Como funcionam os seguros?

Entender como funcionam os seguros é essencial para compreender como o processo de proteção funciona na prática.

Categoria: Seguros

Categoria: Seguros

Na missão de compreender como funcionam os seguros, é importante mencionar que o mercado oferece uma grande variedade de opções para atender a diversos perfis de clientes. Eles existem justamente para proteger e auxiliar aquilo que é mais importante para as pessoas, sendo indispensáveis para cobrir imprevistos e urgências, desde que determinada cláusula esteja prevista no contrato.

Dessa forma, muitos enxergam esse tipo de proteção como um investimento em segurança e amparo financeiro. Mas, para que isso se torne possível, é preciso organizar as finanças, pois quem contrata seguros é um indivíduo que pensa além de si, mas também em pessoas próximas e nos bens materiais conquistados.

Pensando nisso, elaboramos um conteúdo completo sobre como funcionam os seguros, seus tipos, suas vantagens e como contratá-los. Continue a leitura para saber como encontrar a proteção ideal para as suas necessidades.

O que significa seguro e qual a sua finalidade?

Já pensou na possibilidade de investir um grande valor em um automóvel e ele ser furtado ou sofrer perda total? Ou de algum dependente usar seu carro e causar algum dano a terceiros? O que fazer nessas situações? A melhor opção é ser precavido para garantir que terá todo o apoio possível. Para isso, é recomendado contratar uma proteção adequada.

Seguro nada mais é do que um contrato fechado entre a seguradora e uma pessoa ou empresa. Esse documento prescreve as coberturas a que o segurado tem direito. Por exemplo, em um seguro auto, a seguradora pode cobrir danos por alagamento. Nesse caso, se o veículo sofrer inundação, o contratante terá o direito a receber o valor da apólice, que foi estabelecido no contrato.

Para ter essas e outras vantagens, o contratante de um dos tipos de seguro paga um valor específico, que pode ser anual ou mensal. O contratante só terá direito à cobertura se estiver com os pagamentos em dia.

Além disso, todo seguro contém coberturas distintas. Algumas marcam presença na maioria dos pacotes. No entanto, existem os opcionais que podem ser solicitados. Tudo dependerá das necessidades e vulnerabilidades do contratante.

Por exemplo, se a pessoa mora em uma região seca e longe do mar e do rio, uma proteção em caso de enchentes pode ser descartada. Em contrapartida, em locais com histórico de chuva intensa, essa cobertura é indispensável. Portanto, existem pacotes básicos e opcionais que precisam ser cuidadosamente analisados para você montar uma apólice mais compatível com o seu perfil.

Como funcionam os seguros, em geral?

Basicamente, quando o contratante sofre algum dano, que esteja coberto pelo contrato, ele aciona a seguradora, que vai avaliar o caso, solicitar documentos e seguir o que está prescrito na apólice. Por exemplo, no caso de furto de bens dentro de casa, o contratante do seguro residencial receberá o valor previsto no contrato após o registro da ocorrência.

Esse é o processo padrão para os diversos tipos de seguros. Porém, é válido reforçar a importância de conferir todos os detalhes durante a contratação. Existem situações específicas que exigem o pagamento de franquia para que o seguro seja liberado, que corresponde a uma taxa. Portanto, leia tudo com cuidado para saber o que está assinando.

Quais são os termos mais usados no ramo de seguros?

Existem diversas palavras que são aplicadas no segmento de seguros. É importante conhecer os principais termos para compreender o processo e fazer valer seus direitos em caso de necessidade. Confira o miniglossário a seguir:

  • risco: é a possibilidade de ocorrer um fato, como risco de sofrer acidente, de ser assaltado, de ir à falência etc. É com base no risco de a ocorrência segurada surgir que a seguradora define a indenização e a quantia a ser paga para o segurado;
  • sinistro: é o evento patrimonial inesperado previsto no contrato. Quando surge esse tipo de ocorrência, ela é chamada de sinistro. Em resumo, é qualquer situação em que o bem protegido sofre danos ou prejuízos;
  • indenização: é acionada quando o risco relacionado ao bem segurado se torna um fato. A indenização é uma reparação financeira presente na apólice que tem o objetivo de beneficiar o segurado. O valor varia conforme a condição estipulada no contrato;
  • franquia: é o pagamento adicional do segurado para liberar a indenização do seguro. É cobrada em modalidades que protegem o bem de forma parcial. Ou seja, o risco tomado pela empresa é dividido com o segurado, com um pagamento obrigatório do contratante;
  • prêmio: é a quantia (à vista ou mensal) paga para a seguradora para que ela assuma os riscos do bem protegido.

