Entenda as diferenças entre orçamento, controle financeiro e diagnóstico financeiro

A educação financeira é essencial para quem quer poupar dinheiro e realizar seus sonhos. Aprenda a seguir como montar um orçamento e a fazer o diagnóstico e controle das suas finanças para alcançar seus objetivos pessoais!

Categoria: Dicas Financeiras

Categoria: Dicas Financeiras

Não é novidade que muitos brasileiros têm pouca educação financeira. Segundo uma pesquisa do SPC Brasil, 46% da população não controla o seu orçamento pessoal.

Esse dado é ruim pois impede que as pessoas possam atingir os seus objetivos. Como não controlam o próprio orçamento, somente 41% da população consegue poupar dinheiro no fim do mês. Muito pouco, não é mesmo?

Com pouca economia, fica muito difícil alcançar os seus sonhos, sejam eles quais forem (comprar um carro, uma casa ou planejar um casamento). No entanto, se você tem o mesmo problema (sobra muito mês no fim do seu salário), não precisa se preocupar: nós vamos ajudar a melhorar a sua educação financeira.

Para isso, preparamos um guia completo sobre finanças pessoais que vai ensinar tudo que você precisa saber para colocar as suas contas em ordem e alcançar os seus objetivos.

Neste guia, você aprenderá:

  • O que é o diagnóstico financeiro;
  • Quais são os benefícios de fazer um;
  • Como fazer um diagnóstico nas suas finanças;
  • O que é controle financeiro;
  • Quais são os benefícios de fazer um;
  • Como fazer um controle financeiro adequado;
  • O que é orçamento pessoal;
  • Quais são os benefícios de fazer um;
  • Como fazer um orçamento para o seu dinheiro.

Quer aprender como organizar a vida financeira e ficar mais próximo de alcançar o seu sonho financeiro? Então siga a leitura!

Diagnóstico financeiro

Quando você está doente e vai ao hospital, qual é a ordem das ações realizadas pelo médico? Primeiro ele faz um diagnóstico e só depois passa um remédio, não é isso? Com a sua vida financeira é a mesma coisa. Não dá para começar a consertar os problemas pela cirurgia e só depois perguntar o que havia de errado.

Por isso, o primeiro conceito que vamos aprender neste guia de educação financeira é o do diagnóstico financeiro. Vamos lá?

O que é diagnóstico financeiro?

Como o nome indica, diagnóstico financeiro é um processo de examinação completa da vida financeira de uma pessoa. Esse procedimento é feito pela análise do levantamento de toda a renda e todas as despesas do mês.

Para fazer um bom diagnóstico financeiro, é necessário colocar na ponta do lápis todos os gastos e todas as fontes de renda de uma pessoa. O objetivo é identificar problemas nas contas do mês, perceber se as coisas correram como o planejado e se é possível corrigir alguma coisa no próximo mês.

Quando fazer um diagnóstico financeiro?

O ideal é que o diagnóstico financeiro seja feito todos os meses. É claro que é difícil chegar no fim do mês e ter energia para fazer as contas, mas vale a pena fazer esse esforço.

Como a ideia do diagnóstico é levantar todos os seus gastos e todos os seus ganhos, se você fizer o processo todos os meses, logo vai perceber se tiver alguma coisa errada. Além disso, fazer o diagnóstico todos os meses é muito mais fácil do que fazer a cada 2 meses ou a cada 6 meses. Afinal, são menos gastos para controlar e contas menores.

Quais são os benefícios de fazer um diagnóstico nas suas contas?

Antes de falarmos sobre como realizar um diagnóstico financeiro, é importante conversar sobre os benefícios de fazer esse levantamento. Só assim poderemos entender de verdade a importância de dedicar alguns minutos no fim do mês para colocar os gastos e ganhos no papel e analisar os números.

Portanto, veja a seguir 4 grandes vantagens de fazer o diagnóstico nas suas contas!

1. Perceber alguma coisa errada

O primeiro benefício que você sentirá quando fizer o diagnóstico pela primeira vez é a sensação de identificar alguma coisa errada nos números. Isso é muito comum, pois todos nós temos vários gastos que nem percebemos. Por não notar que eles existem, é sempre um choque quando eles aparecem no diagnóstico.

Quer um exemplo? Suponha que tenha uma padaria muito boa no caminho da sua casa até o trabalho. Lá, o pão na chapa com um copo de café custa R$3,50. Barato, não é mesmo?

No entanto, se você trabalhar 22 dias no mês e tomar um café da manhã lá, gastará R$77,00 no final do mês. Já não é tão barato assim.

Agora, imagine que você precisa ir no supermercado dia sim, dia também, para comprar alguma mistura para o almoço e o jantar. Quando está lá, você passa pelo corredor de bolachas e vê que um pacote está R$1,50. Vale a pena levar, né?

