Tudo que você precisa saber sobre o empréstimo pessoal

Uma das soluções disponíveis no mercado para quem necessita de dinheiro com rapidez é o empréstimo pessoal (ou crédito pessoal).

Categoria: Crédito

Categoria: Crédito

Essa alternativa garante um fôlego financeiro para quem precisa, pois oferece um acesso mais simples do que outros produtos/serviços bancários — além de permitir boas negociações, com melhores condições de pagamento.

Algumas pessoas desejam melhorar a sua situação financeira para se livrar de dívidas, retomar o controle do orçamento e, até mesmo, para realizar algum sonho — comprar um bem de valor elevado, viajar, estudar, entre outros interesses.

Ficou tentado em saber tudo sobre empréstimo pessoal e quer tirar dúvidas sobre o tema? Neste material, você entenderá tudo sobre esse tipo de crédito, desde o seu conceito até os benefícios e os passos para consegui-lo. Acompanhe!

O que é empréstimo pessoal?

O crédito pessoal nada mais é do que uma determinada quantia em dinheiro, concedida por uma instituição bancária ou financeira, que tem como maior diferencial a liberdade para o seu uso. Isso significa que você não precisa dizer como gastará essa verba, como acontece com os financiamentos.

Em troca desse serviço, a instituição cobra juros mensais, que variam de acordo com a negociação firmada em contrato e a política da empresa. Outros detalhes podem interferir nesse valor, como a análise de crédito do cliente e o montante emprestado. Tudo isso pode gerar um reajuste na taxa como forma de evitar a probabilidade de inadimplência.

Como o empréstimo pessoal funciona?

No empréstimo pessoal, a instituição empresta o dinheiro para uma pessoa física com posse de documentos de identidade válidos no país. Como não é preciso comunicar o uso dessa quantia, basta negociar as obrigações contratuais, como número de parcelas e percentuais de juros.

Após coletar a documentação necessária, a instituição fará uma análise de crédito do solicitante, a fim de saber se ele tem condições de quitar a dívida. Nessa etapa, são analisados dívidas, hábitos de consumo e outros registros públicos. Se estiver tudo certo, a aprovação será bem rápida, sendo possível receber a quantia no mesmo dia.

Por que pedir o crédito pessoal?

Existem vários motivos que podem levar você a pedir esse tipo de crédito, como resolver uma emergência de maneira mais rápida possível. Confira!

Estudar

Está a fim de aprimorar os seus conhecimentos para se destacar no mercado de trabalho e crescer profissionalmente? Então não espere muito e saia na frente dos seus concorrentes! É possível solicitar empréstimo para pagar um curso de idiomas ou uma pós-graduação, por exemplo, e inclusive conseguir crédito suficiente para fazer intercâmbios e impulsionar a sua carreira.

O segredo para o sucesso está em não perder a chance de investir no futuro. Certamente, daqui a um tempo, você colherá bons frutos.

Viajar

Mesmo que existam diversas ofertas no mercado de viagens, um empréstimo pessoal para viajar pode sair bem mais em conta e ainda beneficiar o controle das suas finanças.

Da mesma forma que grande parte dos produtos/serviços, um pacote de viagem com passagem e hospedagem pode ter o seu preço duplicado no parcelamento. Nesse sentido, você pode solicitar um crédito com veículo ou imóvel em garantia para economizar nesses momentos de lazer.

Fazer festa de aniversário

Reunir familiares e amigos para comemorar é ótimo, mas uma festa de aniversário memorável para alguém especial não sai barato.

É por isso que um empréstimo pode ser uma solução. Analise o quanto você necessita para fazer um evento completo:

  • aluguel de salão;
  • buffet;
  • música (repertório e DJ);
  • decoração;
  • fotografia;
  • espaço recreativo para crianças (se for o caso).

Realizar uma festa de casamento

É perfeitamente possível fazer um matrimônio simples e com pouco dinheiro. Mas quando o casal não abre mão de uma boa festa, o céu é limite. A organização desse momento tão especial conta com diversos detalhes. Duvida? Espie só:

  • alimentação;
  • bebidas;
  • convites;
  • doces e salgados;
  • decoração;
  • cerimônias (civil e religiosa);
  • fotos e vídeos;
  • roupas dos noivos;
  • dia da noiva;
  • lua de mel.

Acima, foram mencionados somente os principais itens, mas a lista pode ficar ainda mais extensa adicionando estacionamento, segurança, lembrancinhas, acessórios para a pista de dança, presentes para padrinhos e pais, entre muitos outros.

A grande vantagem de obter um empréstimo pessoal para casamento é que você terá a quantia necessária em mãos. Não será necessário parcelar nada, o que pode favorecer descontos tentadores. Ou seja, você evita uma dívida cara e obtém um crédito mais conveniente.

