Tipos de empréstimo: entenda as vantagens e desvantagens de cada um

Está precisando de dinheiro para realizar algum sonho, mas não tem ideia do que fazer? Saiba que o mercado oferece diferentes tipos de empréstimo para ajudar você. Conheça-os melhor lendo este artigo!

Categoria: Crédito

Categoria: Crédito

Não há como negar que grande parte dos objetivos e das conquistas almejadas pelas pessoas, de alguma forma, acaba envolvendo dinheiro. Independentemente se o seu sonho é conquistar a casa própria, um carro novo ou realizar uma viagem memorável, a verdade é que, muitas das vezes, o fator financeiro é o elo entre os objetivos e as realizações. Não por outra razão, o mercado oferece diferentes tipos de empréstimo para facilitar a trajetória das pessoas até a concretização dos seus sonhos.

No entanto, nem sempre é fácil decidir qual é o caminho mais vantajoso a se seguir quando o assunto é a contratação de um empréstimo. Como dito, hoje existem diferentes modalidades, cada uma com as suas características, vantagens e desvantagens. Por isso, antes de tomar qualquer decisão, conhecer mais a fundo os diferentes tipos de empréstimo é o primeiro passo para uma boa escolha.

Pensando em ajudar você, preparamos este artigo para esclarecer eventuais dúvidas sobre os empréstimos e apresentar os prós e os contras das modalidades mais comuns no mercado. Ficou interessado? Continue a leitura para aprender mais!

Empréstimo pessoal

Você certamente já deve ter ouvido falar dessa modalidade de empréstimo. Isso porque ela é uma das mais comuns e acessíveis. Como o próprio nome já indica, o empréstimo pessoal — ou crédito pessoal — se baseia em uma relação direta entre a instituição financeira e a pessoa interessada em contratar o serviço.

Na prática, o funcionamento do empréstimo pessoal é bastante simples: o interessado pede um valor à instituição — considerando os limites e as regras estabelecidas —, e esta, após analisar o pedido, decide se disponibiliza ou não a quantidade de dinheiro solicitada para o cliente.

Vantagens do empréstimo pessoal

Como dito, o empréstimo pessoal é uma das modalidades mais buscadas quando o assunto é acesso ao crédito. Esse fato certamente se deve às suas vantagens. Conheça algumas delas a seguir!

Rápida disponibilidade

Talvez o ponto mais atrativo do empréstimo pessoal esteja na forma como é contratado. Em geral, esse empréstimo é disponibilizado de forma ágil, sem a necessidade de procedimentos demorados e uma ampla documentação.

Além disso, no caso das pessoas que já mantêm um relacionamento com a instituição financeira, é muito comum a disponibilização de valores pré-aprovados, cuja contratação é ainda mais simples e rápida.

Acessibilidade

Outra vantagem do empréstimo pessoal é o seu amplo acesso. Essa modalidade é acessível à maioria das pessoas, não apresentando inúmeras restrições, como ocorre em outros tipos de contratação. Em geral, o solicitante precisa apenas estar com as suas finanças em ordem, ou seja, estar com o “nome limpo” na praça.

Desvantagens do empréstimo pessoal

Como não poderia ser diferente, o empréstimo pessoal também tem as suas desvantagens. Conhecê-las é primordial para qualquer decisão de contratação. Veja, a seguir, os pontos negativos desse tipo de empréstimo!

Juros elevados

A principal desvantagem do empréstimo pessoal, sem dúvida, está nas altas taxas de juros praticadas. Comparado a outras modalidades, o empréstimo pessoal pode apresentar custos consideravelmente mais altos, fazendo dele uma opção que merece ser mais bem estudada.

Na prática, o fato que faz com que as taxas de juros sejam mais altas nesse tipo de empréstimo é a ausência de garantias. Ou seja, ao contratar o serviço, o cliente não entrega nenhum bem em garantia — como um carro ou um imóvel. Por essa razão, os riscos acabam sendo maiores para as financeiras, que os compensam com juros mais elevados.

Crédito mais limitado

Apesar de ter uma contratação mais simples e rápida, o crédito acaba por ser mais limitado no empréstimo pessoal. A falta de garantia, em muitos casos, faz com que a oferta de crédito seja feita em valores mais reduzidos.

Por essa razão, o empréstimo pessoal pode não ser a modalidade mais indicada para quem deseja fazer compras de valores mais elevados, como de imóveis. Entretanto, pode ser uma opção bastante interessante para conseguir dinheiro de forma rápida e atender a urgências.

Empréstimo consignado

Com um funcionamento bastante semelhante ao do empréstimo pessoal, o empréstimo consignado tem como principal diferença o fato de ser descontado, automaticamente, da folha de pagamento do contratante.

