com arquivos anexados

Já falamos sobre conferir os links enviados em diferentes mensagens, como e-mail e WhatsApp. Mas muitos estelionatários fazem o envio de arquivos anexos em vez de enviar links ao longo do texto.

Caso o remetente esteja mal intencionado, o arquivo pode ser um programa que será instalado no seu computador ou celular para roubar os seus dados pessoais, como senhas de e-mail e até do banco! Por isso, o mais indicado é não fazer o download de nenhum arquivo sem antes:

  • verificar se o remetente é confiável;
  • utilizar algum programa de antivírus para fazer uma análise do arquivo antes de fazer a instalação.

Desconfie de promoções e condições mirabolantes

Algumas vezes, empresas fictícias entram em contato para informar a você, sem nenhuma solicitação, que o banco disponibilizou uma alta quantia de dinheiro para você. O pagamento será feito com uma taxa de juros muito abaixo da que é praticada no mercado. Além disso, para garantir tal oferta, é necessário fazer o pagamento de uma taxa antes, que é chamada de seguro fiança.

O desejo de pagar as dívidas não deve ser maior do que a sua tranquilidade para pesquisar informações sobre a proposta. Por isso, caso desconfie, entre em contato com o banco, peça para que a pessoa que está oferecendo tal proposta encaminhe todos os dados da empresa para você verificar se não se trata de uma fraude. Até confirmar a veracidade da proposta, não ofereça dados como CPF ou qualquer senha.

Proteja seus dados pessoais

Algo bastante comum na ação dos estelionatários é solicitar às vítimas alguns dados como senha e número de cartão de crédito para liberar algum suposto benefício. A questão é que bancos e instituições financeiras, em sua maioria, não fazem esse tipo de pergunta. Senhas são individuais e intransferíveis. Por isso, não as forneça a ninguém por telefone ou mensagens eletrônicas, fechado?

Os bancos e as instituições também não fazem recolhimento de cartões na sua casa. Logo, não o entregue a desconhecidos. Se você desconfiar desse tipo de solicitação, entre em contato com a Central de Relacionamento da empresa para verificar se esse é um procedimento padrão.

Resumindo: o grande segredo para confirmar se o canal é oficial e não cair em golpes é não deixar que o seu desejo de conseguir pagar suas dívidas ou financiar o carro ou imóvel seja maior do que o seu pensamento racional.

Antes de sair clicando em links, fornecendo informações e fechando negócios que parecem ser excelentes e imperdíveis, questione, solicite informações sobre a empresa e pesquise. Também é possível perguntar a familiares e amigos se eles conhecem alguém que já fez um financiamento com essa empresa ou uma proposta como a que você recebeu.

Depois disso, é preciso ficar de olho em outra coisa: os boletos. Diversos golpes são dados com a geração de boletos falsos. Mas como identificá-los? Confira o nosso artigo com as principais diferenças entre um boleto original e um boleto falso.

Atendimento BV