Financiar carro: saiba como ser aprovado em um financiamento

O que você precisa saber para ter sua solicitação aprovada na hora de financiar um carro?

Categoria: Financiamento de Veículos

Uma pesquisa realizada no final de 2019 mostrou que 88% dos brasileiros pretendia trocar de automóvel no ano seguinte. Seja por um modelo novo, seminovo ou usado, a maior parte dessas pessoas não teria condições de fazer a compra à vista, o que torna financiar um carro a melhor alternativa para realizar esse sonho mais rapidamente.

A grande dúvida é: como ser aprovado para obter um financiamento? Ao longo deste artigo, vamos esclarecer exatamente quais são as modalidades de crédito oferecidas no mercado, suas vantagens e desvantagens, além das características de cada uma. Também vamos trazer dicas sobre como aumentar as chances de ter a solicitação aprovada pelos bancos.

Por fim, vamos destacar alguns pontos de atenção ao escolher o financiamento ideal, como prazo de pagamento, quantidade de parcelas, confiabilidade do banco, entre outros. Afinal, esse é um compromisso financeiro de valores significativos, e é fundamental evitar qualquer tipo de problema no futuro.

Para começar, vamos explicar tecnicamente o que é um financiamento de carro. Boa leitura!

O que é um financiamento de carro?

O financiamento de carro é uma espécie de empréstimo para que uma pessoa possa comprar um veículo novo, seminovo ou usado. Esse crédito é fornecido, no Brasil, por instituições financeiras públicas e privadas — como bancos e cooperativas de crédito.

Muitas vezes, os interessados em comprar um carro economizam parte do valor do bem, pago como entrada, e o financiamento é feito somente para o pagamento do custo restante do automóvel. Aqui vai um exemplo: se o carro custa R$35.000,00, e o comprador tem R$10.000,00 disponíveis, ele pode dar esse valor como entrada e financiar os R$25.000,00 restantes.

Como ele funciona?

Os financiamentos de carro são feitos a partir de diferentes modalidades de crédito. Quem não quer ficar muito tempo pendurado no pagamento do veículo pode financiar em 12 meses. Mas quem não tem bala na agulha para pagar um valor mais elevado a cada mês, pode estender o financiamento para até 48 ou 60 meses, em média. Nesse caso, os juros cobrados ao longo do tempo tornam o empréstimo um pouco mais caro.

O que é avaliado para conceder um financiamento?

Diversas questões são avaliadas na hora de conceder um financiamento. Embora esse processo seja bastante rápido, na maior parte dos casos, cada instituição financeira trabalha de uma forma, e o tempo de aprovação do cadastro pode variar.

Entre os fatores decisivos na hora de ter uma solicitação de crédito aprovada, destacam-se:

  • boa renda mensal (quanto maior, melhor);
  • marca do carro (quanto mais tradicional e bem estabelecida no país, maiores as chances de aprovação);
  • seguro auto incluso no financiamento;
  • bom valor da entrada;
  • tempo de uso do carro (quanto mais novo, melhor);
  • valor do carro (quanto mais barato, melhor).

Como facilitar a aprovação do financiamento de carro?

A seguir, explicamos como facilitar o processo de aprovação do financiamento, baseado nos fatores mais relevantes para as instituições financeiras na hora de conceder o crédito. Confira!

Nome limpo nos serviços de proteção ao crédito

Ter o nome limpo é a comprovação, para o mercado, de que você é uma pessoa confiável na hora de fazer negócios. Isso não quer dizer que quem tem o nome sujo é mau — muitas pessoas vivem dificuldades financeiras momentâneas que as levam a ficar inadimplentes.

Isso acontece quando alguém deixa de pagar suas contas em dia e os credores (aqueles para quem o consumidor em questão ficou devendo) notificam entidades, como o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) ou o Serasa Experian, a respeito.

Quando você “entra" no SPC ou no Serasa, como o povo costuma falar, o seu nome e os seus documentos são inseridos em um cadastro de devedores. Isso dificulta bastante a vida, porque ninguém topa fazer negócios com quem está com o nome sujo, por medo de não receber os pagamentos em dia.

Isso é compreensível, mesmo que, na maioria das vezes, esses atrasos ou falta de pagamento aconteçam pela perda da renda ou outra situação que forçou alguém a parar de honrar seus compromissos. Ainda assim, é bem difícil que uma pessoa com nome sujo consiga ser aprovada na hora de buscar um financiamento de veículos.

Bom score

O score é uma pontuação que todo mundo recebe, mesmo que não saiba disso. O mercado financeiro nos avalia como pessoas mais ou menos confiáveis, baseado em uma série de fatores, como pagamento em dia de boletos, renda, quitação de empréstimos, entre outros. Essa pontuação pode chegar até 1.000. Quanto mais alta ela for, mais as empresas com quem temos relacionamentos financeiros confiam na gente.

