20 cuidados com golpes na compra e venda de veículos

Para quem pretende negociar um automóvel, é importante saber como evitar um golpe na compra de carros. Nós listamos 20 cuidados que vão ajudar você!

Categoria: Dicas Financeiras , Financiamento de Veículos

Comprar um carro é o sonho de consumo mais comum dos brasileiros, de acordo com uma pesquisa do Serasa. No entanto, em alguns contextos, esse sonho pode dar errado. Isso porque corremos o risco de cair em um golpe na venda de carros.

Responda com sinceridade: você provavelmente conhece alguém que caiu em um golpe do tipo. Talvez você mesmo tenha caído.

No entanto, não se engane: os golpes podem acontecer dos dois lados. Isso mesmo: é possível ser trapaceado na compra e também cair em um golpe na venda de carros.

Isso significa que você deve desistir do seu sonho? De jeito nenhum!

Tomando alguns cuidados, não há o que temer na hora de comprar ou vender o seu carro. Basta se precaver, conhecer os golpes mais comuns e saber quais são as ações que protegem de ações maliciosas.

Quer saber quais são esses cuidados? Então você veio ao lugar certo! Para ajudá-lo a alcançar o seu objetivo de comprar um carro, nós listamos 20 (sim, VINTE!) cuidados nessa hora.

Ficou interessado? Pegue um café e continue a leitura!

10 cuidados ao comprar carros novos ou usados

Começaremos o nosso guia de proteção contra golpes na compra e venda de carros falando sobre os cuidados para quem quer comprar um automóvel.

Se você passou semanas namorando um carro novo ou usado na vitrine de uma concessionária ou em um anúncio na internet, essa é a hora de ter muita atenção.

Veja abaixo 10 cuidados que vão protegê-lo na hora de comprar um carro novo ou usado!

1. Confira se o carro é real

Pode parecer um pouco estranho falar sobre isso, mas será que esse carro que você quer comprar é real mesmo? Para explicar essa pergunta, precisamos falar sobre o que une truques de mágica com golpes.

Tanto um truque de mágica quanto um golpe de venda de carro usam da nossa disposição de “completar buracos” com informações.

Ou seja: nós vemos uma foto de um carro e assumimos que ele é real e que aquela pessoa é realmente dona dele.

No entanto, qualquer pessoa pode tirar a foto de um carro na rua e postar na internet, não é mesmo?

É assim que nascem golpes de carros inventados, clonados ou fantasmas. Os golpistas usam de fotos e vídeos na internet para fingir que o carro existe e a vítima “completa” todas as informações na própria cabeça.

Para ajudar a ajudar a convencer as vítimas, os golpistas colocam preços muito baratos nos carros. Afinal, quando a gente vê aquele negócio muito bom, fica difícil de resistir, né? Nós torcemos para que seja real!

No entanto, é necessário tomar cuidado e garantir que aquele carro existe mesmo. Uma maneira de fazer isso é marcar uma visita para ver o automóvel e conferir se ele realmente existe.

2. Verifique toda a documentação do automóvel

Existem muitos golpes que podem ser evitados se a gente verificar a documentação do carro antes de fechar negócio.

Por exemplo, um golpe muito comum é quando a pessoa aluga um carro e oferece para vendê-lo para a vítima por um preço bem barato. Ou então o golpista compra o carro financiado e não pretende pagar as parcelas, vendendo o bem para outra pessoa sem passar o carro para o nome da vítima.

Aqui devemos abrir um parênteses para explicar que é possível fazer a troca de carro financiado antes de terminar o contrato. No entanto, existe um procedimento correto para isso, e não é o que acontece quando se aplica um golpe.

Uma maneira fácil de evitar esse tipo de golpe é verificar a documentação do carro. Veja se ele está registrado mesmo no nome do vendedor e se há algum gravame sobre ele.

3. Consulte as restrições jurídicas do carro

Um golpe na venda de carros que é muito comum é tentar se livrar de um automóvel que conta com restrições jurídicas.

Por exemplo, o golpista tem um compromisso e não paga. Então, ele é processado e, na justiça, tem o carro penhorado.

Para não perder o bem, ele vende para alguém por um preço abaixo do que ele vale e depois some com o dinheiro. O comprador, coitado, recebe uma comunicação da justiça dizendo que o negócio não poderia ter acontecido e perde o carro.

Para evitar essa situação, é importante consultar as restrições jurídicas do carro e ver se ele tem o bloqueio Renajud. 