Além disso, o pãozinho está barato e você leva 4, o que dá mais R$2,20. Na fila do caixa, antes de ir embora, você vê uma latinha de refrigerante por R$3,30 e pega.

No fim, em vez de levar só o que você precisava, as suas despesas aumentaram em R$7,00. Se isso acontecer todos os dias, são mais R$210,00 no fim do mês. Some com aqueles R$77,00 do café e você gastou R$287,00 sem perceber.

Uma das vantagens do diagnóstico é que ele percebe essas situações e ajuda a resolvê-las antes que seja tarde demais.

2. Entender o que precisa fazer para melhorar

Uma das vantagens de realizar o diagnóstico todos os meses é poder entender o que é necessário fazer para melhorar a sua vida financeira e ficar mais próximo dos seus objetivos.

Por exemplo, se você detectou que a sua conta de luz está subindo todos os meses, então vale a pena começar a controlar quantas lâmpadas ficam ligadas e o tempo em que você passa no chuveiro.

Já se você não tem mais de onde cortar, mas ainda assim não sobra dinheiro no fim do mês, então a solução é aumentar as fontes de renda. Que tal se tornar motorista de aplicativo, por exemplo?

3. Poupar mais dinheiro

Se você fizer o diagnóstico financeiro corretamente, não vai demorar muito para equilibrar as suas contas e começar a poupar dinheiro todos os meses.

A razão para isso é bem simples: se você começa a notar qual é o problema com os seus gastos e faz algo para consertá-lo, então as coisas começam a melhorar e sobra mais dinheiro para você.

4. Alcançar os seus objetivos e sonhos

Se sobra mais dinheiro no fim do mês por causa do trabalho feito com o diagnóstico financeiro, então você fica mais próximo de alcançar os seus objetivos e sonhos.

Essa é a maior vantagem de fazer o diagnóstico todos os meses: juntar dinheiro para atingir aquela meta que vai te deixar feliz e realizar aquele sonho de muitos anos.

Como fazer o diagnóstico financeiro?

Agora que você já entendeu quais são as vantagens de realizar o diagnóstico financeiro no seu orçamento pessoal, é importante saber como fazer o processo. Afinal, se ele for mal feito, não trará os benefícios que falamos.

Para fazer um diagnóstico financeiro, você precisará ter na ponta do lápis todos os gastos que teve durante um mês e todas as receitas no mesmo período.

É para anotar em um papel mesmo, se você quiser. Pode ser também em uma planilha no Excel ou um aplicativo de celular, se preferir.

No entanto, esse registro se chama controle financeiro (e falaremos sobre ele a seguir). Só as informações não são o suficiente para um bom diagnóstico. É preciso compará-las com a sua projeção para aquele mês.

Quando você compara o que esperava gastar e o que gastou de verdade e o que esperava receber e o que recebeu de verdade, é que você começa a fazer o diagnóstico.

Se os números não baterem (ou seja, você gastou mais do que previa ou recebeu menos do que imaginava que ia receber), é hora de fazer perguntas:

  • Afinal, por que gastou mais?
  • Para onde foi o dinheiro?
  • Por que recebeu menos?
  • O que pode ser feito para corrigir isso no futuro?

O segredo de um bom diagnóstico financeiro está nessas perguntas que são feitas com base no seu controle financeiro e na previsão de orçamento que foi feita no começo do mês. Portanto, para entender como fazer um bom diagnóstico, precisamos saber como fazer esses dois ingredientes: o controle financeiro e o orçamento pessoal.

Para aprender mais sobre esses dois conceitos, basta seguir lendo o artigo!

Controle financeiro

Um bom diagnóstico necessita de dois ingredientes para ser realizado. Um deles é o controle financeiro. Nesse caso, não estamos falando de ter o seu dinheiro sob controle, ou seja, de não gastá-lo em nada e poupar o máximo possível.

É claro que poupar é uma coisa boa, especialmente quando a poupança é feita com algum objetivo ou sonho em mente, como comprar um carro. No entanto, não é esse o controle financeiro em questão. Quer saber qual é? Então leia a seguir!

O que é controle financeiro?

Controle financeiro é o registro físico de todas as movimentações financeiras que você faz em um mês. É literalmente anotar em papel (ou um aplicativo, se preferir) onde você gastou cada real que ganhou.

Quando anotamos cada centavo que foi recebido e gasto, geramos um material importante que será analisado na hora de realizar um diagnóstico financeiro. Além disso, quanto mais preciso formos, melhor será a análise feita, o que significa que maiores serão os benefícios de todo esse processo.

Quando fazer o controle financeiro?

O ideal é fazer o controle o dia inteiro e o tempo todo. Cada vez que você vai no supermercado ou em alguma loja, sempre que gasta 1 real que seja, deve anotar.

