6 dicas para renegociar o contrato antes de ficar devendo

Evite maiores dores de cabeça na hora de honrar o seu contrato de financiamento. Confira algumas dicas para renegociá-lo antes de ficar devendo!

Categoria: Dicas Financeiras

Categoria: Dicas Financeiras

Embora seja uma situação pela qual não desejamos passar, a verdade é que ninguém está imune de se ver com problemas financeiros. Afinal, imprevistos acontecem e, em certos casos, podem gerar grandes complicações para as finanças pessoais.

Nessas horas, é fundamental saber como agir para evitar que a situação se agrave e os prejuízos sejam ainda maiores. A exemplo, renegociar o contrato pode ser uma estratégia bastante interessante, pois possibilita o reajuste das condições de pagamento e a redução no valor das parcelas, impedindo o endividamento.

Nesse sentido, é válido lembrar que da mesma forma que é necessária uma boa educação financeira, planejando e controlando os seus gastos, justamente para evitar as dívidas e a desorganização, também é fundamental agir de maneira programada, caso as finanças saiam do controle por qualquer que seja o motivo.

Pensando nisso, preparamos este artigo listando 6 dicas para renegociar o contrato antes de deixar de pagar as parcelas. Continue a leitura e confira!

1. Pesquise todas as variáveis da negociação

O primeiro passo para renegociar um contrato é saber quais são os seus direitos e deveres previstos nesse documento. Com essas informações, você saberá até onde poderá ir nas negociações, além de saber quais são os caminhos que podem ser seguidos para reequilibrar as finanças novamente.

Por exemplo, muitas instituições financeiras permitem a renegociação do contrato, prevendo a renovação do prazo de pagamento e o reajuste no valor das parcelas; em outras, isso já não é possível. Por isso, conhecer as variáveis da negociação e as situações que possibilitam a solicitação da renegociação são pontos importantes para que consiga chegar a uma solução mais vantajosa.

2. Seja realista nos cálculos

Ao renegociar o contrato, é imprescindível que você seja realista e conservador nos cálculos. Ou seja, os termos firmados devem estar de acordo com as suas necessidades e, mais do que isso, com as suas possibilidades financeiras.

De nada adianta renegociar o contrato, mas reajustar as parcelas para um valor que ainda não tem como arcar mensalmente. Se isso ocorrer, certamente os riscos de se endividar serão ainda maiores, assim como os prejuízos.

Por tal razão, o mais indicado é fazer os cálculos de modo mais conservador, considerando o pior cenário. Além disso, é essencial que você tenha conhecimento sobre as suas finanças, até para saber qual o valor das parcelas que cabe no seu bolso, sem gerar desorganização e risco de inadimplência.

Lembre-se de que o atraso nos pagamentos gera multas e juros, elevando ainda mais os custos do contrato. Então, o melhor é não deixar chegar nessa situação, fazendo uma renegociação que seja compatível com a sua realidade financeira.

3. Tenha suporte jurídico

Por se tratar de um instrumento jurídico, a discussão sobre cláusulas contratuais e a revisão das condições de pagamento de um contrato, por exemplo, podem exigir um certo conhecimento sobre o assunto.

Por esse motivo, caso você tenha a necessidade de renegociar um contrato junto a uma instituição financeira, é crucial contar com o suporte jurídico de um especialista, como um advogado.

Tal profissional tem o conhecimento necessário para avaliar quais são as melhores alternativas para a renegociação, além de ser capaz de orientá-lo em diferentes situações, considerando sempre os seus direitos, mas também os seus deveres.

4. Comunique-se de forma eficaz e eficiente

Um dos grandes princípios de qualquer negociação — o que também vale para a renegociação — é a clareza e objetividade na comunicação. Ou seja, é indispensável que você, ao procurar a instituição para renegociar um contrato, se comunique de maneira eficiente, deixando claro o que necessita.

A partir de uma boa comunicação, certamente ficará mais fácil para a instituição entender qual é a sua realidade financeira. Com base nas previsões do contrato, a negociação pode ocorrer de um jeito amigável e estratégico, chegando a um ponto que fique bom para ambas as partes.

Os grandes bancos, por exemplo, contam com setores especializados na renegociação de dívidas e contratos, com profissionais capacitados e prontos para orientar o cliente sobre como proceder nessa situação.

5. Conheça as condições oferecidas pelos diversos bancos

Se você deseja renegociar um contrato, também é importante ter argumentos para utilizar na hora de fazer a solicitação junto à instituição. Afinal, com bons argumentos, você aumenta o seu poder de persuasão e a probabilidade de chegar a uma resolução de acordo com o que deseja.

Para isso, uma boa tática é conhecer as condições oferecidas pelos diferentes bancos e instituições financeiras. Por exemplo, ao conhecer quais são as taxas de juros e exigências aplicadas em contratos de outros bancos, você consegue solicitar à sua instituição a aplicação de termos similares, desde que sejam mais benéficos para você.

No caso das taxas de juros, como citado, pode-se tentar discutir os seus percentuais. Da mesma forma, você pode se empenhar para obter um reajuste do valor das parcelas e do prazo de pagamento, a fim de facilitar o cumprimento das obrigações assumidas.

6. Não deixe para a última hora

Um dos erros mais comuns na renegociação de contratos é aguardar até o momento em que as finanças pessoais ficam totalmente desorganizadas, a ponto de haver o risco do não pagamento das parcelas. Essa não é a postura mais indicada.

Na realidade, a melhor decisão é sempre agir antecipadamente. Ou seja, tão logo você perceba que as parcelas do seu contrato estão pesando no orçamento e está difícil arcar com os pagamentos sem fazer grandes sacrifícios, então é preciso agir.

Antes que as suas contas fiquem no vermelho e as suas possibilidades se esgotem, é necessário contatar a instituição responsável pelo contrato e tentar renegociá-lo. Agindo assim, você já reduz a probabilidade de se tornar inadimplente e não precisará tomar decisões emergenciais, fazendo acordos que podem não ser tão vantajosos a longo prazo.

Por fim, como foi possível perceber, renegociar o contrato pode ser um excelente modo de evitar o endividamento diante de momentos de instabilidade financeira. Nessas horas, estudar as opções e condições disponíveis para você é, sem dúvida, o melhor caminho. Além disso, antes de pedir empréstimo, outra recomendação é procurar instituições que facilitem a renegociação de contratos, como é o caso do BV.

O BV está ao seu lado em todos os momentos, sendo um banco parceiro, que traz leveza a vida financeira e apoia seus clientes não só na hora de realizar sonhos e conquistas, mas também na hora de sair de situações complicados, como um imprevisto financeiro.

Gostou deste artigo? Quer ter acesso aos melhores serviços e soluções financeiras para realizar os seus sonhos ou organizar as suas finanças. O BV pode colaborar muito com isso. Entre em contato com a gente e saiba como!

Atendimento BV