Ou seja, nessa modalidade de empréstimo, o contratante não efetua os pagamentos mensais por conta própria, pois os valores são automaticamente descontados da sua folha de pagamento como pensionista, aposentado ou como servidor público.

Outro ponto que diferencia o crédito consignado do empréstimo pessoal é o risco da operação. Apesar de não haver uma garantia específica, a exemplo de um imóvel, os riscos são menores. Isso porque a instituição financeira não depende do contratante para que os pagamentos sejam feitos. Afinal, os descontos são feitos de forma autônoma.

Vantagens do empréstimo consignado

Inicialmente, a vantagem mais atrativa do crédito consignado está no custo reduzido. Como dito, os riscos dessa contratação são menores. Por essa razão, os bancos e as financeiras podem praticar juros mais baixos — especialmente quando se comparado com o crédito pessoal.

Além disso, a contratação desse tipo de empréstimo é mais simples. Em muitos casos, instituições financeiras já disponibilizam valores pré-aprovados para pensionistas e servidores públicos, bastando algumas confirmações para que o dinheiro fique acessível.

Desvantagens da modalidade

O empréstimo consignado também apresenta as suas desvantagens. Nesse ponto, é válido citar, por exemplo, que o acesso ao crédito costuma ser mais limitado. Isso porque, ao contratá-lo, o cliente não pode simplesmente comprometer toda a sua renda com o pagamento. Em regra, as parcelas não podem superar 30% dos vencimentos.

Além desse ponto negativo, outro que merece destaque é o fato de que o empréstimo consignado não está disponível para todos os perfis de pessoas, mas apenas para quem é pensionista do INSS, servidor público ou aposentado.

Empréstimo por penhor

Seguindo com o nosso guia sobre os principais tipos de empréstimo, falaremos de uma modalidade bastante antiga e que até hoje é praticada no mercado de crédito. Estamos falando do empréstimo com penhor.

O penhor, de maneira resumida, nada mais é do que entregar algum bem de valor como garantia de um empréstimo. Ou seja, ao solicitar uma determinada quantia, o contratante deixa algum bem como forma de garantir o pagamento da dívida — o que pode ser uma joia, um relógio ou qualquer objeto de valor. Ao quitar o seu contrato, o bem penhorado é devolvido.

Vantagens do empréstimo com penhor

A principal vantagem do empréstimo com penhor é o acesso rápido ao crédito. Uma vez avaliado o bem que o interessado deseja oferecer como garantia, a instituição financeira já libera o crédito — ou seja, é uma alternativa para quem precisa levantar recursos com urgência.

Além disso, esse tipo de empréstimo é vantajoso para aquelas pessoas que têm algum tipo de restrição financeira. Como há o oferecimento de uma garantia para o pagamento da dívida, em muitos casos não se faz uma minuciosa análise de crédito, já que os riscos de prejuízo são mínimos para a financeira.

Desvantagens desse tipo de empréstimo

Do ponto de vista das desvantagens, pesa em desfavor do penhor o fato de os juros praticados serem mais elevados, especialmente quando o contratante opta por prazos de pagamento mais longos.

Somado à desvantagem citada, é preciso considerar que os riscos de prejuízo para o contratante acabam sendo maiores. Isso porque é muito comum a penhora de objetos de valor mais alto do que aquele que foi pego como empréstimo. Assim, caso o pagamento não seja feito, há a possibilidade de se perder o bem penhorado em favor da instituição financeira.

Antecipação da restituição do imposto de renda

O Imposto de Renda (IR) é um velho conhecido de grande parte dos trabalhadores. É esse o tributo responsável por retirar, todos os meses, uma parcela do salário de quem trabalha formalmente e não é isento do seu pagamento.

No entanto, como se sabe, é possível deduzir alguns gastos do IR e solicitar a restituição dos valores pagos antecipadamente, seguindo as regras estabelecidas pela legislação e pela Receita Federal do Brasil.

Dessa forma, todos os anos, o Fisco elabora um cronograma de restituições, considerando as prioridades estabelecidas em lei e a data de envio da declaração no ano anterior. Porém, o que nem todos sabem é que é possível antecipar a restituição do IR, por meio de um serviço financeiro oferecido por muitas instituições privadas.

A antecipação da restituição, na prática, é uma linha de crédito disponibilizada àquelas pessoas que têm restituições pendentes de pagamento. Assim, o que o banco faz é antecipar até 100% do valor da restituição que já sabe que o cliente tem direito, acrescendo juros e outras taxas pelo serviço.

Principais vantagens dessa modalidade

Como vantagem, a antecipação de Imposto de Renda apresenta o fato de o crédito estar disponível para o solicitante de maneira mais simples e rápida. Não é necessário o envio de uma grande quantidade de documentos, mas apenas aqueles que comprovem a existência e o valor da restituição a ser paga pela Receita Federal.