Qual a diferença entre seguradora e corretora?

Muitas pessoas confundem os dois termos e algumas acham que significam a mesma coisa. Por isso, este tópico tem o objetivo de tirar tais dúvidas.

Seguradora​

É uma empresa responsável pela emissão da apólice que assume o risco do segurado, ou seja, caso ocorra algum sinistro previsto no contrato, a seguradora é encarregada de indenizar o seu cliente. Além disso, todas as seguradoras devem ser autorizadas pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) para atuarem legalmente no ramo.

Corretora

É chamada de corretora a empresa que faz a intermediação entre os segurados e as seguradoras. Para ser um corretor ou ter uma corretora, também é preciso da autorização da SUSEP. A corretora ajuda em todas as etapas de contratação do seguro, o que inclui a escolha pela seguradora, a seleção do plano ideal para o contratante e a qualidade do pós-venda.

Quais os principais tipos de seguro?

A cada dia as pessoas têm mais percepção sobre a necessidade de investir em medidas preventivas. Nesse sentido, uma consciência financeira surge para que, ao comprar um bem de valor elevado, existam condições de investir em um seguro específico. Esse pensamento demonstra um amadurecimento econômico em relação às conquistas realizadas.

Afinal de contas, é necessário acumular uma boa quantia em dinheiro para comprar um bem e a prevenção é fundamental para evitar imprevistos. Confira a seguir os tipos de seguros mais contratados no Brasil.

Seguro auto

É uma proteção exclusiva para automóveis de qualquer categoria ou modelo. O contratante e a corretora fecham uma apólice de seguro, que vale por um ano. Após definir as coberturas necessárias, será definido o valor do prêmio, que corresponde ao valor da proteção do carro. Essa quantia pode ser paga em uma cota única ou dividida em parcelas mensais.

Em geral, o seguro auto indeniza prejuízos causados por:

  • acidentes de trânsito;
  • fenômenos climáticos (alagamentos, inundações, granizo etc.);
  • incêndio;
  • problemas mecânicos;
  • roubo e furto.

As coberturas são de livre escolha e podem ser adicionadas ou retiradas de acordo com as demandas de cada pessoa. Quando algo ocorre com o automóvel, o proprietário aciona a empresa, que registra uma ocorrência chamada de sinistro.

No caso de uma colisão entre veículos, o sinistro informa o acontecimento e as informações das partes envolvidas, tanto do segurado quanto de terceiros. É a partir desse registro que ambas as partes solucionarão o problema, como o reparo dos danos causados pelo acidente.

Além disso, é importante dizer que o seguro veicular vai além de proteger o carro, pois existem outras coberturas disponíveis para atender a cada perfil de motorista. Os valores também são definidos de acordo com as condições contratadas. Conheça-as a seguir:

Como visto, vale muito a pena pagar seguro de carro por conta dos serviços e assistências oferecidos.

Seguro Residencial

O seguro residencial foi criado para proteger imóveis de diversas situações e emergências. É um produto bastante acessível, se comparado aos transtornos que ele tem o objetivo de resolver. Basta colocar os custos no papel para compreender que essa modalidade de proteção é realmente vantajosa. Afinal, o risco de perdas financeiras que envolvem uma casa costuma ser elevado.

É importante lembrar que ele pode servir tanto para residências próprias quanto para imóveis de temporada no campo ou na praia. Ainda, se estende para casas alugadas, desde que o inquilino contrate um seguro específico para amparar seus bens, mas não cobre a estrutura do imóvel. Para a cobertura total, é necessário que o dono também contrate o seguro residencial.