O Serasa Experian, do qual já falamos no tópico anterior, é a empresa responsável por essa pontuação. Geralmente, os bancos brasileiros contratam o Serasa justamente para terem acesso aos dados que ele tem sobre o mercado, que são muito úteis na hora de tomar algumas decisões, como emprestar ou não dinheiro para os clientes.

Antes mesmo de sair para pedir seu financiamento para comprar um carro, dá para conferir o seu score no site da empresa, sem precisar pagar nada. Basta criar uma conta com os dados solicitados, e você já pode ter uma ideia de como o mercado vê sua condição financeira.

Confira o que é levado em conta na pontuação:

  • dívidas acumuladas — quem já tem uma grande quantidade de empréstimos, compras parceladas e outros compromissos financeiros pode acabar com uma redução da sua nota;
  • uso do cheque especial — quem usa o cheque especial com muita frequência também acaba tendo seu score diminuído. Afinal, trata-se também de uma modalidade de crédito, porém, indica dificuldades de ter dinheiro em caixa (falta de liquidez);
  • nome negativado — ter o nome inserido no SPC ou Serasa é um dos maiores redutores de pontos na hora de formar o score de crédito. Evite que isso aconteça ao máximo, pagando suas contas sempre em dia. Não assuma compromissos financeiros maiores do que a sua capacidade de pagamento. Até porque não basta pagar a conta para o score voltar a subir. Embora caia rapidamente ao deixar um boleto vencer, ele não é retomado imediatamente após colocar as contas em dia;
  • uso do limite do cartão — o consumo de todo o limite do cartão de crédito é mais um fator que impacta o score de crédito de qualquer pessoa. Evite ao máximo chegar a esse nível. 

Renda comprovada

Ter uma boa renda é uma das coisas mais importantes na hora de pedir um financiamento. Afinal, o que interessa para o banco, no fim das contas, é ter a certeza de que seus clientes têm condições de arcar com os pagamentos das parcelas todos os meses. Mas de nada adianta ter uma ótima fonte de renda e não ter como comprová-la.

Muitos profissionais informais e independentes conseguem se dar bem no mercado, ganhando até mais do que em empregos formais, com carteira assinada. Ainda assim, ter algum tipo de formalização do quanto se ganha a cada 30 dias é decisivo para que empréstimos sejam concedidos.

Há instituições que emprestam o dinheiro mesmo sem tantas garantias, mas elas compensam o risco aumentando a taxa de juros, o que não é interessante para quem contrata o financiamento, concorda?

Bom valor de entrada

Nós sabemos que não está fácil para ninguém, e que juntar o dinheiro para comprar um carro é complicado. Ainda assim, ter um valor interessante para dar entrada é vantajoso por várias razões.

A primeira é que a necessidade de crédito diminui, o que já aumenta suas chances de ser aprovado. A segunda é que os valores das parcelas ficam mais suaves, para o restante do pagamento ser concluído sem aperto. A terceira é que o financiamento é quitado mais rapidamente.

Se possível, o ideal é que pelo menos 50% do valor do carro seja pago como entrada. Caso esse seja um preço muito alto, tente pagar pelo menos 30% antecipadamente, para que o financiamento não se estenda demais e não fique tão caro ao longo dos anos.

Redução no preço do carro

Na hora de comprar um carro, mesmo que ele não seja de uma linha popular e tenha um valor mais elevado, é possível negociar uma redução no preço. Isso se torna mais fácil se você conhecer um pouco mais sobre o mercado de automóveis e entender como o processo de vendas funciona.

O primeiro passo é não cair na “lábia” dos vendedores. Especialmente quem compra um seminovo ou usado costuma ser pressionado com frases do tipo: “já tenho vários interessados no carro”, “posso segurar para você somente até amanhã”, “esse preço só vale hoje, amanhã volta para o valor mais caro”, entre outras táticas de vendas já bastante batidas, às quais ninguém deveria sucumbir.

Na real, eles só fazem isso porque aproximadamente metade dos interessados em um carro não volta mais à loja depois de uma primeira visita. Ou seja, alguns vendedores tentam passar a pressão que eles sofrem para o comprador.

Outro detalhe importante: não se sinta culpado em pedir descontos na compra do carro, imaginando que o vendedor perderá sua comissão. A verdade é que muitas concessionárias e revendas de carros seminovos e usados têm margens de lucro extremamente altas, sendo perfeitamente viável para elas oferecer bons descontos e, ainda assim, ganhar bastante dinheiro na negociação.

Também é importante que você saiba o valor máximo que está disposto a gastar, mas não precisa contar isso para o vendedor. Isso porque ele sempre vai tentar chegar a esse valor, mesmo que você consiga comprar um bom carro por menos do que pretende investir.

Outra dica para conseguir um bom valor na compra do carro é tentar fechar a venda nos últimos dias do mês. Isso funciona porque muitos vendedores têm metas a cumprir, e se torna mais fácil a negociação quando eles estão com um prazo mais apertado para fechar o negócio.

Como escolher o financiamento ideal?