Além disso, como nesse caso a restituição do contratante funciona como uma garantia do pagamento da dívida, os juros tendem a ser menores — o que é uma excelente vantagem.

Desvantagens da antecipação de IR

Essa modalidade de empréstimo também tem os seus pontos negativos. A exemplo, os valores disponibilizados costumam ser reduzidos, já que depende do quanto a pessoa tem a receber como restituição.

Além disso, o prazo para pagamento é bastante curto, já que o mais comum é pagar a dívida até a data da restituição efetiva do imposto de renda. Por essa razão, nem sempre é uma opção muito interessante, já que nesse período o indivíduo pode não conseguir organizar as suas finanças satisfatoriamente.

Antecipação do 13º

A lógica da antecipação do 13º salário é basicamente a mesma da antecipação do Imposto de Renda, o que muda é que em vez de se usar a restituição para quitar a dívida, será utilizado o valor recebido como 13º.

Assim, o banco — ou outras instituições financeiras — concede o empréstimo no valor do 13º do cliente e este assume a obrigação de efetuar o pagamento da dívida até a data do efetivo recebimento do seu 13º salário.

Principais vantagens

As grandes vantagens de se antecipar o 13º salário são o acesso rápido ao crédito e os juros mais baixos. Aqui, de forma semelhante à antecipação do IR, o salário serve como uma garantia do contrato. Por essa razão, os riscos de calote e atrasos são menores.

No mais, outro ponto que pode ser visto como uma vantagem é o fato de a antecipação de 13º salário ser acessível a pessoas de todos os perfis, bastando que um trabalhador tenha direito ao recebimento do 13º salário.

Desvantagens desse modelo

Por outro lado, esse tipo de empréstimo tem como desvantagens a pouca flexibilidade na hora de fazer o pagamento da dívida. Assim, por exemplo, mesmo que o solicitante não receba o seu 13º, estará obrigado a pagar o empréstimo na data estabelecida — situação que pode gerar desorganização financeira.

Além desse ponto, é preciso considerar que esse empréstimo tem como data de pagamento justamente a época em que os gastos gerais costumam ser mais elevados. Afinal, estamos falando do final de um ano e início do ano seguinte, período de festas, compra de presentes, pagamento de tributos e outras despesas.

Cheque especial

O cheque especial é, sem dúvida, um dos empréstimos mais conhecidos pelo público em geral. Isso porque, na maior parte das vezes, o valor é disponibilizado de forma pré-aprovada. Ainda assim, essa é uma modalidade de empréstimo que tem uma fama não muito boa, já que é um dos principais causadores de desorganização financeira e inadimplência.

De maneira simplificada, o cheque especial é um valor pré-aprovado que fica à disposição do cliente direto em sua conta, podendo ser utilizado sempre que quiser. Um exemplo comum de uso do cheque especial é quando o cliente gasta mais do que tem disponível em sua conta. Assim, o valor excedente é debitado diretamente do limite de cheque especial, deixando a sua conta com saldo negativo.

Quando isso acontece, o saldo devedor passa a sofrer a incidência de juros — um dos mais altos do mercado —, até que o cliente restitua o valor integralmente.

Vantagens do cheque especial

A principal vantagem do cheque especial é a sua simplicidade de acesso. Na maior parte dos casos, o limite já está disponível para saque ou uso, não necessitando de procedimentos adicionais complexos para se ter acesso.

Justamente por isso, é muito importante que o usuário tenha controle sobre as suas finanças, para não se tornar dependente desse tipo de serviço, pois, como veremos a seguir, ele tem as suas desvantagens.

Desvantagens do cheque especial

Quando se fala em desvantagens do cheque especial, não há como deixar de citar as suas altas taxas de juros. Essa modalidade de empréstimo é a que apresenta os custos mais elevados do mercado, podendo ultrapassar os 14% ao mês.

Por essa razão, esse é um dos tipos de empréstimo mais perigosos, podendo gerar uma verdadeira “bola de neve”, à medida que o tempo passa e valor da dívida se multiplica.

Além dessa desvantagem, outra que precisa ser mencionada é a limitação dos valores do cheque especial. Na maioria das vezes, o valor disponibilizado não é suficiente para solucionar problemas financeiros e nem para compras de grande valor. Embora, por outro lado, seja suficiente para estimular o consumo e para endividar quem o utiliza de forma descontrolada. Fica, então, o alerta.

Rotativo do cartão de crédito

O cartão de crédito é um dos métodos de pagamento mais comuns na atualidade. Segundo dados do Banco Central, em 2018, havia 99 milhões de cartões de crédito ativos no país —número esse que mostra a popularidade desse serviço no mercado atual.

Apesar disso, o que nem todos os usuários de cartão de crédito sabem é que existe um tipo de empréstimo associado ao uso do cartão: o chamado crédito rotativo — se você não o conhece, esse é um bom indicativo de que está com as suas finanças em dia e pagando a sua fatura dentro do prazo.

