O barato pode sair caro: o que vale a pena incluir no seu seguro de automóvel para ficar tranquilo

O barato pode sair caro: o que vale a pena incluir no seu seguro de automóvel para ficar tranquilo

Texto:Andy de Santis / Revisão: Inez de Oliveira

Que o seguro é uma das maneiras mais econômicas de proteger o carro contra panes, acidentes, roubos e furtos, todo mundo concorda. Afinal, o seguro distribui o risco entre vários participantes, de uma maneira que cada um pague um pouco pela proteção de todos. Assim, em qualquer ocorrência, em vez de arcar sozinho com todas as despesas, você recebe um valor para custear o conserto ou a substituição do veículo.

E como ninguém quer correr riscos desnecessários ou assumir prejuízos inesperados, boa parte dos carros brasileiros já sai das lojas ou concessionárias com seguro contratado.

Mas você conhece os danos cobertos por sua apólice? Sabe se está protegido dos principais riscos? Às vezes, para economizar alguns reais na mensalidade, deixamos de contratar certas proteções que fazem toda diferença na hora da necessidade. Veja abaixo algumas dicas para contratar o seguro adequado ao seu perfil e durma tranquilo.

Informe corretamente os dados do(s) condutor(es): Para o sistema de distribuição de riscos funcionar bem, é importante que os segurados tenham um perfil semelhante. Por exemplo, é esperado que pessoas jovens, solteiras e sem filhos sejam mais propensas a sinistros do que pessoas casadas e com filhos. Quem usa o carro para trabalhar está mais sujeito ao risco do que quem só usa aos finais de semana. É com base em critérios desse tipo que se calcula o valor do prêmio e da mensalidade. Seja sincero ao informar idade, estado civil e profissão das pessoas que irão conduzir o veículo, pois se as informações forem incorretas ou omitidas, o preço pode ser até menor, mas no caso de um sinistro, a seguradora pode se recusar a pagar a indenização.

Escolha a modalidade do seguro: Ao contratar o seguro, existem duas modalidades, a de valor determinado e a de valor de mercado do veículo. No caso de perda total ou roubo, a opção mais comum reembolsa o segurado pelo valor de mercado, de acordo com a tabela FIPE. Mas algumas seguradoras permitem alterar a cobertura e definir previamente o valor do prêmio, para mais ou para menos, de acordo com sua necessidade e perfil.

Fique atento à cláusula de responsabilidade civil: Essa cláusula cobre custos de honorários de advogados, custas judiciais e indenizações a terceiros por danos materiais ou corporais. Não é recomendável abrir mão dessa cobertura, pois um acidente envolvendo vítimas pode gerar prejuízos com indenizações que ultrapassam o próprio valor do veículo.

Observe as garantias oferecidas: Existem diferentes maneiras de combinar as garantias compreendidas na sua apólice, como colisão, incêndio e roubo, ou somente incêndio e colisão, ou colisão e roubo, por exemplo. Além das garantias principais, há também as adicionais, que asseguram acessórios, blindagem ou carroceria, assistência 24 horas ou danos morais causados a terceiros.

Analise com cuidado o item “exclusão”: Nele estará escrito tudo que o seu seguro não cobre. Se achar necessário ter alguns dos itens não cobertos, fale com seu corretor e peça para revisar a apólice.

Antes de assinar, leia atentamente e esclareça suas dúvidas. Assim, você estará fazendo uma escolha consciente e garantindo sua tranquilidade.

Leia também:
Quando vale a pena contratar seguro residencial?

 

Atendimento BV

A BV não exige ou solicita de seus clientes nenhum tipo de depósito antecipado, principalmente em conta de terceiros, para aprovação de empréstimos. Saiba mais