Redecorar o imóvel

Está a fim de repaginar o ambiente e o visual da sua casa? Isso requer dedicação e investimentos. Você vai precisar de uma boa quantia para comprar novos móveis e objetos decorativos. Nesse caso, é recomendado contratar um profissional especializado. Com o empréstimo pessoal, o seu sonho estará a um passo da realidade. O seu conforto e bem-estar merecem esse investimento.

Aumentar o rendimento

Em geral, créditos pessoais são vistos como desperdício de dinheiro, mas essa é uma perspectiva muito pessimista e injusta.

Imaginemos, por exemplo, a condição de um microempresário — mesmo que ele ofereça bons produtos/serviços, um marketing convincente e consiga gerar boas vendas, ele não pode pensar em ampliar o negócio sem ter dinheiro suficiente para fazer investimentos de longo prazo. Com o empréstimo, ele consegue adquirir bons equipamentos para aumentar a sua produção e gerar mais empregos.

Fazer uma obra emergencial em casa

Seu imóvel necessita de uma boa reforma, mas você não tem dinheiro suficiente para restaurar o que precisa? Faça as contas para descobrir o valor necessário. Para isso, pesquise a mão de obra e os materiais necessários em várias lojas. Com o dinheiro em mãos, fale que pretende pagar à vista e escolha o estabelecimento que conceder o melhor desconto.

Fazer um tratamento médico

Se você ou alguém próximo precisa de uma intervenção médica urgente e você não tem como pagar essa conta, fazer um empréstimo para essa situação emergencial pode evitar situações como a descontinuação do tratamento. Assim, você paga a emergência à vista e fica com as mensalidades para quitar o serviço prestado.

Pagar a academia

Parcelar a academia pode não ser uma boa opção quando o pagamento é feito no cartão de crédito, pois o seu limite é comprometido. Ao contratar um plano semestral ou anual, você incentiva a ida à academia. Sem falar no desconto que pode ser conseguido.

Limpar o nome no mercado

O acúmulo de contas não pagas pode levar à negativação do CPF. Além do incômodo, essa condição pode impossibilitar boas oportunidades, como um financiamento de carro ou imóvel. Com o crédito concedido por uma instituição financeira, é possível pagar os débitos e vencer esse tipo de inadimplência.

Como se planejar para pegar um crédito pessoal?

Embora seja um recurso de fácil acesso, o empréstimo pessoal precisa ter um planejamento financeiro bastante adequado, pois o objetivo do solicitante é resolver emergências. Por isso, é necessário considerar alguns fatores antes de solicitá-lo.

Esse tipo de crédito não obriga a pessoa dar satisfação quanto à sua finalidade para a instituição, mas você deve ter os motivos devidamente definidos na sua mente. Isso soa um pouco óbvio. Afinal, é impossível saber a quantia necessária de dinheiro se não existir um objetivo definido.

Se o empréstimo é para comprar um carro, pesquise o modelo ideal para o seu perfil e o quanto ele custará. Ao levantar esses detalhes, você certamente fará um empréstimo consciente, sem pedir um valor desnecessário.

Como o crédito precisa ser pago todo mês, entenda que uma fatia do seu orçamento será direcionada para esse pagamento. Portanto, na hora de fechar negócio, veja se é possível arcar com esse tipo de acréscimo sem afetar as suas economias.

Veja algumas dicas:

  • pagar as parcelas na data do vencimento;
  • pagar antecipadamente sempre que puder;
  • se tiver valor suficiente em mãos, liquidar o empréstimo;
  • não deixar de pagar outros custos e despesas.

Essas práticas deixarão você livre de compromissos financeiros o mais breve possível. Ao atingir esse nível de estabilidade, você estará pronto para solicitar novos créditos, caso haja necessidade.

Além disso, pense sempre que os períodos de contrato com a instituição que concede o empréstimo são passageiros. Apenas porque você optou por esse recurso para resolver uma situação urgente não quer dizer que você ficará pagando parcelas de crédito pessoal pelo resto da vida.

Quais são os tipos de empréstimo pessoal existentes?

Existem diversas formas de solicitar o crédito pessoal. Veja as principais a seguir.

Consignado

O empréstimo consignado tem uma característica interessante. Ele costuma ter juros reduzidos em relação às outras modalidades de crédito. Isso ocorre porque as suas parcelas são retiradas do pagamento do contratante.

Devido às suas condições, a modalidade consignada é uma das melhores alternativas para quem precisa de dinheiro para comprar algum bem ou serviço de alto valor ou cobrir uma emergência.

Esse tipo de crédito é indicado para quatro grupos de pessoas:

  1. Aposentados e pensionistas do INSS;
  2. Funcionários públicos;
  3. Pessoas empregadas que tenham saldo em conta FGTS;
  4. Empregados de empresas privadas que tenham contrato firmado com instituições financeiras.

