O que considerar antes de pegar empréstimo estudantil

Entenda como funciona o empréstimo estudantil e os cuidados que você deve tomar antes de contratá-lo!

Categoria: Universo BV

Categoria: Universo BV

O empréstimo estudantil é, para muitos, a única oportunidade de ingressar no ensino superior e realizar sonhos. Isso significa que pessoas com diferentes realidades financeiras podem ir atrás de conhecimento e da possibilidade de se desenvolver profissionalmente, com o suporte de uma instituição responsável por conceder o crédito.

Neste artigo, vamos explicar melhor do que se trata esse financiamento, como ele pode ajudar você a investir nos estudos e, principalmente, o que precisa observar antes de contratá-lo. Continue conosco e confira a seguir!

Qual é a importância dos estudos para o futuro

Muitas pessoas buscam investir nos estudos para conseguir ampliar conhecimentos e evoluir profissionalmente. O diploma do curso superior é um grande sonho para muitos. Tal conquista pode levá-lo a um salário mais alto e, consequentemente, a uma qualidade de vida melhor, assim como à realização de outros objetivos.

É importante que você escolha algo que tenha relação com aquilo que você gosta, e não apenas pelo salário que a profissão escolhida poderá proporcionar. Assim, a chance de se frustrar no futuro e ter que buscar uma nova carreira posteriormente acabam sendo bem menores.

O que analisar antes de contratar um financiamento estudantil

O empréstimo estudantil é um excelente recurso para quem precisa de ajuda financeira para ter acesso ao ensino superior. Porém, justamente por ter o seu dinheiro e o seu futuro envolvidos, é fundamental pesquisar bem antes de definir qual a melhor opção de financiamento para o seu perfil e a sua situação econômica. Veja, a seguir, algumas dicas que poderão ajudar.

Entenda qual é o seu perfil econômico

Alguns programas liberam o financiamento de acordo com o perfil socioeconômico dos alunos. Então, é possível que você tenha que cumprir alguns requisitos. Em geral, alguns critérios que as instituições avaliam na hora de traçar esse perfil incluem:

  • renda mínima;
  • exame do Enem;
  • histórico escolar em escola pública.

No caso do Pravaler — instituição parceira do BV —, o empréstimo estudantil é mais inclusivo que o FIES, por exemplo, porque ele não exige que o aluno apresente nota do Enem ou que tenha estudado em escola pública. A instituição também avalia a idade mínima de 18 anos para assinar o contrato. Caso o estudante seja menor, será necessário solicitar a assinatura do seu responsável legal.

Em todos os financiamentos, será necessário apresentar um fiador, que pode ser a mãe, o pai ou alguma outra pessoa que, junto ao aluno, consegue comprovar a capacidade de pagamento financeiro.

Avalie se o financiamento oferecido cobre o valor total do curso

Você precisa ter cuidado com aquelas letras miúdas que vêm nos contratos, já que nem todos os programas disponíveis oferecem o valor total das mensalidades.

Há outras em que se paga a cada três meses e, ainda, tem aquelas em que as parcelas só são cobradas após a conclusão. Portanto, confirme quais são as condições ofertadas, principalmente nos casos em que a instituição não cobre 100% do valor do curso.

Existem situações em que você precisa pagar parte do valor das mensalidades enquanto ainda está na faculdade. Isso precisa ser verificado antes de iniciar os estudos na instituição, já que o dinheiro já precisa ser desembolsado logo no começo.

Faça uma avaliação do seu orçamento

Antes de assumir uma dívida, pare um pouquinho e avalie a situação do seu orçamento atual. Se for o caso, reúna-se com a sua família para entenderem melhor as possibilidades e avaliarem juntos qual é a melhor saída. A principal necessidade aqui é identificar quanto do total da renda pode ser comprometido com o pagamento das parcelas do financiamento.

É preciso ter em mente que o empréstimo estudantil é uma dívida que você assume em longo prazo, ou seja, é algo que acompanhará você por alguns anos da sua vida. Por isso, não assine o contrato antes de fazer um planejamento financeiro.

Nessa situação, você precisa ter garantias de que daqui a 4 anos, por exemplo, ainda terá condições de fazer os pagamentos em dia. A ideia de investir nos estudos é a de conseguir crescer profissionalmente e ter um salário melhor. Porém, esse tipo de realização pode não vir assim que você se forma. É aí que se precisa garantir que o compromisso será honrado.

