Como financiar o carro: maior entrada ou mais parcelas?

Ao financiar o carro, decidir o valor da entrada e a quantidade de parcelas é essencial! Saiba qual a melhor opção!

Categoria: Financiamento de Veículos

O processo de comprar um carro novo é muito gostoso. Podemos escolher o modelo, a cor, dar uma volta para testá-lo… No entanto, também é preciso tomar algumas decisões importantes, e uma delas é se é melhor fazer um financiamento com maior entrada ou mais parcelas.

Essa decisão é importante porque influencia muito o valor final do financiamento. Dependendo do preço do carro, escolher entre uma maior entrada ou mais parcelas pode economizar quase 50% do seu dinheiro.

Antes de comentar as duas opções, vale lembrar que esta compra não deve ser feita por impulso, mesmo quando você pode pagar à vista. Um bem como este precisa lhe trazer tranquilidade e qualidade de vida, não o contrário. Portanto, conheça sua atual condição financeira e faça um planejamento.

Agora, se você quer alcançar o seu objetivo de trocar de carro mas não sabe o que fazer com o financiamento, tranquilize-se! Vamos ajudar com informações para que você possa tomar a melhor decisão para o seu dinheiro. Acompanhe!

Como funciona o financiamento de carros?

Seja qual for a opção escolhida, lembre-se que um veículo exige uma série de cuidados e custos adicionais que precisam ser calculados antes da compra, como IPVA, seguro, combustível e revisões.

O segredo para decidir entre uma maior entrada ou mais parcelas ao financiar um carro é entender como um financiamento funciona. A partir do momento que dominamos o assunto, fica muito mais fácil lidar com ele.

Um financiamento é um tipo de crédito que permite que as pessoas possam alcançar um objetivo pessoal pagando aos pouquinhos. Funciona assim: o seu objetivo é comprar um carro e o da concessionária é de vendê-lo.

Se você não tem todo o dinheiro para pagar pelo automóvel agora — afinal, um carro é um objeto caro —, o banco entra em ação. O banco liga você, consumidor, à concessionária ao fazer um empréstimo e dividi-lo em várias parcelas pequenas.

Em outras palavras, o banco paga para a concessionária e você reembolsa o valor em pequenas parcelas mensais, com um acréscimo de juros. Dessa forma, todos os envolvidos ficam felizes com o negócio.

Vale ressaltar que o financiamento pode ser feito também em veículos de lojistas multimarcas, uma locadora ou até uma pessoa física (no caso de financiamento de pessoa para pessoa), então vai muito além das concessionárias.

Por que fazer um financiamento?

O financiamento de automóveis é a maneira mais comum de comprar um carro no Brasil. Em 2023, foram financiados 5,9 milhões de veículos, entre novos e usados, de acordo com dados da B3.

Existe uma razão para o financiamento ser tão popular no Brasil: ele é um facilitador de conquistas. Suponha que você queira comprar um carro que custa R$72.000,00. Se você conseguisse juntar R$1.000,00 todos os meses, precisaria de 6 anos para realizar o seu sonho. É muito tempo!

Com o financiamento, no entanto, você não precisa esperar todo esse tempo. Você pode comprar o carro agora e ir pagando aos poucos durante esses anos. O prazo pode até ser o mesmo, mas você já fica com o automóvel antes!

O que escolher: uma maior entrada ou mais parcelas?

Agora que já entendemos bem o que é um financiamento e como ele facilita a comprar um carro, podemos avançar um pouco no nosso papo. Vamos conversar sobre a entrada e as parcelas.

A entrada é um primeiro pagamento feito pelo consumidor no momento do financiamento. O valor restante recebe juros e, então, é dividido em parcelas que são pagas mensalmente até o fim da duração do contrato.

O que é importante aqui é que o valor da entrada e das parcelas pode fazer uma diferença enorme no fim do financiamento. Você pode economizar milhares de reais se fizer a escolha certa entre uma maior entrada ou mais parcelas.

Por isso, é muito importante saber como elas funcionam. Veja a seguir os benefícios de cada alternativa.

Quanto maior o número de parcelas, maior será o período de incidência de juros, o que altera (para mais) o valor final do financiamento.

Benefícios da entrada maior

O padrão do mercado é exigir pelo menos 10% de entrada no momento de assinar o contrato de um financiamento. Se você quer trocar de carro por um que custa R$40.000,00, deve ter em mãos pelo menos R$4.000,00.

No entanto, é possível dar uma entrada muito maior do que isso se você tiver o dinheiro. O benefício dessa escolha é que quanto maior for a entrada, menos você pagará no final do contrato.

Isso acontece porque uma entrada maior significa um saldo devedor menor. Por causa disso, você poderá quitar a dívida com menos parcelas (sendo uma boa maneira de como pagar o financiamento mais rápido) ou com o mesmo número de mensalidades, mas com um valor menor.

Suponha que você queira comprar um carro de R$60.000,00 via financiamento de 1,49% de juros ao mês, por 60 meses. Se você der apenas 10% de entrada, pagará um total de R$82.063,34 dividido em 60 parcelas de R$1.367,72. No entanto, se você der uma entrada de R$40.000,00, poderá escolher entre parcelas menores ou menos tempo de contrato.