Sendo assim, é importante que você se enquadre em, pelo menos, uma dessas categorias para ter direito ao empréstimo consignado.

Penhora de bens

A penhora de bens é um recurso de concessão de crédito baseado em garantia. Isso significa que podem ser oferecidos objetos, como carros, imóveis e joias. Tais pertences serão analisados pela instituição financeira com o auxílio de uma pessoa qualificada. Os seus valores serão definidos e assim é liberado o empréstimo com penhor.

Vale mencionar que essa é uma modalidade em que o bem pode ser tomado do solicitante do crédito, em casos de inadimplência. Outro fator merece ser esclarecido é que a avaliação do bem pode dar um valor abaixo do que ele realmente vale.

No caso de empréstimos feitos com penhor de joias, o crédito pode ser liberado mesmo com negativação nos órgãos de proteção ao crédito. Quanto aos carros e imóveis, uma pesquisa de restrições será necessária.

Embora seja tentadora — por causa das taxas de juros mensais baixíssimas —, essa modalidade de empréstimo deverá ser tomada com certo cuidado, visto que o não pagamento das parcelas, após 30 dias do seu vencimento, podem levar o patrimônio penhorado a leilão. Além disso, caso a pessoa venda o bem, o dinheiro será destinado para o pagamento do crédito pessoal.

Apesar da garantia do bem, ainda é preciso comprovar renda, para deixar claro que a pessoa terá condições de arcar com os custos mensais. É preciso ter um bom planejamento financeiro antes de solicitar esse tipo de empréstimo para não correr riscos.

Cartão de crédito rotativo

Quem tem cartão de crédito tem direito a duas alternativas quando chega a fatura mensal: pagar o “mínimo” estabelecido ou o total. Quando você decide pela primeira opção, ocorre uma espécie de empréstimo automático, ou seja, você pega o valor restante da fatura com a sua operadora.

Vamos a um exemplo prático. Imagine que a sua fatura veio R$1.200,00 e pagamento mínimo (15%) seria de R$180,00. Se você desembolsar somente os 15%, pegaria emprestado R$1.080,00, que seriam cobrados na fatura do próximo mês, com os juros definidos pelo mercado.

Essa forma de concessão de crédito não é nada vantajosa, pois as taxas cobradas são altíssimas e podem fazer você perder o controle do seu orçamento. Faça um esforço para pagar sempre o total gasto com o cartão.

Cheque especial

Esse é um recurso bastante parecido com o empréstimo pessoal convencional, no tocante às vantagens e desvantagens. No entanto, a maior diferença é que o cheque especial não exige contratação.

Em geral, as instituições bancárias já o liberam como limite embutido, podendo ser utilizado quando o cliente desejar. Contudo, é preciso prestar atenção aos juros cobrados, pois costumam ser bastante elevados.

Crédito pessoal pela internet

Esse é um tipo de crédito bem recente. Ele tem muitas semelhanças com o empréstimo pessoal convencional. O diferencial é que é ofertado por empresas que atuam exclusivamente pela internet. Todo o processo é feito online, sem que seja necessário se deslocar fisicamente até o local.

Quanto aos juros, eles costumam ser bem acessíveis em algumas empresas. Isso porque a operação é feita estritamente pela rede mundial de computadores, fazendo com que essas marcas não tenham custos relacionados a aluguel e manutenção de agências físicas.

No entanto, existe uma desvantagem: essas instituições são mais exigentes em relação às análises de crédito para liberar o crédito pessoal.

Quais são as principais diferenças entre os tipos de empréstimo?

Agora que já conhecemos os principais tipos de crédito ofertados no mercado, conheça a seguir as maiores diferenças entre cada um.

Juros

O maior diferencial de um empréstimo é a taxa de juros, pois ela influencia diretamente o quanto será pago por esse crédito. Confira a comparação aproximada de juros entre algumas modalidades, com base nos dados do Banco Central do Brasil:

  • empréstimo consignado: 2,02% a.m.;
  • empréstimo pessoal: 3,69% a.m.;
  • cartão de crédito rotativo: 14,35 a.m.;
  • cheque especial: 12,18% a.m.;
  • empréstimo com garantia de bens: 1,50% a.m.;
  • financiamento: 3,95% a.m.

Prazo de pagamento

Essa informação também é importante, pois fica fácil de se organizar para arcar com as parcelas sem apuros. Veja a comparação de tempo aproximada:

  • empréstimo consignado: 10 anos;
  • empréstimo pessoal: 5 anos;
  • cartão de crédito rotativo: 1 mês;
  • cheque especial: 180 dias;
  • empréstimo com garantia de imóvel: 15 anos;
  • empréstimo com garantia de veículo: 48 meses;
  • financiamento: 20 anos.