Entenda as condições do empréstimo

Esse é um conselho que vale para qualquer contrato que você for assinar na vida: não assine antes de entender as condições que ele determina. Se for o caso, peça uma cópia para a instituição, leve-a para a casa e leia o documento com calma.

Entre as principais questões que você precisa observar para não entrar em um mau negócio, estão:

  • taxas de juros do financiamento;
  • valor das parcelas, que tem relação com o total do curso financiado;
  • tempo de contratação (pode valer para um semestre, um ano ou o curso inteiro);
  • prazo para pagamento;
  • renda mínima para aprovação;
  • necessidade de fiador.

Na hora de avaliar o valor total do seu empréstimo estudantil, use o Custo Efetivo Total (CET). É ele que mostra os juros compostos, as taxas e todos os encargos do financiamento. Assim, você sabe exatamente quanto vai pagar no final das contas.

Bônus: tente fazer algumas economias

A educação financeira tem um papel muito importante aqui. Apesar da possibilidade de ter um orçamento mais limitado e, ainda, arcar com as parcelas do empréstimo estudantil, tente fazer algumas economias.

Então, esse é o momento ideal para controlar os gastos por impulso, reduzir alguns custos e começar a fazer uma poupancinha. Assim, você se prepara para continuar pagando as parcelas em dia, mesmo que ainda não esteja trabalhando ou caso surjam imprevistos.

Como funciona o empréstimo estudantil

Como falamos até então, o empréstimo estudantil é uma excelente forma de tornar viável o sonho de cursar o ensino superior. Principalmente no Brasil, esse tipo de financiamento é responsável por ajudar muitas pessoas a terem acesso a educação.

O financiamento estudantil funciona de maneira semelhante a um empréstimo. Isso significa que você vai assinar um contrato, comprometendo-se a honrar as mensalidades (ou parte delas) do curso. Em troca, a instituição financeira disponibiliza o crédito, que precisará ser pago a ela.

Assim como em todo financiamento, cada instituição financeira tem um contrato com diferentes ofertas no que diz respeito à forma de pagamento, prazos oferecidos e taxas de juros. Então, não deixe de avaliar as características dos programas oferecidos antes de sair assinando qualquer contrato, combinado?

Isso é importante para que você escolha a opção mais adequada para a sua realidade e não tenha surpresas desagradáveis quando for quitar essa dívida.

Como funciona na prática

O BV oferece financiamento estudantil privado em parceria com o Pravaler, líder de mercado nesse segmento e que tem convênio com mais de 400 instituições de ensino. Os interessados em ingressar na faculdade com o auxílio do empréstimo estudantil do BV devem solicitá-lo no momento da realização da matrícula da faculdade. Para conseguir o financiamento, é necessário demonstrar capacidade para o pagamento da linha de crédito.

Como funciona a parceria entre o BV e o Pravaler

Para participar do programa, o estudante precisa escolher uma faculdade que seja conveniada ao Pravaler. Então, assim que o aluno passa no vestibular, ele preenche e envia uma proposta online para que seja feita a análise de crédito. Porém, existe a exigência de apresentar um fiador da operação (que pode ser qualquer pessoa, como pai, mãe e tios).

Assim que o crédito é aprovado, a faculdade faz a confirmação e valida a matrícula. Então, basicamente, o processo é feito em duas etapas:

  1. aprovação do crédito;
  2. aprovação da faculdade (com mensalidade e valores).

Em seguida, o aluno dá sequência à formalização da solicitação de crédito, o que é feito de maneira totalmente digital. Após envio e validação da documentação do participante, a instituição comunica sobre a concessão do crédito e ele pode iniciar os estudos com tranquilidade.

Vale lembrar que o financiamento vale por um semestre. Isso significa que a cada seis meses você precisa renovar o seu empréstimo estudantil para o período seguinte. Por isso é importante que você faça o pagamento das parcelas sempre em dia.

Como você pôde ver, o empréstimo estudantil é um grande aliado de quem quer investir nos estudos e conquistar objetivos pessoais e profissionais. Contudo, por se tratar de um compromisso de longo prazo e que envolve o seu dinheiro, é preciso tomar todos os cuidados necessários para escolher as melhores opções.

Gostou deste artigo e quer saber mais sobre a possibilidade de fazer um empréstimo estudantil? Entre em contato conosco e conheça as nossas condições agora mesmo!

Atendimento BV