Esse bloqueio é uma lista digital que identifica os carros com restrições jurídicas e que não podem ser vendidos por causa disso.

4. Analise a quilometragem do carro antes de comprar

Esse é um cuidado exclusivo para quem vai comprar um carro usado ou seminovo. Afinal, nesses casos, a quilometragem é muito importante para entender se o automóvel está conservado ou desgastado.

Um golpe na venda de carros usados e seminovos muito comum é alterar a quilometragem para parecer que o automóvel está melhor conservado do que na realidade.

Existem scanners que analisam se a quilometragem de um carro foi adulterada. No entanto, você não precisa de um equipamento caro desses para se precaver.

Dá para se proteger com alguns cuidados simples. Por exemplo:

  • olhe a quilometragem anotada na hora das revisões no Manual do Proprietário. É menor do que no painel do carro? Então houve adulteração!;
  • veja a etiqueta no para-brisas indicando a próxima troca de óleo do automóvel. Ali pode haver uma indicação da real quilometragem do carro;
  • os pneus costumam durar entre 50 a 60 mil quilômetros. Se a quilometragem estiver menor do que isso, mas o jogo de pneus for original, pode ser um sinal de adulteração.

5. Desconfie de ofertas muito agressivas

Um cuidado geral para evitar cair em um golpe na venda de carros é desconfiar de ofertas que são muito agressivas.

Elas podem ter várias formas diferentes. Por exemplo:

  • preço muito abaixo da tabela FIPE;
  • condições muito extremas (“tem que fechar hoje ou não dá para vender o carro”, por exemplo);
  • insistência desesperada do vendedor.

Em situações assim, a chance de ser um golpe é muito alta. Isso porque o golpista não quer dar espaço para que você pense e perceba o golpe.

6. Analise o histórico do carro

Um cuidado importante a fazer antes de avançar na compra de um carro é analisar o seu histórico.

Veja se o carro passou por alguma batida, se teve algum recall a fazer e, em caso de usado, analise quantos donos ele teve.

Quanto mais informação e documentação existir para comprovar o histórico do carro, mais difícil fica de mentir e menor a chance de ser um golpe.

7. Não faça pagamentos antecipados

Um golpe de venda de carros muito comum é a exigência de um pagamento antecipado para fechar negócio.

Por exemplo, o golpista pede um sinal para a vítima ou diz que tem outro interessado e precisa de um depósito para “segurar” o carro.

Nesses casos, o golpista emite boletos falsos para enganar a vítima, que pensa estar pagando para o banco, mas na verdade está dando dinheiro para o enganador.

Por isso, nunca faça um pagamento antes de assinar o contrato de compra e venda do carro.

Aliás, essa é uma das razões pelas quais vale a pena financiar um carro, uma vez que é mais seguro pagar para o banco do que direto para o proprietário.

8. Peça pela vistoria cautelar do carro

Caso você pretenda comprar um carro usado ou seminovo de uma concessionária, peça sempre pela vistoria cautelar do automóvel ou pelo laudo de procedência.

A vistoria cautelar é um processo que analisa a estrutura do carro, além de vistoriar todos os seus documentos e histórico.

Basicamente, esse processo pega quase todos os golpes com documentação que citamos nesse artigo.

O laudo de procedência é o documento produzido após a vistoria e que diz se os documentos do carro estão certinhos ou não.

Se a concessionária não apresentar o laudo de procedência ou não tiver o selo de que o carro passou pela vistoria cautelar, pode ser que haja alguma coisa errada com aquele automóvel.

9. Pesquise para saber se o carro esteve em um leilão

Um dos benefícios da vistoria cautelar que citamos antes é que ela detecta se um carro passou por um leilão ou não.

Normalmente, um carro passa por um leilão porque teve algum problema. Ele pode estar envolvido em algum sinistro ou ter sofrido um acidente. Às vezes, ele pode ter passado por uma enchente, por exemplo.

Seja como for, carros de leilão são vendidos por muito menos do que o valor de mercado do mesmo modelo. Isso acontece porque não dá para saber com certeza qual é o estado daquele automóvel.

Pode ser que ele tenha uma falha estrutural grave ou esteja com ferrugem em alguma parte da sua lataria.

Portanto, faça uma pesquisa para saber se aquele carro já esteve em um leilão. Se sim, não compre.

10. Verifique os documentos do vendedor e da concessionária

Se tudo estiver certo com o carro, faça uma análise rápida dos documentos do vendedor e da concessionária. Isso ajuda a evitar cair no golpe da concessionária falsa.