Ao longo do artigo, já explicamos por que financiar um carro, as principais modalidades e o que fazer para ter a solicitação aprovada nos bancos. Mas ainda falta um ponto essencial: escolher o financiamento ideal para o seu perfil. Continue a leitura para aprender mais!

Prazo

Na hora de contratar um financiamento, não tem jeito: ou você vai pagar mais rápido, com um valor maior na parcela a cada mês, ou vai levar alguns anos para finalizar, mas pagando menos a cada 30 dias. Mas não é só isso que deve ser levado em conta quando se pensa em prazo de pagamento.

Quanto mais tempo se leva para quitar o financiamento, maiores serão os juros cobrados pela instituição financeira. É claro que, como nós mesmos já mencionamos, os juros variam de banco para banco — uns cobram um pouco mais, outros cobram um pouco menos. Porém, todos terão essa taxa adicionada ao empréstimo.

Valor das parcelas

O valor de uma parcela de financiamento nunca deve ser superior a 30% da sua renda total. Na verdade, o melhor é que seja bem menos do que isso. Inclusive, esse é um fator considerado na hora de conceder crédito para qualquer pessoa. Ao informar a renda mensal e entender que o custo de cada boleto será superior a 30% da renda, há grandes chances de o financiamento ser negado.

Por exemplo, quem ganha R$3.000,00 por mês, deve se comprometer com uma parcela de, no máximo, R$900,00 mensais ao contratar um financiamento de veículo. Isso, é claro, se esse valor estiver disponível após todas as contas fixas e variáveis serem pagas — moradia, alimentação, saúde, educação, telefonia, internet, entre outros custos que eventualmente a pessoa tenha.

Taxas de juros

As taxas de juros estão presentes no CDC e no leasing, duas das mais populares formas de financiar carros no Brasil. Elas são calculadas com base na Taxa Selic, que é controlada pelo Banco Central. Esse valor varia conforme as condições da economia e pode mudar bastante ao longo de um ano. Recentemente, em função do fraco desempenho econômico no país, as taxas de juros vêm sendo reduzidas, de forma a estimular a tomada de crédito e os investimentos por parte das empresas.

Isso também pode ser aproveitado por quem está pensando em comprar carro, já que a Selic também impacta as taxas de juros cobradas em financiamentos de veículos. Em 2019, um carro de R$40.000,00 passou a custar aproximadamente R$4.100,00 a menos ao ser financiado em 60 meses via CDC.

Seguro

Outro detalhe fundamental ao qual o interessado em um financiamento deve ficar atento é a contratação de um seguro. Caso algo aconteça durante o período de pagamento das parcelas — doença, invalidez ou até mesmo falecimento — o financiamento deve ser quitado pelos herdeiros ou responsáveis financeiros, sob pena de perda do carro, se o bem não estiver segurado.

Embora não seja obrigatória, a contratação de um seguro para o financiamento é altamente recomendada justamente porque nunca se sabe o dia de amanhã. Mesmo que algo mais grave não ocorra, sempre há a possibilidade de perda do emprego ou da renda, o que certamente fará com que se torne complicado honrar os pagamentos das parcelas todos os meses. Com um seguro que cubra o prejuízo nessas situações, desde que devidamente comprovadas, essa perda não ocorre.

Confiabilidade no banco/financeira

Por fim, também é bem importante ter acesso a instituições financeiras conhecidas no mercado, com tradição, renome e seriedade comprovada. Fazer um financiamento com agiotas ou a partir de outras fontes pouco confiáveis pode ser um tiro no pé para qualquer pessoa, especialmente em caso de problemas para pagar as parcelas.

Caso desconfie de algo, certifique-se de que o banco ou a instituição estejam devidamente credenciados na FEBRABAN e tenham boa reputação com os seus clientes. Procure estabelecer um relacionamento transparente e saiba que seus direitos estarão garantidos em qualquer situação. Essa é a melhor dica que se pode dar para quem quer financiar um carro.

Gostou do conteúdo? Procuramos esclarecer os principais pontos a respeito da aprovação da solicitação para financiar um carro. Há diversos detalhes que podem impedir que o empréstimo seja concedido, porém, eles podem e devem ser resolvidos pelo próprio interessado.

Às vezes, alguma bobagem, como esquecer de pagar uma conta, pode afetar nosso score, ou até mesmo a marca do carro escolhida pode dificultar o processo. Por isso, tratamos de incluir no texto os pontos principais, com a intenção de ajudar a tornar essa solicitação mais simples e rápida.

Não se esqueça, ainda, de fazer um bom planejamento financeiro antes de partir para a compra do carro. Afinal, ninguém decide adquirir um bem que custa milhares de reais do dia para a noite, né? Ou, pelo menos, não deveria. Faça uma previsão de sua renda futura, avalie bem os recursos disponíveis atualmente e, é claro, conheça sua capacidade de pagamento das parcelas.

Quer saber mais sobre os benefícios de financiar um carro? Confira este post que fizemos sobre o assunto!

Atendimento BV