Como garantir que as parcelas do crédito caibam no seu bolso

Como garantir que as parcelas do crédito caibam no seu bolso

Texto:Renata Bortoleto / Revisão: Andy de Santis

Imagine que você precisa de dinheiro agora para realizar algo importante como a reforma da casa, urgente como um tratamento de saúde ou até mesmo aproveitar uma oportunidade, como uma viagem de estudos, mas não tem a quantia necessária. Então decide contratar um crédito pessoal, mas ainda não sabe muito bem se vai conseguir pagar.

Esta dúvida é comum e muito bem-vinda para motivar você a se organizar e tomar uma decisão consciente para que este crédito seja uma solução na sua vida.

Afinal, o que todo mundo quer é ter as contas em dia, passar longe da inadimplência (e consequentemente das listas dos órgãos de proteção ao crédito) e dormir com tranquilidade, certo? Mas o que fazer para que isso aconteça?

Peça ajuda a quem entende

Para começar, um bom caminho é procurar a instituição financeira e, sob a orientação de um profissional, solicitar uma simulação da sua necessidade, considerando vários prazos de pagamento. Deixe claro quais são seus ganhos e despesas mensais. Assim, ele conhecerá sua situação financeira para conduzi-lo à melhor alternativa.

Calcule o valor total a ser pago

Além do valor da parcela e dos juros cobrados, você deve conhecer também os encargos, tarifas e seguros que incidem sobre ela para saber qual será o valor total do crédito (também chamado de custo efetivo total). Assim, poderá calcular o impacto do crédito no seu orçamento. Solicite essa informação à instituição e faça contas para avaliar sua capacidade de pagamento. Se preferir, você pode usar a Calculadora do Cidadão, criada pelo Banco Central para esta finalidade.

Organização financeira

Controlar o próprio orçamento vale para todos que desejam ter uma vida financeira saudável, mas para quem pensa em contratar um crédito, esta regra é fundamental. Veja 5 passos para organizar suas contas:
1) Mensalmente, faça uma tabela com duas colunas, uma para as entradas e outra para as saídas de dinheiro.
2) Coloque tudo no papel, da escola dos filhos ao cafezinho com o amigo, registre todas as movimentações sem exceção.
3) Separe as contas por categoria para saber quanto gasta em alimentação, moradia, transporte, saúde, beleza, educação, lazer e celebrações. Assim, você saberá para onde vai seu dinheiro – você conseguirá, inclusive, visualizar se esta distribuição está de acordo com o que você considera mais ou menos importante.  
4) Compare as colunas de entradas e saídas para ter uma visão ampla e detalhada de sua situação financeira. Aliás, nessa análise, você conseguirá saber se tem facilidade ou dificuldade em otimizar gastos e economizar.
5) Agora inclua o valor mensal do crédito que pretende contratar e avalie se o valor que você ganha no mês é suficiente para cobrir seus gastos, incluindo as parcelas do seu crédito.

O poder da criatividade

Se o orçamento está apertado, pense em formas de ter um pouco mais de folga para o pagamento das parcelas. Veja se consegue negociar alguns compromissos, diminuir custos mensais ou buscar formas de gerar novas rendas. Que tal tentar conseguir um desconto na escola das crianças durante alguns meses? Usar mais transporte público do que carro? Ou, ainda, fazer um trabalho extra aos finais de semana? Pense que novas experiências podem ser ricas e divertidas e trazer mais tranquilidade para você. 

Envolva toda a família

A reforma da casa, a compra de um utensílio doméstico ou um tratamento de saúde são objetivos que têm impacto na vida da família como um todo. Esta é uma boa oportunidade para iniciar um planejamento financeiro coletivo. Convide cada um a pensar como pode colaborar com o corte de gastos ou contribuir com ajuda financeira, por exemplo. Quando todos colaboram com a solução, fica mais leve cumprir os compromissos e aumenta o sentimento de responsabilidade, união e pertencimento.

Se entrou algum dinheiro, amortize

Décimo terceiro salário, férias, bônus. Antes de usar estas quantias extras, que não entram todos os meses, para outras finalidades, considere a possibilidade de pagar mais uma parte do seu crédito agora. Assim, você diminui o valor das parcelas (ou número de meses para pagar), adiantando, assim, a sua tranquilidade e possibilidade de, em breve, usufruir do seu dinheiro para novas conquistas ou formar sua reserva financeira.

Leia também:
Situações em que o crédito pessoal é seu aliado

Atendimento BV

A BV não exige ou solicita de seus clientes nenhum tipo de depósito antecipado, principalmente em conta de terceiros, para aprovação de empréstimos. Saiba mais