Na prática, o crédito rotativo não deixa de ser um empréstimo, assim como os demais tipos listados no decorrer deste artigo. Nele, o que acontece é o seguinte: sempre que o titular do cartão não paga a sua fatura integralmente, o valor faltante entra no chamado rotativo, podendo ser pago na fatura seguinte, mediante o acréscimo de juros e outras taxas.

Vantagens do crédito rotativo

A grande vantagem desse tipo de empréstimo é a facilidade de contratação. Na realidade, não é necessário nenhum tipo de contrato ou termo, basta que a fatura não seja totalmente paga até a data do vencimento para que o valor restante entre no rotativo, gerando juros e outros encargos.

Somado a esse ponto, destacamos como vantagem a flexibilidade de uso desse empréstimo. Isso porque fica a critério do usuário do cartão quanto quer pagar da fatura e quanto deseja que entre no crédito rotativo — desde que, claro, o valor mínimo seja pago.

Desvantagens desse serviço

Assim como acontece com o cheque especial, o crédito rotativo apresenta taxas de juros extremamente altas. Em certos casos, as taxas praticadas superam as do cheque especial, podendo ultrapassar os 400% ao ano.

Em razão disso, a recomendação é utilizar esse serviço apenas em último caso, pois a dívida pode ser multiplicar facilmente, caso o pagamento integral da fatura não seja feito no mês seguinte.

Financiamento

Caminhando para o final do nosso guia, não podemos deixar de falar sobre o financiamento. Afinal, essa modalidade de compra de bens também pode ser vista, de certa forma, como um tipo de empréstimo.

O financiamento funciona da seguinte forma: o contratante escolhe o bem a ser adquirido, a instituição financeira faz o pagamento parcial ou integral desse bem e, então, o contratante se obriga a fazer os pagamentos mensais, acrescidos de juros, referentes ao valor pago pela financeira.

Essa é uma modalidade extremamente comum na realidade atual do mercado. Hoje, existe uma ampla lista de possibilidades para se financiar. É possível adquirir uma casa, um terreno, um automóvel ou mesmo custear um curso superior, tudo por meio financiamento.

É importante lembrar que, nesse tipo de empréstimo, o bem adquirido, na maior parte das vezes, serve como garantia do contrato, não podendo ser vendido ou doado, enquanto não for quitado.

Vantagens do financiamento

Além da amplitude de opções para se utilizar o financiamento, essa modalidade ainda tem a vantagem de ser extremamente flexível em relação ao prazo de pagamento. Por exemplo, na compra de imóveis, o prazo pode se estender a mais de 30 anos — justamente por isso hoje essa é uma das alternativas mais comuns para a realização de sonhos.

Desvantagens do financiamento

Fazendo uma avaliação negativa, o financiamento tem como ponto fraco os juros cobrados. Embora não sejam os mais altos do mercado, ainda assim são taxas elevadas e que acabam pesando no bolso de quem contrata, especialmente quando se opta por prazos de pagamento mais longos.

Somado a isso, ainda há a desvantagem da dificuldade de contratação. Em regra, o financiamento depende de uma avaliação de crédito mais criteriosa e que nem sempre atende a todos os perfis de consumidores.

A escolha pelo melhor tipo de empréstimo

Após todos esses esclarecimentos, certamente você deve estar se perguntando qual é o melhor tipo de empréstimo disponível no mercado atualmente. Para responder a esse questionamento, o mais seguro é dizer que depende. Isso mesmo! Tudo depende da necessidade daquele que está em busca de crédito para concretizar os seus objetivos.

Como foi possível perceber, em meio aos diversos tipos de empréstimo, as características, as vantagens e as desvantagens variam muito. Por essa razão, o que pode ser mais indicado para uma pessoa pode não ser para outra. Da mesma forma, aquilo que pode parecer desvantajoso para alguém pode ser a melhor alternativa para outra pessoa.

Sendo assim, a orientação que podemos dar em relação à contratação de um empréstimo é que você pesquise bem cada modalidade oferecida pela BV. Além disso, é essencial avaliar as suas necessidades, as suas possibilidades e os custos envolvidos em cada contratação.

Como exemplo, o empréstimo pessoal pode ser uma alternativa interessante para conseguir uma pequena quantia rapidamente, para solucionar uma urgência. Por outro lado, se pretende adquirir um bem de valor mais elevado, como um imóvel, talvez o melhor seja buscar um financiamento.

Agora que você já conhece os principais tipos de empréstimo, aproveite para seguir aprendendo mais sobre o tema. Confira o nosso artigo sobre o funcionamento do crédito pessoal e entenda as vantagens dessa modalidade!

Atendimento BV