Esse golpe é o seguinte: o golpista finge pertencer a uma determinada concessionária, que só existe no papel ou em um site falso na internet.

Em seguida, ele negocia a venda com a vítima e depois some com o dinheiro, sem entregar o carro.

Uma maneira fácil de verificar se o canal é oficial e não cair em golpes é pesquisar o CNPJ da concessionária, analisar depoimentos na internet e pesquisar para ver se aquela empresa existe mesmo e é confiável.

10 cuidados para evitar golpe na venda de carros

É claro que existe o risco de cair em um golpe na venda de carros. No entanto, também existe o risco de ser enganado quando você é o vendedor.

Se o seu interesse é vender seu carro na internet ou para alguma concessionária, é importante se precaver também.

Afinal, muitos golpistas estão à espreita e podem tentar enganar você nesse momento.

Quer saber como se proteger? Veja abaixo 10 cuidados para evitar um golpe na venda de carros!

1. Faça análise de crédito do comprador

Um erro comum na hora de vender um carro para algum conhecido ou um comprador na internet é não fazer uma análise de crédito da pessoa.

Ela assume um compromisso com você e, infelizmente, não consegue pagar o combinado. 

Por isso, um dos primeiros cuidados a se ter na hora de vender um carro é analisar se aquela pessoa realmente consegue pagar o financiamento.

Para fazer isso, peça por extratos bancários ou a declaração de Imposto de Renda da pessoa. Isso dirá quanto ela ganha por mês.

Com essa informação, veja se a parcela do financiamento é menor do que 30% do salário do comprador. Se não for, é sinal de que ele não tem condições de pagar o imóvel.

Além disso, veja o score de crédito do comprador para saber qual é o histórico dele e se ele é um bom pagador ou não.

2. Não entregue o carro antes do valor compensar em sua conta

Além de fazer uma análise de crédito, é importante não entregar o carro para o comprador antes do valor compensar na sua conta

Isso porque existem dezenas de golpes que podem ser aplicados nesse intervalo de tempo. Portanto, aguarde o dinheiro cair na sua conta. Depois, faça o processo de transferir documento do carro e entregue o automóvel ao novo dono.

3. Não aceite cheques

Nos anos 80 e 90, os cheques eram muito usados por quem fazia compras grandes. Algumas pessoas os usavam até mesmo para fazer a compra do mês no supermercado.

No entanto, com a popularização dos cartões de crédito e outros métodos de pagamento, os cheques caíram em desuso. Isso porque eles são muito vulneráveis a golpes.

Um comprador mal-intencionado pode passar uma série de cheques e depois sustá-los, o que gera um problema enorme, ou então pode falsificar os cheques.

Por isso, não aceite cheques como pagamento pelo seu carro. Se o comprador não puder pagar à vista, prefira trabalhar com outros meios de pagamentos, como o que veremos a seguir!

4. Aceite pagamento parcelado somente no cartão de crédito

Quando estamos com um carro à venda, é comum que surja aquele “vizinho de um conhecido” que quer comprar o automóvel.

Por ser alguém “conhecido”, é normal parcelar o negócio com um contrato de gaveta, ou seja, um contrato que não é registrado no cartório).

Assim, o comprador e o vendedor concordam com parcelas mensais de valor X. No entanto, eventualmente o comprador não paga mais e o vendedor sai no prejuízo.

Se você for parcelar o pagamento do seu carro para um conhecido, opte por fazer isso via cartão de crédito. Se precisar, compre uma maquininha de cartão.

Esse é um bom cuidado, pois assim você recebe todo o dinheiro de uma vez e o comprador paga parcelado para o banco que emitiu o cartão.

Desse jeito não há risco para você. No entanto, isso só funciona com carros antigos (com valor abaixo de R$10.000,00) ou quando o comprador tem um limite alto no cartão de crédito.

5. Desconfie de trocas muito vantajosas 

Além de pagar em dinheiro, muitos compradores costumam oferecer objetos e bens em troca do carro que querem comprar. Isso é muito comum em sites de anúncios de automóveis.

Em alguns casos, é verdade que a troca do seu carro por algum objeto ou outro automóvel pode ser bem interessante.

No entanto, quando a troca é vantajosa demais, pode ser que tenha algo errado nesse negócio.

Por isso, mantenha sempre a desconfiança quando o comprador oferece “duas motos, um videogame, um jet-ski e três relógios” pelo seu carro.