Antes de fechar negócio e assinar o contrato de empréstimo, coloque tudo na ponta do lápis para ter certeza de que a relação custo-benefício (juros X prazo de pagamento) é conveniente para você. Tente equilibrar esses dois fatores para não ter problemas.

Valor máximo que pode ser emprestado

Qual é o valor ideal para você? O limite máximo de um empréstimo pessoal também conta na hora de tomar a sua decisão. Isso porque existe a possibilidade de o dinheiro pretendido não estar disponível em uma modalidade, fazendo você optar por outra. Confira:

  • empréstimo consignado: parcelas de 35% do benefício INSS;
  • empréstimo pessoal: 20% da renda bruta confirmada;
  • cartão de crédito rotativo: 85% da sua fatura de cartão;
  • cheque especial: negociado entre o cliente e o banco;
  • empréstimo com garantia de imóvel: até 60% do valor da casa;
  • empréstimo com garantia de veículo: até 80% do valor do carro.

Como fazer um empréstimo pessoal?

Algumas empresas solicitam o CPF no momento do pedido, mas é comum que aceitem a numeração presente no RG ou na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Além disso, em casos específicos, é possível que outros registros oficiais com foto sejam solicitados, como a carteira de trabalho, as carteiras de órgãos (nacional ou regional), o comprovante de residência e o passaporte (no caso de estrangeiros).

Com a “papelada” em mãos, a instituição fará a análise de crédito do solicitante. Ou seja, avalia os dados e documentos para decidir se a oferta de crédito será concedida, como quanto a pessoa consegue pagar e o cálculo da taxa de juros mais apropriada para o caso de aprovação. Cada empresa tem os seus métodos próprios para definir esses critérios.

Para entrar no negócio, basta ter 18 anos completos e a posse de toda documentação necessária. Além disso, qualquer profissional pode pedir um empréstimo pessoal — tanto funcionários públicos ou privados quanto trabalhadores autônomos.

Sobre o comprovante de renda

Grande parte das agências aceitam o extrato bancário correntista ou de poupança como comprovante de renda para conceder o empréstimo. A análise é feita para descobrir se existe entrada de dinheiro suficiente quitar as parcelas do crédito pessoal.

Para quem é aposentado e já tem crédito consignado contratado, o extrato do benefício do INSS pode ser usado para fins de comprovação. Nesse caso, a avaliação é realizada com base na margem que é possível ser tomada, que é de, no máximo, 35% do benefício.

Como escolher a melhor instituição financeira para contratar o crédito pessoal?

O maior motivo para tomar essa decisão é pesquisar as condições em diversos locais, tanto bancos quanto financeiras. Não se deixe levar pelo costume de fechar contrato com empresas bancárias maiores, pelo simples fato de ter uma conta aberta no estabelecimento. Essa atitude pode impedir você de negociar taxas menores, que fazem uma enorme diferença no total pago no final.

No entanto, é preciso agir com cautela, especialmente na internet. Isso porque existem inúmeros anúncios de instituições que ofertam empréstimos sem comprovação de renda e garantias, mas que não têm boa reputação no mercado. Portanto, considerar o tempo de atuação do negócio é essencial para não cair em golpes.

Conheça alguns quesitos necessários para escolher a melhor instituição financeira para contratar o seu crédito pessoal.

Taxa de juros

A taxa de juros é a contrapartida da financeira para emprestar o dinheiro à vista para o cliente. Como existem diversas opções no mercado, é comum que existam percentuais diferentes, que oscilam desde 1% até 25% ou mais por mês. Sendo assim, você deve encontrar um local que garanta condições acessíveis.

A taxa de juros está diretamente vinculada ao Custo Efetivo Total (CET), ou seja, o valor final a ser pago para finalizar o seu compromisso financeiro com a instituição.

Reputação da empresa

A liberação de crédito é muito rápida, mas isso não significa que você deve firmar acordo com qualquer empresa. Assim como em qualquer outro serviço disponível no mercado, é essencial que a instituição tenha experiência e ofereça boas vantagens para os seus clientes, como é o caso da BV.

Na internet, tome cuidado com o oferecimento de taxas que estejam muito abaixo daquelas que são normalmente praticadas pela maioria. Além da probabilidade de sofrer um golpe, algumas empresas podem dificultar o pagamento do crédito, como impossibilitar a quitação do empréstimo para reduzir os juros.

O que achou deste guia sobre empréstimo pessoal? Esperamos que este material tenha ajudado você a compreender um pouco mais sobre como funciona esse recurso. O segredo está em ter consciência do quanto será gasto para realizar o seu sonho ou resolver emergências. Planeje-se e você se sairá muito bem.

Se você achou este artigo útil, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais. Os seus amigos certamente ficarão interessados em saber como funciona o empréstimo pessoal!

Atendimento BV