Power Purchase Agreement: entenda mais sobre o PPA

Quer obter as vantagens de contar com energia sustentável e ainda economizar? Veja o que é o Power Purchase Agreement (PPA) e entenda a relação!

Categoria: Parceiro Solar

Categoria: Parceiro Solar

O Power Purchase Agreement, ou PPA, é um contrato de negociação de energia em longo prazo. Sendo assim, é um documento feito entre um produtor de energia renovável, como a energia solar, e um consumidor. O objetivo é estabelecer todas as diretrizes de compra e venda desse recurso.

O acordo é focado em empresas de grande porte, já que elas têm uma maior demanda por fontes de energia. Portanto, se você tem um cargo de decisão em uma dessas empresas, este post é de seu interesse.

A seguir, confira o que é o Power Purchase Agreement, quais são as suas vantagens e por que ele pode valer muito a pena!

Como o PPA funciona?

Para entender melhor como funciona o PPA, é interessante conhecer cada um dos elementos que compõem o contrato. Naturalmente, as estruturas podem variar de acordo com a estratégia e capacidade do comprador ou coforme o próprio mercado. Contudo, existem elementos básicos, por exemplo:

-partes — em geral, as partes envolvidas são o provedor da energia renovável, como vendedor, e uma corporação que é a compradora. O mais importante é que tudo esteja definido desde o início;

-prazo — o período acordado entre as partes. Ele pode ser fixo, sujeito a uma extensão ou terminado a qualquer momento;

-volume — a quantidade de energia acordada a ser vendida entre as partes;

-preço — cobre o preço da energia gerada, naturalmente, mas também envolve outros processos, como certificação, indexação e outros benefícios;

-subsídios — são benefícios referentes à energia limpa que os compradores podem aproveitar e que precisam estar claros no PPA:

-certificação de energia renovável — é preciso de certificados que comprovem a compra de energia renovável, e estes devem ser transmitidos ao comprador;

mercado de energia — o PPA também deve refletir o projeto do mercado de energia no qual a geração está instalada.

Quais são as categorias de Power Purchase Agreement?

Basicamente, existem dois tipos de Power Purchase Agreement, os quais variam de acordo com o ponto de injeção da energia. O primeiro é o Onsite, no qual a captação de energia é feita a partir de uma instalação nas premissas do cliente e que é conectada à sua rede.

Dessa forma, o desenvolvedor é responsável por fazer o investimento, projetar, construir, operar e realizar a manutenção da estrutura. É vantajoso porque tem um preço mais competitivo e a energia gerada é totalmente gratuita, com uma instalação que passa a ser do cliente.

A outra opção é o PPA Offsite, no qual o contrato é associado a um parque eólico, instalação fotovoltaica ou qualquer outra forma de gerar energia. Para isso, é necessário um sistema elétrico que leve a energia ao comprador.

Como é a regulamentação do PPA nos Estados Unidos?

Uma forma interessante de entender como aplicar o PPA, é olhar um mercado em que essa aplicação é bastante comum, a exemplo do americano, e adotar as boas práticas. O Power Purchase Agreement pode ser válido por mais de cinco anos, permitindo o direito de terminar o contrato antes do prazo se ocorrem ações específicas. Um exemplo é a impossibilidade do vendedor financiar o projeto.

Em terreno americano, o preço também varia bastante, dependendo do financiamento do projeto, da qualidade e do custo da produção. Esse é um dos pontos cruciais, pois o valor para a produção de energia tem aumentado consideravelmente nos últimos anos.

Um ponto interessante abordado no mercado americano é o que acontece quando a energia produzida não for o tanto acordado. Ambos os lados sabem da possibilidade disso acontecer em qualquer momento, por conta de desastres, emergências ou problemas na transmissão. Portanto, o PPA precisa deixar claro quem é o responsável por arcar com o custo caso a produção não seja a ideal.

Além disso, é uma prática comum no mercado americano estabelecer marcos que devem ser atingidos, de modo a garantir o desenvolvimento do projeto, do ponto de vista da construção, por exemplo. Se essas metas não forem alcançadas, o comprador pode receber compensações.

Como está o mercado PPA no Brasil?

O mercado de PPA no Brasil vem crescendo a cada ano. Afinal, os desenvolvedores estão sempre buscando novas formas de tirar do papel projetos de energia renovável. Existe uma maior demanda geral por energia, ao mesmo tempo que existe uma grande preocupação por encontrar alternativas sustentáveis.

Foram assinados e registrados acordos envolvendo mais de 0,59 GW de capacidade de PPA corporativos. Grandes empresas como Heineken, Siemens, L'Oreal, Ambev e outras estão entre as compradoras.

Quais são as vantagens dessa estratégia?

A procura tão grande por PPAs e o crescimento desse mercado acontece devido às suas vantagens. Felizmente, os benefícios são para ambos os lados, compradores e desenvolvedores, resultando em uma situação de ganha-ganha.

Vantagens para os compradores

A primeira vantagem para os compradores é a economia. Preços negociados em um Power Purchase Agreement tendem a ser mais baixos do que no livre mercado. Associada a isso, está a possibilidade de gerenciar melhor os custos de energia da empresa.

Existem também os benefícios relacionados à energia renovável. Primeiramente, temos a redução da emissão de carbono na organização, o que ajuda a alcançar os objetivos de uso de energia renovável. Lembrando que todo acordo envolve a emissão de certificados comprobatórios de que a energia é verde e limpa.

Por fim, essa é uma ação que acaba refletindo na reputação da empresa, de forma muito positiva, para o consumidor final. O público atual demanda organizações que se preocupam com o meio ambiente, além de comprarem apenas daquelas marcas com as quais se identificam. É parte do aspecto humano da transformação digital.

Vantagens para os produtores

Os produtores também aproveitam as vantagens. Começando pela principal, que é a capacidade de financiar o projeto. Energias sustentáveis demandam altos custos iniciais, e quanto mais ajuda tiver nesse sentido, melhor.

Outra vantagem é a possibilidade de diversificar o portfólio, atraindo um número variado de clientes de diferentes setores. O resultado é uma redução dos riscos envolvidos no projeto.

Como ficou claro, o Power Purchase Agreement pode ser muito vantajoso para ambas as partes. Além de todas as vantagens acima, você tem flexibilidade para escolher o modelo de operação e medição mais adequado à sua necessidade.

Gostou do post? Então, compartilhe este texto agora mesmo nas suas redes sociais!

Atendimento BV

Este site usa cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.