Com a cobertura básica da residência, o segurado pode escolher as proteções que mais fazem sentido para ele. Veja, a seguir, algumas das opções oferecidas pelas seguradoras:

  • danos elétricos;
  • desastres naturais (alagamentos, enchentes, granizo, vendaval etc.);
  • desmoronamento;
  • impacto de veículos;
  • incêndio;
  • prejuízos causados a terceiros (como queda de árvore ou queda da estrutura da casa em imóveis de vizinhos);
  • roubo e furto de bens materiais;
  • vazamento de tubulações.

Seguro de vida

É um contrato assinado com a corretora, no qual é garantido um auxílio financeiro para o próprio segurado e/ou seus dependentes, em situações inesperadas. Basicamente, no seguro de vida a cobertura principal é contra o óbito do titular, seja por causas acidentais ou naturais. Dessa forma, quando o segurado morre, os beneficiários recebem o valor previsto na apólice.

O seguro de vida existe para proteger o segurado e sua família financeiramente. Assim, ele garante uma indenização aos seus dependentes em caso de falecimento ou invalidez do contratante. Além disso, existem outras modalidades que atendem demandas específicas, como:

  • seguro de vida individual: considera as particularidades e necessidades pessoais do segurado;
  • seguro de vida familiar: parecido com a versão individual, mas a cobertura inclui familiares e outros dependentes;
  • seguro de vida resgatável: o titular pode resgatar parte do valor pago ao longo dos anos;
  • seguro de vida temporário: garante proteção em determinadas fases da vida. Por exemplo, alguns pais investem na proteção de seus filhos até a formação ou emancipação. O período do contrato é definido pelo próprio segurado;
  • seguro de vida integral: é uma apólice que se estende por toda a vida do contratante, de forma vitalícia. Nele, é calculado um plano de pagamento até o seu falecimento;
  • seguro de vida coletivo: é firmado entre a empresa e a seguradora. Cobre acidentes ou doenças que podem levar o colaborador à morte ou invalidez.

Além do seguro de vida, existem diversos pacotes de proteção pessoal, como: seguro contra acidentes pessoais, custos odontológicos, despesas médicas, funeral, entre outras possibilidades voltadas para a segurança individual em diversas situações imprevistas.

Seguro empresarial

O seguro empresarial corresponde às coberturas oferecidas para proteger empresas, seus proprietários, funcionários e toda a sua estrutura física. Grande parte dos contratos contém a cobertura básica do patrimônio e responsabilidade civil. Mas é possível aumentar essa proteção com diversas opções, conforme as demandas da instituição.

É possível assegurar os automóveis de uso comercial, os salários dos colaboradores e os equipamentos de produção e os automóveis de uso comercial etc. Também existe a possibilidade de garantir a continuidade da empresa em caso de desastre ambiental ou epidemia.

Em resumo, os seguros são essenciais para preservar os ativos do negócio contra possíveis eventualidades pelas quais uma companhia possa ser prejudicada ao longo de sua trajetória no mercado. Eles estão disponíveis para qualquer tipo de empreendimento, de pequenos comércios a grandes companhias, e podem ser montados conforme a demanda de cada um, sendo necessário fazer análise aprofundada de seus riscos econômicos.

Quando se fala em seguro empresarial, o patrimonial é o mais citado, mas há uma grande variedade de opções disponíveis, como as que você verá a seguir:

  • proteção contra incêndio: é uma das proteções mais populares da categoria. Com ela, a empresa fica resguardada em caso de incêndios que se alastram e causam prejuízos. A depender da cláusula do contrato, pode valer tanto para o fogo iniciado dentro das instalações da empresa quanto para o que tiver origem em localidades próximas, como imóveis vizinhos;
  • roubo e furto: assegura a financeiramente em caso de subtração de bens físicos e digitais. Portanto, se o empreendimento for alvo de quadrilhas ou hackers, os itens levados ou destruídos serão indenizados;
  • desastres naturais: essa cobertura garante tranquilidade à companhia em caso de chuvas intensas, granizos, deslizamentos de terra, inundações e vendavais. Caso ocorram, a seguradora indeniza os prejuízos causados à estrutura física da empresa;
  • responsabilidade civil: protege a empresa diante de possíveis reclamações, ações judiciais, outras ocorrências involuntárias que sejam causadas a terceiros (colaboradores, clientes, fornecedores ou prestadores de serviço) e seus bens;
  • pagamento de aluguel: é outra cobertura de grande importância para o seguro empresarial. Em de imprevistos que comprometam a saúde financeira do proprietário da empresa, essa proteção custeia despesas com aluguel das instalações, de acordo com as condições citadas no contrato.

