9 cuidados com o carro para mantê-lo conservado e valorizado

Existem alguns cuidados com o carro que devem ser praticados para mantê-lo valorizado e funcionando corretamente. Confira quais são eles!

Categoria: Financiamento de Veículos

Os carros sofrem depreciação todos os anos, e não é possível reverter esse quadro, mas existe a chance de diminuir essa queda. No momento da venda, todo proprietário deseja fazer um bom negócio sem que esse problema prejudique o preço final do automóvel. Logo, é importante ficar atento aos cuidados com o carro para valorizá-lo o máximo que puder.

Nesse caso, conservar o veículo é fundamental para passá-lo adiante. Porém, esse não é o único ponto que deve ser levado em conta. Existem outros detalhes que garantem a média de preço.

Do mesmo modo que você não quer levar prejuízo, o seu comprador também não. Isso o deixa muito criterioso no momento de encontrar falhas estéticas e mecânicas para negociar um valor menor na compra.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo. Nele, reunimos as melhores dicas de cuidados com o carro para mantê-lo conservado e valorizado. Confira e anote tudo que puder!

1. Cuide da limpeza e do acabamento

O cartão de visitas de qualquer objeto à venda é sua aparência, e com os carros não é diferente. Automóveis limpos e sem imperfeições aparentes atrairão possíveis compradores.

Assim, crie o hábito de lavar o veículo periodicamente, de preferência a cada 15 dias. Se correr em uma estrada de terra, lave-o assim que chegar em casa, pois o excesso de poeira pode comprometer a lataria e os componentes externos.

Utilize produtos próprios para limpar, como panos macios e detergentes específicos para não prejudicar a pintura. Se alguma mancha aparecer, remova o mais rápido possível, pois o sol pode deixá-la permanente.

Fazer polimentos e cuidar da higienização interna também é importante. Programar um tempo para a limpeza e a conservação do automóvel o manterá valorizado.

Por fim, não se esqueça de providenciar a lavagem técnica do motor, pois os avaliadores checarão esse sistema para comprovar o seu funcionamento. Então, nada melhor do que apresentá-lo limpo e com um bom aspecto.

2. Tenha a documentação em dia

Pode parecer óbvio para alguns, mas muita gente se esquece de que IPVA, DPVAT (seguro obrigatório), licenciamento e quitação de multas são itens essenciais para a venda do carro, inclusive para a troca de veículo financiado. Qualquer comprador que perceba a falta desses documentos ficará desconfiado.

É importante ressaltar que, se isso ocorrer, a pessoa interessada tem a chance de reduzir o preço oferecido pelo seu usado. Portanto, tenha certeza de que as documentações estão em dia e sem pendências com os órgãos de trânsito.

Aproveitando o assunto, outros dois elementos que não podem faltar são o manual do proprietário e a chave reserva. Esses componentes passam confiança ao público interessado, especialmente para aqueles que desejam comprar um carro direto com o proprietário.

3. Lembre-se de que o original é sempre melhor

Muitos proprietários imaginam que o excesso de equipamentos customizados valoriza o automóvel. Só que essa prática pode ter o efeito contrário. Isso porque os objetos deixam o veículo com a “cara do dono”, o que pode causar aversão em algumas pessoas. Logo, ao vender seu seminovo, retire os itens personalizados.

Isso vale tanto para peças instaladas quanto para elementos estéticos — como proteções de câmbio ou de volante. Ainda que o carro apresente rodas de liga leve ou aro maior, você corre o risco de diminuir seu valor de venda. Para evitar problemas, coloque de volta as peças originais.

Não estamos falando que esse tipo de investimento é em vão. Os equipamentos comprados ainda são úteis e valorizados. Basta avaliar a possibilidade de colocá-los no seu próximo automóvel ou fazer uma venda separada.

4. Use a embreagem corretamente

Enquanto você utilizar seu veículo de passeio, acione a embreagem apenas nos momentos corretos, como para mudar as marchas. Evite parar num sinal com o pé apoiado no pedal da embreagem. Coloque o câmbio no ponto morto (neutro) e acione a primeira marcha somente após o sinal verde liberar a passagem.

Outra recomendação é não usar a embreagem como freio em subidas, para não danificar o disco de embreagem. Nesse caso, usar o freio do carro é suficiente.

Por fim, evite arrancar com a segunda ou terceira marcha. A primeira marcha existe para isso, logo, acione as demais conforme a velocidade e a rotação do motor exigirem.

5. Cuide da lataria e da pintura

Uma boa dica é passar cera na carroceria a cada três meses, bem como não deixar o seu veículo exposto ao sol, sereno ou chuva. Essas condições podem prejudicar a pintura antes do tempo.

No caso de imperfeições na lataria, leve seu carro a um funileiro de confiança para fazer um orçamento e reparar pequenos amassados e riscos. Essas imperfeições podem diminuir o preço de venda do seu automóvel.

Importante! Não tente retocar a pintura em algumas regiões a fim de remover sinais visíveis. Quando o assunto é pintura, a original vale mais.

6. Tenha atenção aos pneus

Defina uma rotina para checar as condições e a pressão de todos os pneus, até mesmo do estepe, para detectar desgastes irregulares ou bolhas. Além disso, providencie o alinhamento da suspensão e o balanceamento das rodas. Ainda, sempre que notar algo estranho, como vibração na hora de dirigir ou sensação de que o automóvel puxa para um dos lados, vá a uma oficina para resolver o problema.

7. Respeite o programa de revisões

Muitos proprietários ignoram aquele pequeno livro que acompanha todo carro novo, pois não imaginam como ele pode ser útil para manter tudo funcionando — além de garantir seu valor na hora da venda. Portanto, leia esse manual com atenção para compreender as recomendações da montadora a respeito da inspeção de componentes conforme a quilometragem do veículo.

Ao seguir o cronograma de revisões, você garante que as peças de vida útil parcialmente reduzida — como bateria, velas, cabos, mangueiras, correias e rolamentos — sejam trocadas na hora certa. Sem contar que esses reparos são essenciais para conservar a garantia de fábrica.

Com a apresentação do histórico de trocas (de discos, pastilhas, fluidos, pneus etc.) e as manutenções, o comprador verá que o proprietário foi cuidadoso e se sentirá seguro em fechar negócio.

8. Evite a frenagem brusca

Preze sempre por frear com leveza no pés. Isso porque a frenagem brusca pode desregular o disco, aumentando as chances de desgaste nos demais componentes. O freio sofre muito nas cidades, especialmente durante o tradicional anda e para do trânsito. Por isso, seja sutil no freio para esticar a vida útil das peças e não apresentar um carro com um sistema comprometido durante a revenda.

9. Evite colisões

Danos graves, que afetam a estrutura do veículo, reduzem muito o valor de venda. Para evitar esse tipo de imprudência, pratique a direção defensiva. Dessa forma, você evita acidentes e não coloca ninguém em risco. Sem contar que os vendedores podem investigar sua reputação como motorista, portanto, seja sempre prudente para evitar problemas.

Com essas dicas de cuidados com o carro, você o deixará sempre conservado e pronto para ser vendido, até mesmo para quem pretende financiar o automóvel entre particulares. A fim de obter sucesso no seu negócio, transforme essas recomendações em hábito para valorizar seu veículo e chamar a atenção dos compradores.

Se você pretende comprar um automóvel após repassar o seu e não sabe se deve levar um zero-quilômetro ou usado, veja este artigo para conhecer os prós e contras de cada um.

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.