Peça por todos os comprovantes de todos os objetos e analise bem a situação para não ser enganado.

6. Cuidado com a falsa venda consignada

Existe uma maneira segura e prática de vender o seu carro. Chama-se “venda consignada”.

Nela, você deixa o seu carro em uma concessionária de usados e os vendedores da empresa fazem todo o trabalho: apresentam para o público, negociam e fecham negócio.

No entanto, existe o risco da falsa venda consignada. Esse é um dos mais comuns golpes na venda de carros.

O golpista apresenta a possibilidade de fazer uma venda consignada com o carro e pode até apresentar uma falsa concessionária como se fosse dele.

A vítima aceita e entrega o carro na mão do falso vendedor, que some e nunca mais atende o telefone. Nesse caso, é muito difícil achar o carro de novo.

Se você pretende fazer uma venda consignada, analise bem a situação antes. Verifique se a concessionária é uma empresa ativa, se cumpre os compromissos e se é confiável. Só depois entregue o seu carro na mão do vendedor.

7. Marque um encontro em um local público

Se você for vender o carro pela internet, é normal que o comprador queira ver o automóvel pessoalmente. Afinal, ele também estará desconfiado de um possível golpe.

No entanto, não marque com a pessoa para que ela veja o carro na sua casa. Existem muito golpistas que usam dessas situações para assaltar suas vítimas.

Para se proteger, marque o encontro em um lugar público, como um shopping ou algum espaço movimentado semelhante.

Dessa forma, você fica mais seguro e afasta possíveis golpistas que queiram fazer mal a você.

8. Preencha o CRV e leve ao Detran

Um passo importante no processo de venda de um carro é o preenchimento do Certificado de Registro de Veículo (CRV). Sem isso, ainda é possível que o automóvel seja visto como do antigo dono.

Isso pode ser um problema, pois o comprador pode usar o carro por aí e acumular multas, que teriam de ser pagas por você.

Portanto, preencha o CRV e registre-o no Detran, além de levar cópias de outros documentos para se precaver contra golpes ou multas que possam aparecer no futuro para você pagar.

9. Fique atento ao golpe do anúncio clonado

Com a popularização das plataformas digitais para vender automóveis, existe um certo golpe na venda de carros que ficou bem comum. É o golpe do anúncio clonado.

Ele funciona da seguinte maneira: a vítima posta o anúncio do seu carro normalmente. O golpista, então, copia todas as informações e imagens e cria um novo anúncio, só que com um valor bem menor.

Então, o golpista entra em contato com a vítima se passando por um interessado naquele carro. Ele pede informações, fotos e vídeos, afirmando estar prestes a fechar negócio.

Enquanto isso, no entanto, o golpista está usando as mesmas informações, fotos e vídeos com outros compradores, que estão no anúncio clonado, com valor de venda abaixo da média.

Quando um dos compradores decide fechar negócio, o golpista avisa a sua vítima de que vai enviar um “sócio” para ver o carro e assinar o contrato de venda.

Assim, o golpista engana as duas pessoas: para o comprador, ele finge ser o vendedor; para o vendedor, ele finge ser o comprador. 

No final, ele recebe o dinheiro e vai embora. Quem vendeu o carro, fica sem nada e precisa chamar a polícia.

Para evitar esse golpe, é importante usar uma marca d’água nas suas fotos e acompanhar outros anúncios parecidos nas plataformas de venda.

10. Não parcele por conta própria

Como já falamos, em relação ao uso dos cheques ou do cartão de crédito, evite parcelar a venda do carro por conta própria.

Uma solução interessante que você pode usar é o financiamento de carro BV. Isso mesmo: dá para financiar um carro de pessoa física pelo banco.

Caso você queira facilitar as opções de pagamento para vender seu carro mais facilmente, veja como oferecer o financiamento com a BV para ficar mais protegido.

Ufa, quantas coisas vimos hoje, hein? Agora você já conhece 20 cuidados para evitar golpe na venda de carros. Dessa forma, você pode se proteger tanto na hora de comprar um automóvel, quando for vender o seu carro.

Além disso, com as nossas dicas, você conseguirá evitar os principais golpes do mercado e proteger seus amigos. Pois é: às vezes, você não vai vender ou comprar um carro em breve, mas um conhecido sim.

Por isso, seria bom que ele tivesse essas informações e pudesse se proteger, não é mesmo? Portanto, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e marque seus amigos para que eles também aprendam como evitar cair em um golpe na venda de carros!

Atendimento BV