Vale a pena ter cartão de crédito? Os prós e contras dessa decisão

Você costuma fazer compras em plataformas on-line ou parcelar pagamentos? Conheça as vantagens e desvantagens que vão ajudar a avaliar se vale a pena ter cartão de crédito!

Categoria: Cartões

Categoria: Cartões

O cartão de crédito é uma alternativa muito boa para quem quer fazer comprar e participar de programas de vantagens. Trata-se de um facilitador: com ele em mãos, o leque de opções se torna maior. Porém, é natural ficar em dúvida se vale a pena ter cartão de crédito?

Criamos este post especial para mostrar os prós e contras desse recurso, dando ainda algumas dicas para que você use de forma consciente. Para saber quais são, é só continuar a leitura.

Parcelar compras ou pagar posteriormente

O primeiro e talvez principal benefício do cartão de crédito é permitir que você parcele compras ou pague posteriormente. No primeiro caso, trata-se de uma alternativa destinada a quem não tem em mãos o valor necessário para realizar uma compra um pouco mais cara.

Imagine que você decidiu comprar um celular cujo preço é equivalente ao seu salário mensal, sem ter esse dinheiro guardado. Mesmo após receber, você sabe que não poderá gastar todo seu orçamento com o aparelho — é preciso pagar as contas da casa, sustentar outros gastos, guardar um pouco para uma viagem etc. Esse é o segundo caso, no qual você precisa pagar posteriormente.

Por meio do cartão, você realiza a compra e seleciona uma quantidade de parcelas de acordo com o que for oferecido pelo lojista. Em muitos casos, um número reduzido de parcelas permite inclusive o parcelamento sem juros, tornando a compra no cartão ainda mais interessante.

Acumular pontos

Já percebeu que ações publicitárias de companhias aéreas e alguns postos de gasolina estão sempre destacando a possibilidade de juntar pontos ou milhas? Esse é um tipo de programa de benefícios bastante comum entre usuários de cartão de crédito. Resumidamente, a ideia é que você acumule os pontos conforme usa o cartão e, depois, troque por prêmios.

Na prática, quanto mais você usa o cartão, mais pontos acumula. Os prêmios variam bastante, podendo ser desde brindes e produtos simples até eletrônicos e viagens turísticas. Os detalhes dependem principalmente de dois fatores: o programa específico de quem oferece o cartão de crédito e o quanto você costuma gastar por mês.

Vale destacar que alguns programas pontuam por compra, não necessariamente pelo valor. Contudo, alguns deles são pagos. A dica, então, é avaliar quais são os prêmios à disposição e os eventuais custos de participação. Assim, você verifica se vale mesmo a pena acumular pontos para trocar pelos benefícios.

Lembre-se de ter cuidado para não aumentar demais seus gastos apenas para recuperar prêmios, sem considerar o impacto que uma fatura maior pode ter no seu orçamento.

Contornar imprevistos

Quem já passou pela situação de ficar doente e gastar inesperadamente com medicamentos sabe o quão importante é ter uma reserva financeira para lidar com situações de emergência. Nesse caso, vale a pena ter um cartão de crédito à disposição para contornar imprevistos e evitar que problemas maiores aconteçam.

Os motivos costumam ser os mais variados: uma questão de saúde, uma demanda emergencial, uma manutenção do carro ou da casa etc. Quando isso acontece, o cartão de crédito pode ser uma ajuda valiosa para que nossa preocupação do momento seja a resolução do problema, não o eventual custo atrelado a ele.

Comprar por impulso

Ter um cartão sempre à disposição sem um bom controle financeiro pode dar a falsa impressão de que a pessoa tem mais dinheiro livre para gastar. Isso abre uma margem perigosa para compras por impulso, que são aqueles gastos que poderiam ser evitados e, ao final do mês, comprometem uma parcela significativa do orçamento.

De fato, comprar um cafezinho ou pagar um restaurante em um momento especial não é lá um grande problema. Porém, quando isso acontece com certa frequência, os pequenos gastos acumulam a ponto de se tornarem uma dívida preocupante — o que nos leva a uma outra questão problemática: os juros.

Pagar juros

Uma compra parcelada em muitas vezes pode trazer consigo uma taxa de juros sobre o valor da parcela. Mais uma vez, isso não é necessariamente um problema, mas é importante que tenhamos noção sobre aquilo que estamos fazendo com nosso orçamento. Se a compra não é essencial ou emergencial, vale mais a pena juntar dinheiro por alguns meses para fazê-la à vista e economizar um pouco.

Outra falha que gera o pagamento de juros é a perda de controle dos gastos. Quando o impulso fala mais alto com muita frequência, o salário pode não dar conta da fatura como um todo. Os valores que ficam em aberto, então, são transferidos para o mês seguinte, também com juros.

O pior cenário é aquele no qual o usuário do cartão perde o controle e decide pagar o mínimo ou parcelar a fatura mês após mês. Os juros, nesses casos, são muito maiores, levando a uma dívida imensa. É por isso que a organização financeira pessoal deve vir em primeiro lugar.

Tenha noção clara dos vencimentos, prazos, taxas, limites e do quanto você pode pagar a cada mês. Não comprometa mais do que aquilo que você se propôs a gerenciar para não correr o risco de criar uma dívida que vai ficar rolando por meses ou até anos.

Correr o risco de golpes

Devido à facilidade para realizar compras pelo cartão de crédito, ele vira grande alvo de golpes financeiros. Com os dados do seu cartão ou clonando-o, uma pessoa pode realizar compras on-line em seu nome, algo que nem sempre é tão simples de comprovar para que a instituição financeira cancele a transação.

Por outro lado, a tecnologia também oferece outra vantagem, que é o nível extra de segurança. Usando um cartão de crédito virtual para compras on-line, por exemplo, você aumenta a proteção contra esse tipo de crime. Resumidamente, o cartão cria um código de segurança temporário, que expira quando você termina as transações.

Assim, caso um site mal-intencionado ou um vírus tenha copiado seus dados, o cibercriminoso não será capaz de realizar uma compra em seu nome, pois o código de segurança do cartão já foi alterado. Simples e bastante útil, não é mesmo?

Ainda assim, é fundamental estar atento à forma como você usa o cartão e a quem fornece seus dados. Em geral, instituições financeiras não solicitam esse tipo de informação em ligações telefônicas ou e-mails, por exemplo. Fique atento e proteja sua privacidade para evitar problemas.

Como você pôde ver, vale a pena ter cartão de crédito, principalmente devido ao conforto que ele oferece para realizar compras e à facilidade para pagar por elas. O essencial é ter atenção e manter a disciplina: faça um planejamento financeiro e adote o consumo consciente. Assim, o cartão será um recurso valioso que dará a você uma qualidade de vida maior sem trazer dores de cabeça!

Se gostou do post e quer saber mais sobre o cartão de crédito virtual, entre em contato com o BV e conheça os serviços de quem mais entende do assunto!

Atendimento BV