A razão disso é simples: o diagnóstico financeiro é tão bom quanto as informações que são dadas para análise. Se você não anota todos os gastos, não tem como analisá-los.

Lembra daquele cafezinho que dava R$77,00 no fim do mês? Então, se não anotarmos o gasto nele, não vamos perceber que gastamos quase R$100,00 na padaria. Por isso, o controle financeiro deve ser feito todos os dias.

Quais são os benefícios de fazer o controle financeiro?

Você ainda não se convenceu sobre a necessidade de realizar um bom controle financeiro e anotar todos os seus gastos? Ok, não tem problema. Nós separamos 3 excelentes motivos que vão convencer você a mudar de ideia. Veja a seguir!

1. Dados precisos para análise

Como dissemos, você só consegue fazer um bom diagnóstico se tiver dados precisos. E um dos benefícios do controle financeiro é justamente gerar essa informação. Ao anotar todos os dias os gastos feitos, você evita se esquecer daquele R$7,00 a mais no supermercado ou o cafezinho com os amigos depois do trabalho.

Por causa disso, consegue analisar melhor as informações no fim do mês e chegará a conclusões úteis para melhorar a sua vida financeira.

2. Diagnóstico mais eficaz

Se os dados obtidos via controle financeiro são mais detalhados, então o diagnóstico realizado com eles é muito mais eficaz.

Isso significa que você aprenderá muito mais com as informações mais detalhadas e poderá melhorar bastante a sua vida financeira, tomando decisões corretas.

3. Autoconhecimento

Um dos principais benefícios do controle financeiro no seu orçamento pessoal é o quanto você aprende sobre você mesmo. É muito comum pessoas começarem a anotar os gastos todos os dias e se espantarem com quantas compras elas fazem sem perceber.

Lembra o exemplo de quem vai ao supermercado e, em vez de comprar só o que precisa, acaba levando vários outros itens também? Então, pode ser que você faça isso sem perceber. Ou talvez você não tenha noção que pede comida no aplicativo mais de uma vez por semana (o que sai caro no fim do mês).

Seja como for, encarar os nossos gastos diários revela muito sobre quem somos e há muita coisa a se aprender ao fazer essa experiência. E por falar nisso...

Como fazer o controle financeiro?

Não há segredo para fazer um bom controle financeiro no seu dia a dia. Basta chegar em casa à noite e anotar em um caderno pessoal todos os gastos e todos os ganhos daquele dia.

Para quem sabe mexer no Excel, pode ser mais fácil montar uma planilha para fazer o controle, pois fica mais fácil ver os gastos acumulando e classificá-los por tipos (contas da casa, supermercado, roupas, etc.). Ou você pode usar um caderno e uma caneta para isso.

Para fazer o controle, basta anotar os gastos do dia. Por exemplo:

Dia 12/03

  • Café da manhã: R$5,30;
  • Passagem de ônibus: R$4,80;
  • Almoço: R$17,90;
  • Doce de sobremesa: R$3,00;
  • Passagem de ônibus: R$4,80;
  • Total: R$35,80.

Uma dica para garantir maior precisão no controle financeiro é guardar todos os cupons fiscais das compras que você fizer. Assim, não precisa tentar lembrar de cabeça quanto foi cada item comprado, basta checar o preço na notinha.

Orçamento

Por fim, chegamos ao terceiro conceito de educação financeira que vamos conhecer hoje: orçamento pessoal.

Você provavelmente já tem uma ideia do que seja o orçamento. Afinal, essa é uma palavra bem comum no dia a dia quando pensamos em realizar um sonho ou alcançar alguma meta.

Por exemplo, é comum que você ouça que uma das principais dicas para financiar um carro zero-quilômetro é fazer um orçamento de quanto você gastará nessa aquisição. No entanto, vejamos a seguir o que é esse conceito!

O que é orçamento pessoal?

O orçamento pessoal é uma previsão de como será a sua vida financeira durante o mês. É um planejamento de quanto você vai gastar e receber no período.

É importante perceber que nada obriga um orçamento a se concretizar. Por exemplo, você pode prever no seu planejamento que gastará R$500,00 com supermercado neste mês. No entanto, pode chegar no fim do mês e ter gasto R$450,00 ou R$700,00. Vai depender de como você utilizar o seu dinheiro.

É por isso que precisamos também do controle financeiro para comparar com o orçamento pessoal. É ao analisarmos o que de fato gastamos (controle) com o que pretendíamos gastar (orçamento), que podemos mudar nossa vida financeira (diagnóstico).

Quando fazer o orçamento pessoal?

O orçamento deve ser realizado no começo de cada mês. É importante tirar um tempo para sentar em sua casa com calma e escrever em um pedaço de papel (ou um aplicativo digital, se preferir) quanto você pretende gastar no mês que começa.