O que deve ser considerado antes de contratar um seguro?

A contratação de seguro exige atenção redobrada, pois é uma decisão muito importante na vida de qualquer pessoa. Para evitar surpresas desagradáveis é necessário ter a certeza de que está contratando a apólice ideal para suas necessidades. Além disso, é preciso observar alguns detalhes, como os termos do contrato, as parcelas e o que não é coberto pelo seguro.

Conheça os principais cuidados a serem tomados antes de contratar um seguro. Fique de olho nas dicas e recomendações a seguir.

Buscar informações sobre a seguradora e o corretor

O primeiro passo é procurar por uma corretora devidamente habilitada para tirar dúvidas e mediar o contato com a seguradora. Ela deve apresentar boas condições e serviços para atender suas necessidades como segurado.

Veja se a instituição está registrada na SUSEP, órgão que regula esse tipo de atividade no Brasil, bem como a avaliação da corretora no mercado. A mesma pesquisa deve ser realizada em relação à seguradora, instituição encarregada por prestar suporte no caso de ocorrências ou sinistros.

Comparar suas necessidades com o contrato

Para evitar dores de cabeça, é preciso conferir se os auxílios e proteções considerados essenciais para sua vida estão devidamente prescritos no contrato. Não escolha a alternativa mais barata se serviços essenciais não estão no pacote. Coloque todas as suas necessidades no papel para não ficar desprotegido.

Observar a reputação da seguradora

A internet é um instrumento poderoso para avaliar a reputação da seguradora. É importante pesquisar e buscar referências sobre as empresas. Redes sociais e páginas de defesa do consumidor, como o Reclame Aqui, são fontes valiosas de informação. Consulte a opinião de clientes para fazer uma boa escolha.

Avaliar a assistência prestada

De nada adianta contratar um seguro lotado de coberturas e serviços se quando você precisar de auxílio ele não for prestado com eficiência. Por isso, antes de assinar o contrato, avalie o apoio oferecido pela empresa. Preze pela agilidade e pela qualidade do pós-venda, além de procurar por canais de contato para tirar dúvidas e acionar o sinistro em caso de emergência.

Verificar as possibilidades de desconto

Na hora de contratar uma apólice, não deixe de negociar possíveis descontos no valor do seguro. Algumas instituições valorizam certas condições para reduzir o valor. Por exemplo, para deixar o seguro do carro mais barato, é preciso ter um bom histórico de condutor. Além disso, a maioria das seguradoras concedem descontos para clientes que não utilizam os serviços durante a vigência do contrato ou que mantêm um relacionamento de longo prazo.

Entendeu como funcionam os seguros e está a fim de contratar alguma modalidade que encaixa no seu perfil? Uma sugestão é o catálogo de seguros do banco BV. Temos uma grande variedade de proteções para você, para seu veículo e para sua casa. Acesse para conhecê-los, tirar dúvidas e fazer uma cotação.

 

Através do nosso blog você tem acesso às informações atualizadas e relevantes do mercado financeiro. No entanto, as informações aqui apresentadas têm como única intenção o caráter informativo, estando baseadas em dados de conhecimento público, não significando, portanto, quaisquer compromissos por parte do Banco BV e não constituem uma obrigação ou um dever para o leitor. O conteúdo disponibilizado é elaborado por terceiros e publicado pelo Banco BV. O Banco BV e suas empresas coligadas se eximem de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material e de seu conteúdo. Dúvidas, sugestões e reclamações, entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente pelo telefone 0800 728 0083 ou pelo e-mail sac@bv.com.br. Deficientes Auditivos e de Fala: 0800 701 8661. Se desejar entrar em contato com a Ouvidoria, ligue para 0800 707 0083 (Deficientes Auditivos e de Fala: 0800 701 8661).

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.