Por exemplo: se você escolher pagar o financiamento em 18 meses apenas, terá mensalidades de R$1.274,97, resultando em R$22.949,49 financiados. No fim das contas, somando todos os valores, a entrada maior gerou uma economia de R$23.113,83. Bastante, não é?

Quando escolher uma entrada maior?

Para te ajudar nessa decisão, veja algumas situações em que oferecer uma entrada maior pode ser mais vantajoso:

- Você não tem tanta urgência e pode esperar um pouco mais para poupar um valor maior;
- Você recebe 13º, bônus e outras rendas extras que podem ser usadas para formar ou complementar o valor da entrada;
- Você tem disciplina para poupar dinheiro;
- Você deseja finalizar rapidamente a aquisição do veículo para liberar o dinheiro para realização de outros planos no médio prazo.

Benefícios de ter mais parcelas

Também existem benefícios em escolher mais parcelas. Para começo de conversa, essa opção significa ter que pagar uma entrada menor, ou seja, é uma opção para quem tem pressa e precisa do carro mais rapidamente. Dessa forma, não é preciso juntar muito dinheiro para uma entrada maior.

Além disso, mais parcelas significa que elas serão um pouco mais leves. Por lei, a mensalidade de um financiamento só pode ocupar 30% da renda familiar. Ao escolher mais parcelas, é possível diminuir o valor delas até caber no seu orçamento doméstico.

Se você quiser comprar um carro de R$60.000,00 com os mesmos 1,49% ao mês de juros e R$6.000,00 de entrada que vimos acima, mas em 18 meses, pagaria R$3.442,42 por mês. Isso significa que sua renda familiar tem que ser de no mínimo R$11.474.74.

Já se você optar por um financiamento em 60 meses, o valor das parcelas cai para R$1.367,72. Nesse caso, sua renda familiar mensal pode ser de R$4.559,07.

Quando alongar o prazo?

Aqui estão algumas situações em que escolher alongar o prazo pode ser a escolha ideal:

- Você tem pressa para adquirir o veículo e não pode esperar o tempo necessário para poupar o suficiente para uma entrada maior;
- Você sente dificuldade ou não tem hábito de poupar dinheiro e precisa de um carnê para ajudá-lo a realizar suas conquistas;
- Você pretende usar o veículo para gerar renda, como táxi ou transporte particular — nesse caso, o valor das parcelas poderá ser abatido do faturamento do seu negócio.

É possível reduzir as parcelas futuramente, por meio da amortização de financiamento.

Como deu para ver, optar por maior entrada ou mais parcelas depende do seu contexto. Uma entrada maior significa pagar menos no fim das contas, mas mais parcelas permite que você tenha acesso ao carro mais rapidamente e é mais acessível para quem tem um salário menor.

No fim das contas, é preciso fazer uma análise das finanças pessoais para decidir qual situação é a mais vantajosa para você. Veja o quanto é possível juntar de entrada e qual é a parcela máxima que você pode pagar para fazer o melhor financiamento para o seu caso.

Se você está pensando em trocar de carro, mas ainda não sabe se é melhor financiar com uma entrada maior ou mais parcelas, uma ótima opção é simular financiamento do veículo com o BV. Assim, será possível escolher em quanto tempo você vai pagar o seu financiamento, a quantidade de parcelas e ainda terá parcelas fixas do começo ao fim do contrato. Incrível, não é mesmo? 

“Através do nosso blog você tem acesso às informações atualizadas e relevantes do mercado financeiro. No entanto, as informações aqui apresentadas têm como única intenção o caráter informativo, estando baseadas em dados de conhecimento público, não significando, portanto, quaisquer compromissos por parte do banco BV e não constituem uma obrigação ou um dever para o leitor. O conteúdo disponibilizado é elaborado por terceiros e publicado pelo banco BV. O banco BV e suas empresas coligadas se eximem de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material e de seu conteúdo. Se preferir, ligue para a gente. Dúvidas, sugestões e reclamações sobre produtos e serviços, 24 horas, 7 dias por semana, entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor pelo telefone 0800 772 8028 ou pelo e-mail sac@bv.com.br. Caso queira contatar nossa Ouvidoria, ligue para 0800 707 0083, de 2ª a 6ª feira, das 9h às 18hs, exceto feriados nacionais. Pessoas com deficiência Auditiva e de Fala liguem para 0800 771 0755, com atendimento disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. Se desejar entrar em contato com a Ouvidoria, ligue para 0800 701 8861, disponível de segunda à sexta-feira, das 9h às 18hs, exceto feriados nacionais. Para falar sobre Empréstimos e Financiamentos ligue para nosso Serviço de Atendimento ao Consumidor pelo telefone 0800 770 3335, disponível 24 horas, 7 dias por semana. Cartões: 0800 772 8028 ou para ligações exteriores: 55 11 5541 5000 (sujeita à cobrança).”

Atendimento BV