É importante fazer o orçamento todos os meses porque os gastos não são sempre iguais. Por exemplo, em janeiro você deve pagar o IPTU e o IPVA (caso tenha um carro), além do material de volta às aulas.

Em novembro e dezembro, existem as compras de Natal. Em determinado mês, tem o aniversário de alguém. Em outro, tem uma viagem de férias e por aí vai.

Quais são os benefícios de ter um orçamento bem definido?

Em dúvida sobre quais são as vantagens de realizar um orçamento no começo de cada mês? Então veja a seguir alguns dos benefícios disso!

1. Melhor uso do dinheiro

Fazer um orçamento pessoal ajuda a garantir que você dará o melhor uso possível para o seu dinheiro, além de evitar alguns problemas causados pela falta de planejamento.

Por exemplo, imagine que você ganha R$1.500,00 por mês e tenha de pagar aluguel, supermercado, conta de luz, de gás, água e internet na sua casa.

Ao montar um orçamento, é possível dividir o dinheiro da maneira certa para cada compromisso que você tem de pagar no fim do mês.

Sem ele, é possível acabar gastando mais no supermercado, o que impede que você não tenha dinheiro para o gás ou para a internet. Por isso é importante fazer o orçamento no começo do mês.

2. Fica mais fácil de atingir os seus objetivos

O planejamento financeiro feito no orçamento do seu dinheiro deixa mais fácil conquistar os seus objetivos.

Isso porque o orçamento é uma espécie de plano que deve ser executado depois. Por isso, ao fazer o planejamento, você consegue enxergar o caminho para realizar o seu sonho pessoal. Depois, só falta colocar o plano em prática.

3. Mais fácil para poupar

Ao montar um orçamento delimitando todos os gastos, fica mais fácil de poupar dinheiro no seu dia a dia. Por exemplo, se você colocar no planejamento que pode gastar R$500,00 por mês no supermercado, então o seu limite diário é de mais ou menos R$16,67 por dia.

Se você ultrapassa o valor em um dia, pode compensar em outro para garantir que a sua meta mensal será respeitada.

Como fazer um orçamento pessoal mensal?

Agora que já vimos a importância de fazer um orçamento, é hora de aprender como fazer esse planejamento da melhor maneira possível.

O primeiro passo para criar um orçamento é definir onde você criará o seu planejamento. O ideal é usar uma planilha no Excel, caso você tenha o conhecimento para isso. Se não, pode usar um aplicativo no celular ou um caderno mesmo para isso.

A primeira coisa a fazer é inserir as suas receitas no orçamento, uma vez que é a parte mais fácil, já que são menos valores. Coloque o seu salário, vale-alimentação e refeição, aluguel que recebe (se houver) e outros.

O próximo passo é colocar os gastos do mês. Comece com aqueles que são essenciais para a sua vida: aluguel, supermercado, conta de eletricidade, de água, gás e internet.

Em seguida, coloque os gastos que são importantes para a sua qualidade de vida, como vestuário, lazer, transporte (gasolina, ônibus, trem, etc.). Por fim, ponha os itens supérfluos (presentes, idas ao restaurante, etc.) e sazonais (IPTU, IPVA, material escolar, etc.).

Com os gastos colocados na tabela, você terá algo que ficará mais ou menos assim:

Receitas

  • Salário: R$1.500,00;
  • Vale-refeição: R$462,00;
  • Vale-transporte: R$198,00;
  • Total: R$2.160,00.

Despesas

  • Aluguel: R$950,00;
  • Supermercado: R$500,00;
  • Luz: R$75,00;
  • Água: R$40,00;
  • Gás: R$50,00;
  • Internet: R$135,00;
  • Transporte: R$198,00;
  • Vestuário: R$75,00;
  • Lazer: R$50,00;
  • Total: R$2.073,00.

No fim do orçamento, há uma poupança mensal de R$87,00. É pouco, claro, mas é um começo para se planejar e realizar os seus sonhos.

Conclusão: o que aprendemos hoje?

Ufa, quanta coisa vimos neste artigo, hein? Você provavelmente já deve estar cansado de ler. Por isso, vamos concluir de maneira rápida o que aprendemos hoje.

Nós vimos que o diagnóstico financeiro é essencial para realizar os seus sonhos. Com ele, podemos ver o que está errado na nossa vida financeira e corrigir para poder poupar dinheiro.

Para que o diagnóstico seja feito, é preciso ter um orçamento como base e então compará-lo com o controle financeiro, que é o registro de todos os gastos do mês.

Quanto mais informações registramos todos os meses, melhor será a nossa análise e mais fácil será montar um plano para realizar o seu sonho, seja ele qual for.

E aí, o que você achou do nosso conteúdo? Gostou de aprender mais sobre educação financeira? Então não perca outros posts que produziremos sobre o assunto. Para isso, curta a nossa página no Facebook e siga nosso perfil no Instagram!

Atendimento BV